Giro Em Todo Lugar – Final da Copa Libertadores da América

A tarde de sábado (30) ficou marcada no mundo inteiro por conta da grande final da Copa Libertadores da América, entre Palmeiras e Santos, no Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro. O alviverde conquistou seu 2º título da competição vencendo a partida pelo placar de 1 a 0, com gol marcado por Breno Lopes, nos acréscimos do segundo tempo. 

Por Gabriel Orphão e Rafael Cruz

Pré jogo 

A segunda final única da história da Libertadores foi marcada por um clima de tensão e nervosismo, desde a chegada das equipes no Maracanã até os minutos finais da partida. Nos últimos dias, havia dúvidas sobre as escalações das equipes para a grande final. Pelo lado do Palmeiras, o técnico português Abel Ferreira não deu muitas pistas sobre o ataque de sua equipe, especialmente sobre o principal atleta da equipe, o atacante Rony, que disputa vaga com o experiente William. Já pelo lado do Santos, o técnico Cuca disse em entrevista coletiva que nem mesmo Yeferson Soteldo, camisa 10 e um dos destaques da equipe, estava confirmado para a final, e que poderia brigar por uma vaga com Sandry e Lucas Braga. 

Pouco depois das chegadas das duas equipes ao estádio, o perfil oficial da competição divulgou as escalações dos times. Abel Ferreira optou pela entrada de Rony, e Cuca preferiu jogar com o jovem Sandry e com Soteldo, deixando Lucas Braga no banco de reservas. 

Perfil oficial da Copa Libertadores da América anuncia as escalações das equipes para a grande final – Reprodução/Twitter 

A partida também foi marcada pela volta do público aos estádios envolvendo dois clubes da série A na mesma partida, algo que não acontecia desde março de 2020, antes da paralisação do futebol por conta da pandemia do COVID-19. Com muita aglomeração e muitas pessoas sem máscaras, cerca de 2.500 convidados estiveram presentes no setor oeste do Maracanã, e acompanharam a segunda final única da história da Copa Libertadores da América. 

Torcedores se aglomeram na final única da Libertadores 2020 – Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo 

Na entrada dos times em campo, um fato curioso: o atacante do Santos e artilheiro do Campeonato Brasileiro, Marinho, encostou na taça que estava exposta logo na linha lateral do gramado. Em 2019, o jornal argentino Olé postou em uma de suas redes sociais que o ato pode acabar trazendo má sorte para o jogador e seu time. No entanto, ainda em 2019, o atacante do Flamengo, Gabriel Barbosa, encostou no troféu pouco antes do início da partida. Porém, acabou fazendo 2 gols nos últimos minutos do jogo, e conquistando o título para a equipe rubro-negra carioca.  

Outro exemplo que contraria o jornal argentino é do goleiro Marcelo Grohe, que atuava pelo Grêmio na final da Copa Libertadores de 2017. O atleta chegou a encostar na taça nas duas ocasiões – na época, as finais eram em partidas de ida e volta – e sua equipe acabou conquistando o título da mesma forma, em cima do Lanús, da Argentina. 

Marinho encosta na taça da Libertadores antes do início da final única da edição de 2020 da competição – Foto: Staff Images/CONMEBOL 

Primeiro tempo 

O primeiro tempo da partida foi marcado por poucas jogadas criadas pelas equipes. Embora contasse com o volante Sandry no plantel titular, ao invés do ponta Lucas Braga, o que indicaria uma equipe mais defensiva, a equipe da baixada santista começou com uma maior posse de bola, tentando atacar o gol defendido pelo goleiro Weverton. Porém, a primeira chance clara veio da equipe do Palmeiras. Aos 10 minutos, Rony recebeu uma bola na ponta esquerda, passou pelo lateral Pará, e cruzou fechado, mas o goleiro John espalmou e mandou a bola para escanteio. 

