Wellington Andrade fala sobre suas experiências na Record, Rádio TUPI e Rede Vida

“Tem que colocar a mão na massa! Só aprende fazendo, se vai acertar ou vai errar, não importa, importante é começar e ir para a prática”, disse Wellington Andrade.  

Por Luciana Alves

O terceiro convidado do podcast Em Todo Lugar é o jornalista Wellington Andrade. Com experiência em rádio e TV, o jornalista logo no início da entrevista informa sua dica: “Um conselho é: quanto mais cedo puder, melhor!”. Fala também sobre a sua passagem na Rádio Tupi, Record, SBT e Rede Vida. Atualmente produtor de lives no seu perfil do Instagran, o jornalista traz pautas sobre o combate ao racismo, inclusão social e diversidade para informar um conteúdo mais reflexivo à sociedade.  

Proatividade foi a característica do jornalista desde o início da faculdade. No primeiro período, iniciou um estágio voluntário em uma rádio comunitária em Vaz Lobo e, foi neste momento, que a oportunidade abriu os caminhos.  

No estágio comunitário, Wellington teve a possibilidade de ir a outras rádios, como a Nativa e a Rádio TUPI. Em uma dessas visitas, soube de um processo seletivo na Rádio Tupi, que não era na área de jornalismo, mas se candidatou e conquistou a vaga. Um ano depois, surgiu uma vaga para estágio em jornalismo na mesma empresa. Fez os testes e foi aprovado. Começou na apuração, com ligações para batalhões, hospitais e bombeiro, para verificar o que poderia ser notícia.  

Por meio de relacionamento com os colegas de trabalho, soube de uma outra oportunidade na Record e iniciou outro estágio. Nesta empresa, o jornalista fazia a produção de reportagens e a apuração de notícias factuais.  

Hoje, como produtor de lives no seu perfil no Instagran, Wellington fala sobre temas para reconstruir formas de pensar, como combate ao racismo, cultura do cancelamento, diversidade, inclusão social e debates sobre pautas médicas e financeiras. Seu trabalho já chegou a ser divulgado nos jornais O Dia e o portal UOL quando realizou a entrevista com o ator Nando Cunha para falar sobre o preconceito sofrido no mercado artístico por ser negro.  

Neste podcast, Wellington Andrade fala sobre a importância de buscar desde o início estágio ou trabalhos voluntários para abrir oportunidades na carreira profissional. Ter paciência e persistência, pois jornalismo não é esse glamour de televisão. Além de falar sobre seus trabalhos atuais que trazem temas para reconstruir pensamentos e ideias arcaicas sobre o racismo estrutural. Para acessar as lives basta seguir @reporterwellingtonandrade. 


Ficha Técnica: Entrevista: Luciana Alves/ Edição: Rafael Souza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s