Retrospectiva carioca no Brasileirão 2020: Botafogo rebaixado antecipadamente e Vasco na última rodada

Foto de capa: Reprodução/O Globo

Por Gabriel Orphão

O período de 2020/2021 do futebol brasileiro não vai deixar boas lembranças para duas equipes cariocas: o Vasco da Gama e o Botafogo. Os dois times tiveram um rendimento bem abaixo do esperado, terminaram a temporada sem conquistas, e ainda com o rebaixamento, de ambos os times, para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. 

Botafogo 

O Botafogo de Futebol e Regatas teve, em 2020/21, uma das piores temporadas de toda sua história.  O Glorioso iniciou o ano com o Campeonato Carioca, e teve sua primeira derrota na Taça Guanabara no dia 18 de janeiro, quando perdeu por 1 a 0 para o Volta Redonda. Na rodada seguinte, mais uma derrota, dessa vez para o Madureira, por 2 a 0. A primeira vitória do ano veio apenas na 3ª rodada, quando o alvinegro bateu o Macaé por 3 a 1, e assim seguiu, terminando a fase de grupos da competição em 3º lugar, não disputando as semifinais. 

No dia 30 de janeiro, o Botafogo anunciou a principal contratação do clube: o japonês Keisuke Honda, que estava no Vitesse, da Holanda. O ex-atleta do Milan (ITA) foi recebido com uma grande festa: cerca de 2 mil torcedores marcaram presença no aeroporto do Galeão, com muitas bandeiras do Japão e gritos de apoio ao novo reforço do Glorioso, que optou pela escolha da camisa de número 4. 

Torcida do Botafogo lotou o aeroporto do Galeão para receber Keisuke Honda – Foto: Davi Barros/GloboEsporte

Porém Honda só foi estrear com a camisa do Glorioso no dia 15 de março, quando o Botafogo – que vinha de uma derrota por 3 a 0 para o Flamengo no último jogo – bateu o Bangu por 1 a 0, na terceira rodada da Taça Rio. Na ocasião, o japonês converteu seu primeiro gol com a camisa do alvinegro, em uma cobrança de pênalti.  

O Botafogo terminou a Taça Rio com a segunda colocação do grupo A, e se classificou para as semifinais. Contudo nos cinco jogos da fase de grupos, o Glorioso teve resultados bem abaixo do esperado: conseguiu apenas duas vitórias, dois empates e uma derrota nesta fase da competição. Na semifinal, empatou em 0 a 0 com a equipe do Fluminense, e acabou sendo eliminado da competição. A equipe tricolor tinha a vantagem do empate por ter garantido melhores resultados na fase de grupos. 

Fred e Honda (ao fundo) durante Fluminense x Botafogo pela semifinal da Taça Rio – Foto: André Durão/GloboEsporte

Passada a frustação com os péssimos resultados no Campeonato Carioca, o Botafogo tinha um novo compromisso: a Copa do Brasil. O alvinegro estreou na competição no dia 5 de fevereiro, enfrentando a equipe do Caxias, e se classificou com um empate por 1 a 1. Na segunda fase, enfrentou o Náutico, no Estádio dos Aflitos, e empatou novamente por 1 a 1. Nos pênaltis, o Glorioso venceu por 4 a 3. Pela terceira fase, já com jogos de ida e volta, venceu o Paraná Clube nos dois jogos: 1 a 0 no Nilton Santos, em março, e 2 a 1 no Durival Britto, em agosto, por conta da parada no calendário pela pandemia do COVID-19, se classificando para a quarta fase da competição. 

Na fase de pré-oitavas, o alvinegro teve um velho conhecido como seu adversário: enfrentou o Vasco da Gama, e venceu o rival por 1 a 0 no Estádio Nilton Santos. Na partida de volta, empatou em 0 a 0 e eliminou o Cruzmaltino da competição. Nas oitavas de final, enfrentou o Cuiabá, que na época era líder da Série B do Campeonato Brasileiro, e foi derrotado por 1 a 0 no Rio de Janeiro, no jogo de ida. Na partida de volta, empatou em 0 a 0 com o clube da região centro-oeste do país, e acabou sendo eliminado da competição. 

Keisuke Honda durante Botafogo x Cuiabá, jogo no qual o alvinegro foi eliminado da Copa do Brasil – Foto: Vitor Silva/Botafogo 

Pelo Campeonato Brasileiro, a situação do clube da estrela solitária era pior do que se imaginava: passou grande parte da competição na zona de rebaixamento, e teve um desfalque de peso: no dia 30 de dezembro, Keisuke Honda anunciou sua despedida do clube, e disse ter se decepcionado. Com todos esses acontecimentos, o alvinegro bateu o recorde sendo o campeão brasileiro a ter seu rebaixamento decretado mais precocemente. O Glorioso foi oficialmente rebaixado na 34ª rodada, após derrota para o Sport por 1 a 0 no Nilton Santos. O clube encerrou o campeonato na última colocação, com 38 jogos disputados, apenas 5 vitórias, 12 empates e 21 derrotas, tendo um aproveitamento de 23,7%, o pior da história do clube. 