Marinho, principal destaque ofensivo da equipe do Santos, teve muita dificuldade para construir jogadas, pois constantemente recebia faltas de atletas da equipe palmeirense durante todo o primeiro tempo. Chegou a ficar mancando aos 13 minutos, logo após dividida com Rony, necessitando de atendimento médico, o que preocupou os torcedores santistas. 

Aos 33 minutos, mesmo com um jogo muito estudado por ambas as equipes, o Palmeiras parecia se encontrar cada vez mais na partida, e tentou atacar a meta defendida pelo jovem goleiro John com mais frequência. Aos 36, Raphael Veiga ganhou a bola no campo de ataque, invadiu a grande área e fez um chute rasteiro, que passou rente à trave do Santos. 

Já no último lance da primeira etapa, Rony foi derrubado por Pará, e o clima esquentou entre jogadores e comissão técnica de ambas as equipes, que pressionaram o árbitro argentino Patrício Lostau pedindo um cartão ao zagueiro santista. Porém, segundo o árbitro, o lance foi normal e o jogo prosseguiu até o apito final do primeiro tempo. 

Jogadores de Palmeiras e Santos discutem durante o primeiro tempo da grande final – Foto: Staff Images/CONMEBOL 

Segundo tempo 

No segundo tempo a única mudança foi a troca de lados. O jogo seguiu equilibrado, brigado e com pouco brilhantismo técnico, com exceção da bicicleta do atacante santista Kaio Jorge, que acabou nas mãos do goleiro Weverton, aos 44 minutos. 

A melhor chance do time da Vila foi em uma cobrança de falta aos 13 minutos. Soteldo rolou a bola, Marinho cruzou e Lucas Veríssimo desviou de cabeça para fora, já dentro da pequena área. O peixe ainda chegou com duas finalizações de fora da área em sequência, uma do volante Pituca e outra do lateral Felipe Jonatan, a primeira Weverton espalmou e a segunda foi pra fora com perigo. 

Pelo lado alviverde, o jovem Gabriel Menino quase conseguiu acionar o atacante Rony sozinho, na segunda trave, aos 7 minutos, em lance parecido com o que viria a ser o gol do Palmeiras. Aos 18, Raphael Veiga foi às redes, mas pelo lado de fora. O meia surpreendeu ao cobrar uma falta de longe direto para o gol e mandou por cima. 

Nesse clima de nervosismo, ansiedade e indefinição, o jogo foi se aproximando do final e indicava uma prorrogação, quando, mesmo visualmente cansados, os jogadores e o técnico Cuca protagonizaram uma confusão. Aos 50 minutos, passados 5 e restando 3 do tempo acrescido pelo árbitro, o treinador santista e o lateral do Palmeiras Marcos Rocha se enroscaram na beira do campo. 

A bola ia saindo pela lateral, o atleta com pressa tentou reiniciar o jogo, mas encontrou Cuca no caminho. O técnico segurou a bola e foi derrubado pelo jogador rival. O treinador foi expulso, pulou a mureta e assistiu o restante da partida da arquibancada. Marcos Rocha levou amarelo, seguiu em campo e assistiu o gol do título de camarote. 

Imagens do lance que originou a confusão à esquerda e todo o tumulto à direita –  Twitter/ Fox Sports Brasil 

Logo na sequência, Breno Lopes entrou para história. Ele recebeu um cruzamento do Rony na segunda trave, ganhou no alto do lateral Pará e cabeceou no canto esquerdo do goleiro John. O gol colocou o Palmeiras no topo da América pela segunda vez, a primeira tinha sido em 1999.  

Herói improvável, Breno Lopes rouba a cena e marca gol do título no apagar das luzes – Foto: Cesar Greco

Curiosidades 

Breno Lopes foi um herói improvável em meio a muitas estrelas palmeirenses, que conta com Luiz Adriano, William, Rony, Raphael Veiga, Gustavo Gomes, Felipe Melo etc. O Palmeiras se preparou para esse momento, depois de ganhar a Copa do Brasil em 2015 e o Campeonato Brasileiro em 2016 e 2018, mas também contou com a sorte. O autor do gol do título, Breno Lopes, jogava a série B pelo Juventude. Ele foi contratado em novembro pelos paulistas e se tornou ainda o jogador a marcar o gol mais tardio em tempo regulamentar em uma final de Libertadores, com o gol aos 98´28’’. 

