NAP da FACHA continua atendendo durante a pandemia e taxa de alunos com problemas de ansiedade diminui na instituição

Por Mariana Braga 

O número de alunos com transtornos de ansiedade diminuiu no último semestre, indo ao contrário da realidade global neste momento de pandemia. Maria Cristina Chagas, coordenadora do Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAP) da FACHA, relatou a melhora no quadro da faculdade e espera que o percentual se mantenha em 2020.2. Ela ainda reforça que o núcleo continua ativo de modo remoto e que qualquer aluno que precisar de assistência, basta entrar em contato. 

Para Maria Cristina Chagas, professora de psicologia na FACHA e também coordenadora do NAP, a redução da procura por razões de ansiedade se deve pela rotina reduzida dos alunos. Segundo ela, sem o estresse do deslocamento caótico na cidade e o aumento do tempo com familiares que dão conforto e ajuda ao estudante, provavelmente, foram os fatores que resultaram a mudança. 

O núcleo recebe em média 62 alunos por semestre para o acompanhamento psicopedagógico, entre jovens com necessidades especiais e com transtornos mentais. Deste número, a faixa de busca por problemas emocionais fica em torno de 20 pessoas. Entre os fatores mais comuns que podem desestabilizar o estudante são o medo da carreira, o desemprego, dúvidas sobre a escolha da graduação e problemas de relacionamento. Porém, em 2020.1 apenas quatro alunos com ansiedade ou depressão procuraram acompanhamento.  

A coordenadora disse que esse número também pode ser relativo, porque podem ter alunos que estão precisando de acompanhamento, mas não reportam o NAP. Ou que simplesmente optam por trancar a faculdade. Por isso, se houver qualquer dificuldade dentro da vida acadêmica ou pessoal que afete a sua graduação procure o NAP. Eles continuam acompanhando os alunos durante a pandemia.  

A professora esclareceu que o NAP não realiza consulta ou mesmo diagnóstico. O trabalho do núcleo é orientar os professores sobre os alunos com necessidades educacionais especiais, em sala de aula, com provas e trabalhos acadêmicos. Contudo, Maria Cristina disse que nunca nega um atendimento emergencial se o aluno sentir necessidade, às vezes uma conversa pode ajudar.  

Dois grupos são envolvidos no acolhimento: portadores de deficiência e pessoas com transtornos emocionais. Para ser acompanhado no caso de deficiência basta preencher o formulário disponibilizado pela FACHA durante a matrícula e a renovação de matrícula. O NAP orientará os professores para toda e qualquer atenção educacional que o aluno precise.  

Para questões emocionais, entre em contato com o NAP via e-mail e depois apresente um laudo feito por um especialista. A faculdade tem uma parceria com clínicas de valor social. Se o aluno tiver interesse, fale com a coordenadora para encontrar a clínica mais acessível. Anteriormente era necessário atualizar o laudo a cada seis meses, mas durante a pandemia a coordenadora disse que o núcleo não está exigindo esta renovação.  

Para qualquer orientação, o NAP está atendendo somente por e-mail durante a pandemia. Se precisar de ajuda, não deixe para depois ou esconda, a FACHA está aqui para te dar suporte. Fale com a coordenadora Maria Cristina pelo endereço cristina.chagas@facha.edu.br.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s