Após o rebaixamento, a diretoria anunciou a saída do treinador Eduardo Barroca. Porém, com dificuldades financeiras e muitos técnicos recusando o clube, o Botafogo teve que jogar as últimas 4 rodadas do Campeonato Brasileiro com um técnico interino: o ex-jogador do clube, Lúcio Flávio, foi contratado para ser o auxiliar permanente do Glorioso. 

No dia 19 de fevereiro, o clube anunciou a contratação do técnico Marcelo Chamusca, ex-treinador do Cuiabá, e começou seus preparativos para a temporada de 2021. 

Vasco da Gama 

O Vasco iniciou o ano de 2020 sob o comando do experiente treinador Abel Braga, que havia sido demitido do Cruzeiro no final do ano anterior, e foi contratado para substituir Vanderlei Luxemburgo. Ainda no final de 2019, o presidente Alexandre Campello anunciou a contratação do atacante Germán Cano, que foi recebido com uma grande festa da torcida vascaína no aeroporto. O argentino foi a principal opção ofensiva do Cruzmaltino, e terminou a temporada com 23 gols, sendo o artilheiro da equipe. 

Germán Cano foi recepcionado com uma grande festa pela torcida do Vasco – Foto: Fred Gomes/GloboEsporte

Ainda em janeiro, o Vasco estreou no Campeonato Carioca com resultados não muito agradáveis: empatou sem gols com o Bangu em São Januário, na partida de estreia da competição, e perdeu por 1 a 0 o primeiro clássico para o Flamengo que, por conta de sua participação no Mundial de Clubes de 2019, jogou grande parte da competição com atletas da base. A primeira vitória do ano veio apenas na terceira rodada, quando venceu o Boavista por 1 a 0 em Cariacica, Espírito Santo, com gol marcado por Germán Cano nos acréscimos do segundo tempo. Na quinta rodada da Taça Guanabara, o Cruzmaltino perdeu seu segundo clássico no ano: foi derrotado para a equipe do Botafogo por 1 a 0 no Estádio Nilton Santos, e acabou sendo eliminado das semifinais da competição.  

Já na Copa Sul-Americana, a equipe acabou estreando com vitória por 1 a 0 sobre o Oriente Petrolero (BOL), em São Januário, no jogo de ida da primeira fase do torneio. No jogo de volta, empatou em 0 a 0 com a equipe boliviana, em partida marcada por um caso de racismo contra o goleiro reserva da equipe cruzmaltina, Alexander. 

Perfil oficial do Vasco emitiu uma nota de repúdio contra o racismo

No final de fevereiro, o gigante da colina anunciou mais uma contratação de peso: o meia-atacante Martín Benítez. O argentino, que estava no Independiente (ARG), veio por empréstimo ao Cruzmaltino, e assumiu a camisa 10 da equipe. 

Benítez em seu primeiro treino pelo Vasco – Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco 

Pela Copa do Brasil, o Vasco avançou nas duas primeiras fases com bastante dificuldade e diversas críticas dos torcedores por conta das atuações da equipe: Na primeira fase, empatou em 1 a 1 com o Altos no Estádio Albertão, no Piauí. Na segunda fase, venceu o ABC por 1 a 0 no Maracanã, e garantiu sua classificação para a próxima etapa da competição. No Campeonato Carioca, o Cruzmaltino mais uma vez não conseguiu se classificar para as semifinais, dessa vez da Taça Rio, e foi eliminado da competição após sua 3ª derrota em clássicos no ano, desta vez para o Fluminense. 

Por conta de resultados ruins e problemas extracampo, o Vasco anunciou no dia 16 de março a saída do treinador Abel Braga, que comandou a equipe por 14 jogos, sendo 4 vitórias, 5 empates e 5 derrotas. Para a sua vaga, o Vasco procurou uma solução caseira, e efetivou o auxiliar técnico Ramon Menezes, que chegou a treinar a equipe em 2018, após a saída do treinador Valdir Bigode. Porém Ramon não conseguiu fazer a sua estreia ainda em março, pois os campeonatos foram paralisados devido a pandemia do COVID-19, e retornaram apenas em junho. 

Na volta da Taça Rio, o já eliminado Vasco da Gama cumpriu tabela e venceu os seus dois compromissos restantes, já com o técnico Ramon Menezes efetivado: Macaé, onde ganhou por 3 a 1, e o Madureira, onde superou por 1 a 0. Todos os gols marcados pela equipe cruzmaltina vieram do atacante Germán Cano. Em agosto, o Vasco estreia em alto nível no Campeonato Brasileiro, e assume a liderança da tabela na quarta rodada, o que levou muitos torcedores a elogiarem o trabalho do novo treinador, e criarem o “Ramonismo”. 

Torcedor vascaíno comemora a liderança da equipe, e diz estar “ramonizado”, dando referência a um bom trabalho do técnico Ramon Menezes

Além da liderança do Campeonato Brasileiro, o Vasco bateu o Goiás na Copa do Brasil, e se classificou para a quarta fase da competição. Porém, acabou empatando com o Botafogo em 0 a 0, e foi eliminado do torneio. No dia 8 de outubro, Ramon Menezes foi demitido da equipe por conta da eliminação da Copa do Brasil e de maus resultados no Campeonato Brasileiro, que levaram a equipe para a parte inferior da tabela. Para o seu lugar, foi contratado o português Ricardo Sá Pinto. 