Com o bicampeonato, o Palmeiras se junta a Cruzeiro, Internacional e Flamengo com dois títulos de Libertadores. Fica à frente de Atlético-MG, Corinthians e Vasco que têm uma conquista cada. Santos e São Paulo seguem sendo os brasileiros mais vezes campeões da Libertadores da América, com três títulos cada. 

O Palmeiras conquistou o 20º título da Conmebol Libertadores para uma equipe brasileira, superados apenas pelos argentinos, com 25 troféus. Todos os outros países somados não chegam a igualar a marca do Brasil: 16 títulos no total, e a metade deles (8) são de times uruguaios (5 Peñarol, 3 Nacional). 

Além disso, venceu a terceira final entre equipes brasileiras na história da competição: em 2005, o São Paulo venceu o Athlético Paranaense e em 2006 o Internacional derrotou o São Paulo. Houve apenas uma outra final entre equipes do mesmo país (Argentina) na história deste torneio: em 2018, quando o River Plate bateu o Boca Juniors. 

Mais grana 

O Palmeiras ainda faturou R$ 123 milhões pela caminhada na competição, sendo R$ 82 milhões só pelo título. Já o Santos arrecadou R$ 74 milhões, sendo R$ 33 milhões, pelo vice campeonato. O time do litoral paulista vai precisar buscar uma vaga na próxima Libertadores através do Campeonato Brasileiro, no qual se encontra hoje fora da zona de classificação à próxima edição. 

Mundial 

O Mundial de Clubes começa nesta quinta-feira (4), às 11h. O Tigres, do México, enfrenta o Ulsan, da Coreia do Sul, e o vencedor será o adversário do Palmeiras nas semifinais, domingo, dia 07/02, às 15h. O outro jogo das quartas de final, também na quinta-feira, reúne o Al Duhail, do Catar, e o Al Ahly, do Egito. Quem vencer enfrenta o Bayern de Munique nas semifinais, segunda-feira. O verdão terá a chance de conquistar o título inédito do torneio.

Pós Jogo 

Marinho foi eleito o craque do campeonato. Ele pediu desculpas aos torcedores pela atuação: “Hoje não consegui ser o Marinho” – Repordução/Conmebol

O auxiliar e irmão do técnico Cuca, o Cuquinha, disse que a expulsão do treinador desestabilizou o time:

“Desestabiliza, é o comandante, responsável por toda a trajetória. Lógico que desestabiliza. Não é jogar a culpa no árbitro, mas atrapalhou e influenciou. Não tenho nem dúvida”

afirmou Cuquinha

A comemoração do Palmeiras teve ligação do presidente de Portugal para parabenizar o técnico português Abel Ferreira pelo primeiro título da carreira, dança dos jogadores, choro do treinador, de jogadores e até de digital influencer. Nas celebrações teve ainda jogador virando cinegrafista, torcedor se ajoelhando em plena Marginal, via importante de São Paulo, para reverenciar o ônibus do Palmeiras, festa no vestiário, nas ruas e muito mais. Confira: 

Jogadores do Palmeiras dando o tradicional banho gelado no treinador campeão – Foto: Conmebol
Abel Ferreira se emociona ao conquistar o primeiro título da carreira. Ele foi o terceiro não sul-americano a ser campeão da competição – Crédito: Twitter Libertadores BR 
Torcedor reverencia ônibus do Palmeiras em via importante de São Paulo – Foto: Murilo Dias
Allianz Parque, casa do Palmeiras, também festejou o título – Foto: Daniel Cardoso
Digital Influencer chora com ao ver o Palmeiras ganhar a Libertadores – Crédito: Rafael Augusto 
Patrick de Paula virou cinegrafista e gravou a comemoração dos jogadores no campo – Crédito: TV Palmeiras 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s