Cores, história e estilo nas Olímpiadas 2020

Vista-se de boas vibrações e vem torcer com a gente! 

Por Ludmila Barros

Os Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, já começaram recheados de emoção e de momentos marcantes. Desde a cerimônia de abertura até a conquista de medalhas, vimos um desfile de cores e formas no palco do esporte. As Olimpíadas recebem esse nome pois foi em Olímpia, na Grécia Antiga, que os primeiros jogos tiveram início, em meados do século VIII antes de Cristo. A história conta que Hércules, filho de Zeus, foi o criador dos jogos olímpicos. As cerimônias contavam com vários rituais, inclusive o acendimento da chama olímpica, presente até hoje. Após um hiato de séculos, os jogos voltaram a acontecer graças ao pedagogo e aristocrata suíço Pierre de Frédy, mais conhecido como Barão de Coubertin na década de 1890. Mais do que uma coleção de modalidades e atletas talentosos, as Olimpíadas representam a comunhão, a paz e celebração do esporte entre as nações. 

Os aros que simbolizam os Jogos Olímpicos nas cores azul, amarelo, preto, verde e vermelho sobre um fundo branco representam a união dos cinco continentes, sendo que pelo menos uma das cores está presente na bandeira de cada um dos Comitês Olímpicos vinculados ao Comitê Olímpico Internacional. Os aros olímpicos foram elaborados pelo Barão de Coubertin em 1914. 

Cerimônia de abertura das Olimpíadas 2020 de Tóquio. Foto: Athit Perawongmetha/Reuters/ G1 

Já que as Olimpíadas começaram na Grécia, nada mais apropriado do que iniciar a nossa análise de looks com a delegação grega. Também selecionamos algumas nações que mais conquistaram medalhas na história dos jogos e outras que se destacaram pelo colorido de suas roupas na cerimônia de abertura. Vem ver! 

Foto: Odd Andersen/AFP 

Os atletas gregos Anna Korakaki e Eleftherios Petrounias desfilam com um look casual e elegante. O terno azul marinho combinado com tênis branco criou um ar descontraído. A saia plissada de Anna nas cores da bandeira com um tênis claro ficou um charme! 

O Brasil participa das Olímpiadas desde 1920. Daquela época até os jogos no Rio de Janeiro, em 2016, o país faturou 129 medalhas, sendo 30 de ouro, 36 de prata e 63 de bronze. Na cerimônia de abertura em Tóquio, Bruninho, do vôlei, e Ketleyn Quadros, do judô, foram os porta-bandeiras mostrando o gingado do samba, bermuda caqui, camisas e estampas coloridas da marca carioca Wollner e um dos maiores ícones de brasilidade nos pés: o chinelo Havaianas. Os looks exalam as cores do Brasil e as estampas unem elementos da cultura japonesa, como os contos da Carpa, e o peixe amazônico Pirarucu, que segundo a lenda indígena, era um guerreiro. O uniforme também tinha componentes da fauna e flora brasileira, como a folha de bananeira e a espada de São Jorge.  

Foto: MARTIN BUREAU / AFP
O ginasta Arthur Nory com o uniforme do Time Brasil para a cerimônia de abertura. Foto: Fernando Veloso Leão 

A delegação dos Estados Unidos entrou no estádio olímpico com um elegante terno azul marinho assinado pelo renomado estilista Ralph Lauren, que lembra os marinheiros norte-americanos, além de uma camiseta listrada por baixo. A calça jeans e o tênis branco dão um ar de leveza e casualidade.  

Foto: Getty Images  

O Comitê Olímpico Russo é um dos maiores medalhistas de todos os tempos desde a antiga União Soviética. Devido aos recentes casos de doping, a delegação não está autorizada a usar o nome, hino e a bandeira da Rússia, se apresentando com a alcunha Comitê Olímpico Russo, ROC em inglês. Mas nem por isso o seu brilho foi ofuscado. A delegação desfilou com um traje que lembra um kimono, destacando a cor vermelha vibrante, que compõe a bandeira nacional. 

Foto: Getty Images  

A delegação de Camarões vestiu roupas típicas de sua cultura, abusando de cores fortes, desenhos e estilo. As atletas usaram turbantes na cabeça, que simbolizam histórias de luta e resistência das mulheres negras. Um detalhe: o país foi o único a usar bolsa no desfile.  

Foto: Getty Images  

Os atletas da Arábia Saudita, igualmente, expressaram os elementos de sua cultura. Os homens usaram um lenço de algodão em volta da cabeça chamado kufiyyah e as mulheres, véus islâmicos.  

Foto: AFP 

A delegação da Itália surgiu com um uniforme branco, além de um desenho na altura da barriga nas cores da bandeira que nos recorda o clássico jogo japonês Pac- Man e o seu prato mais famoso: a pizza! A peça é de autoria do estilista Giorgio Armani. 

Foto: AFP/G1 

O uniforme da delegação do México trouxe elegância e traços da sua cultura para o palco. O terninho azul marinho ficou em harmonia com detalhes coloridos na frente da peça e as mulheres usaram tiaras que faziam referência a um de seus maiores ícones da história: a artista Frida Kahlo. 

Foto: AP Photo/David J. Phillip 

A delegação do Tonga desfilou com um blazer vermelho, que faz referência às cores da bandeira, e uma espécie de saia que registra a ancestralidade do país. Destaque para o atleta de taekwondo Pita Taufatofua, que surgiu sem camisa e com óleo no corpo. Ele vestia um traje tradicional feito com fibras de coco.

Foto: Odd Andersen / AFP 

Os donos da casa, a delegação japonesa, foram os últimos a ser apresentar mantendo a tradição de encerrar o desfile. Os atletas vestiram um terno com corte encorpado em que predominam as cores da bandeira nacional

Foto: IOC/ Greg Martin

Os Jogos Olímpicos são uma das festas mais bonitas no mundo em que a emoção, alegria e superação estão presentes. Além disso, a cultura e os costumes de cada nação participante são um show à parte. Continue acompanhando com a gente os destaques das Olímpiadas de Tóquio! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s