Em novembro, pela Copa Sul-Americana, o Vasco enfrentou o Caracas (VEN) e empatou em 0 a 0, se classificando para as oitavas de final da competição, onde enfrentou o Defensa y Justicia (ARG). O Cruzmaltino empatou em 1 a 1 no jogo de ida, em Buenos Aires, e foi derrotado por 1 a 0 em São Januário, dando fim a sua trajetória na competição. 

Ricardo Sá Pinto durante a derrota para o Defensa y Justicia, que eliminou o Cruzmaltino da Copa Sul-Americana – Foto: Staff Images/CONMEBOL 

Porém, o principal assunto do mês de novembro foi nos bastidores: as eleições presidenciais. Cinco candidatos estavam concorrendo ao cargo: Jorge Salgado, Julio Brant, Alexandre Campello, Sergio Frias e Luiz Roberto Leven Siano. Este último, foi o candidato mais votado no primeiro dia das eleições. Porém, a eleição foi interrompida antes do fim por decisão do Superior Tribunal de Justiça. Todavia, os integrantes da mesa diretora decidiram reiniciar o pleito. Na contagem dos votos, Leven Siano foi o vencedor. Porém, nas eleições virtuais, Jorge Salgado foi o mais votado, e acabou sendo eleito o 45º presidente do clube. O Partido dos Trabalhadores (PT) chegou a entrar com uma ação para fazer Leven ser declarado vencedor das eleições e assumir a presidência do clube. Porém, acabou desistindo da ideia. 

Partido dos Trabalhadores anuncia que não irá interferir nas eleições do Vasco

Em dezembro, a Justiça do Rio declarou Jorge Salgado como o novo presidente do Clube de Regatas Vasco da Gama, e deu fim às confusões envolvendo as eleições presidenciais. Dentro dos gramados, o clube vinha com resultados ruins no Campeonato Brasileiro, o que levou o Cruzmaltino a terminar o ano de 2020 na Zona de Rebaixamento.  

Devido aos resultados abaixo do esperado, o clube optou pela demissão do técnico Sá Pinto, que deixou a equipe com 15 jogos disputados, 3 vitórias, 6 empates e 6 derrotas, e apenas 23,1% de aproveitamento. Para o seu lugar, o novo presidente, Jorge Salgado, optou pela contratação do treinador Vanderlei Luxemburgo, que chegou para a sua segunda passagem em São Januário. Assim como Ricardo Sá Pinto, os atletas Ribamar, Breno, Ramon e Fellipe Bastos também deixaram a equipe. Depois de uma longa novela, o Vasco anunciou a renovação no contrato do atleta Martín Benítez, que ficará na equipe até junho. 

No começo de 2021, com apenas o Campeonato Brasileiro para focar, o Vasco da Gama teve seus altos e baixos até o final de janeiro, quando, em 6 jogos, possuía 2 vitórias, 2 empates e 2 derrotas. O mês de fevereiro foi marcado pela derrota por 2 a 0 para seu maior rival, o Flamengo, o que empurrou o Cruzmaltino ainda mais para a zona de rebaixamento. Na rodada seguinte, um confronto direto pela briga para sair do Z4, contra o Fortaleza, onde a equipe tricolor levou a melhor e venceu o Vasco por 3 a 0. 

Na 36ª rodada, o gigante da colina enfrentou o então líder do campeonato, Internacional, e obteve uma torcida maior do que o normal: além de seus torcedores, obteve o apoio de grande parte dos flamenguistas, que dependiam de uma vitória de seu rival para alcançar a liderança do campeonato. Porém, em jogo marcado por pênalti perdido por Germán Cano, a equipe do Rio Grande do Sul derrotou o Cruzmaltino por 2 a 0, e complicou a situação do clube carioca no campeonato. 

Thiago Galhardo, do Internacional, comemora seu gol sobre o Vasco da Gama – Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Na penúltima rodada do campeonato, o Vasco enfrentou o Corinthians, na Neo Química Arena, e precisava de uma vitória, senão seria virtualmente rebaixado. Porém, acabou empatando com a equipe paulista em 0 a 0, e tornou sua situação praticamente impossível de se reverter. Bastava vencer o duelo contra o Goiás na última rodada, torcer para uma derrota do Fortaleza, e tirar a diferença de 12 gols de saldo, algo praticamente impossível. Na tentativa de fazer um milagre, o Vasco acabou vencendo o Goiás por 3 a 2 em São Januário, mas não conseguiu evitar o seu 4º rebaixamento para a segunda divisão do futebol brasileiro.  

Assim como ocorreu em 2008, 2013 e 2015, o Vasco da Gama precisará se reerguer para voltar novamente à elite do futebol nacional. Porém, com diversos clubes de alto patamar na Série B, como Botafogo e Cruzeiro, a situação não será tão fácil assim. Resta à diretoria confiar no potencial de sua comissão e de seus atletas. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s