Novas formas de relacionamento na quarentena

Já pensou em começar a namorar na pandemia ou fazer uma surpresa para aquela pessoa especial?

Por Bárbara Scarpa

A pandemia afetou a vida de toda a população em vários âmbitos sociais. A maioria das pessoas teve que se adaptar a novas formas de se relacionar, seja quem já estava em um namoro, ou quem gostaria de conhecer alguém, ou a saudade dos amigos.

Desde março de 2020, vimos o crescimento significativo de usuários de aplicativos de relacionamento. De acordo com um levantamento do Tinder, o número de conversas na plataforma aumentou em média 25%, se comparado ao período anterior ao isolamento, e o papo está cerca de 20% mais longo. E segundo matéria da CNN, 62% dos brasileiros admitiram que o período de solidão os motivou a iniciarem uma busca por romance. Em um recorte com os usuários da plataforma do aplicativo Happn, 56% disseram estar conversando por mais tempo e 63% acreditavam que a quarentena aumentaria o vínculo afetivo com as paqueras.

E no meio de uma pandemia, o amor pode acontecer? A estudante de Jornalismo da Facha, Thamily Freitas, de 20 anos, que conheceu a namorada Victória pelo Facebook Dating, uma plataforma dentro do próprio Facebook, acredita que sim. O que mais a motivou a começar um namoro foi “toda a sintonia, o que foi surgindo entre a gente, toda a conexão, não deu para ignorar. Então decidimos que não valia a pena deixar algo tão bonito e sincero passar. E estávamos certas”. 

Victória e Thamily Freitas juntas no Aterro do Flamengo (Foto: arquivo pessoal)

Ela declara que não teve muitas dificuldades em relação a pandemia, pois sempre se encontrava com a namorada, mas desabafa que “a maior dificuldade é em relação à minha família que não aceita minha sexualidade. Eles não me impedem de vê-la nem nada do tipo, mas não me dão nenhum suporte e nem consideram a possibilidade de conhecê-la, então é uma situação um pouco mais complicada. Mas a gente sempre encontra um jeito de contornar”.

Já a história da personal trainer, Stephany Silva foi um pouco diferente. Ela estava há mais de 9 anos solteira e não imaginava começar um relacionamento na pandemia. “A Adrielle surgiu do nada no meu Twitter, ela gostou e ficou por lá. Quando ela começou a me seguir e interagir fui olhar o perfil dela e pensei que ela era fake. Nos conhecemos em setembro do ano passado e desde então, estamos juntas. Eu vim de mais de 9 anos solteira então não era uma carência, mas aconteceu de forma natural que quando nos assustamos já estávamos fazendo 3 meses juntas, foi até um episódio engraçado quando percebemos isso.”

O que mais deixa Stephany feliz é “saber que eu consegui uma pessoa parceira, respeita minhas escolhas, ela me impulsiona a crescer a viver meus sonhos e não deixa de viver os sonhos dela”, declara. 

COMEMORAÇÕES ONLINE

O isolamento social afetou muitos relacionamentos e a maioria das pessoas que teve que passar por esse momento sozinha, se sentiu carente e a saída para encontrar as pessoas queridas era ligação de vídeo por celular ou reuniões online pelo computador.

A publicitária Gabriela Lírio gostou da experiência de reunir os amigos por vídeo chamada, “Foi tudo muito novo, fizemos pelo Zoom e eu nem sequer tinha usado essa plataforma até aquele momento, foi algo diferente do que já fiz. Inclusive, tenho interesse de fazer novamente. A festa foi um “Comida Oculta”. Minhas amigas do Ensino Médio e eu mantemos um grupo de contato, mas como cada uma seguiu um caminho fazia alguns meses que nem todas estavam presentes nas festas de aniversário ou encontros, foi aí que resolvemos fazer uma videoconferência porque dava pra todas participarem e resolvemos presentear umas às outras, a forma mais fácil foi com comida, pelo iFood”.

Gabriela Lírio (segunda à esquerda) junto com suas amigas na “comida oculta” (foto: arquivo pessoal)

E são várias as alternativas para reunir os amigos e presentear uma pessoa querida. No aniversário da jornalista Beatriz Froes, a namorada e suas amigas decidiram fazer uma surpresa para ela. Um carro de som com direito a tudo: vela de 3 metros de altura, músicas selecionadas especialmente para ela e a mensagem feita pelas amigas. 

A aniversariante se surpreendeu e declarou que “foi um dos aniversários mais incríveis que já tive. Todo ano eu faço festa e sempre está todo mundo junto, então era muito mais fácil de reconhecer a consideração das pessoas por mim. Dessa vez, tudo me surpreendeu de uma forma muito intensa, já que foi possível perceber mais ainda que mesmo longe as pessoas que me amam fizeram de tudo pra que eu sentisse a presença e carinho deles da mesma forma. Não tinha como eu não achar incrível as surpresas, incluindo o carro de som.”

Receber um carro de mensagem ao som de Barões da Pisadinha e parabéns da Xuxa, não é qualquer presente. Beatriz admite que “a intenção dos meus amigos era me fazer pagar mico, mas fiquei muito feliz e fiz do mico o meu momento. Eu simplesmente amei com todo meu coração e eu sou imensamente grata por todos que participaram e fizeram de tudo pela minha felicidade. Só quem estava perto conseguiu ter ideia da força que meu sorriso tinha. Vou guardar tudo com muito amor dentro das minhas lembranças.”

Vídeo: arquivo pessoal

Fazer essa surpresa não foi fácil, a namorada de Beatriz, Renata Pfisterer, estudante de cinema, declarou que “a ideia de mandar o carro de mensagem veio por uma conversa com minha amiga Alê, na brincadeira mesmo. Juntas, decidimos reunir mais alguns amigos dentro dessa surpresa. Eu comecei a pesquisar sobre esses carros de mensagem, liguei para vários até encontrar um que estivesse funcionando no dia. Assim que encontrei, entrei em contato o mais rápido possível e começamos de fato a planejar tudo, músicas que queríamos. Nosso intuito era fazê-la feliz, se sentir abraçada por todos nós que estamos longe. Fico com o coração quentinho por ter conseguido transmitir esse carinho e amor pelos gestos de mandar coisas para casa dela”.

Beatriz Froes no seu aniversário surpresa (Vídeo: arquivo pessoal)

A antropóloga e pesquisadora da USP, Denise Pimenta analisa “o que estamos vivendo agora, talvez seja, quando um evento extraordinário, um fenômeno extraordinário, ele tende a ganhar ares de ordinário, de cotidiano. Então a gente passa a se adaptar ao que era extraordinário. E aí a gente vai tornando o extraordinário, cotidiano. Então, vários tipos de relações se transformaram. Porque eventos extraordinários transformam relações. Seja crises econômicas, desavenças políticas. Obviamente as relações se modificaram, mas dificilmente são modificações que terão, ao meu ver, futuro. Então assim, não acredito que as pessoas, os amigos, as namoradas, namorados, vão preferir encontros virtuais do que encontros presenciais.”

A pandemia dificultou e ainda dificulta muito a vida das pessoas que querem estar perto e presentes, mas também mostrou que quem ama e quer a felicidade do próximo, faz surpresas, manda carta, carro de som, flores, comida, qualquer presente para demonstrar que está presente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s