Dentil/Praia Clube e Itambé/Minas vencem e farão da final um clássico mineiro na Superliga Feminina

Foto de capa: Reprodução/CBV 

Por Armando Edra e Leo Bronstein   

A final da Superliga Feminina 2021 está definida após a conclusão antecipada da série de três partidas no jogo 2 e será um clássico mineiro. No último domingo (28), Dentil/Praia Clube foi a primeira equipe a garantir vaga na grande decisão com vitória tranquila sobre o time de Osasco São Cristóvão Saúde por 3 sets a 0 (25/12, 25/18 e 25/22), enquanto a equipe Itambé/Minas suou para vencer o Sesi Vôlei Bauru por 3 sets a 2 (17/25, 25/22, 17/25, 25/17 e 15/8) de virada.  

Dentil/Praia Clube x Osasco São Cristóvão Saúde 

A central Carol foi, mais uma vez, o destaque do Praia Clube na semifinal contra Osasco – Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV 

Essa semifinal era considerada pelos especialistas e fãs de voleibol como a mais equilibrada e acabou sendo o oposto do que todos imaginavam. O Praia Clube dominou o Osasco nas duas partidas realizadas e não deu margem para erros, sendo a melhor atuação do time na competição, tanto individualmente como no coletivo. Claudinha e Brayelin Martinez se destacaram, mas a central Carol, assim como na primeira partida da série, teve uma grande atuação e ficou com o Troféu Viva Vôlei de melhor jogadora da partida. A atacante deixou o confronto com 15 pontos (10 de ataque, quatro de bloqueio e um de saque). Ao final do jogo, ela comemorou a atuação de suas companheiras e a classificação para a decisão de mais uma Superliga Banco Do Brasil. 

“O nosso time está de parabéns. Jogamos como uma equipe, e quem entrou em quadra deu conta do recado. O time de Osasco também tem uma equipe forte, e sabíamos que seria uma série difícil. Conseguimos manter o foco na partida, e o nosso saque funcionou para tirar o passe das mãos da Roberta. Agora vamos descansar para jogar a final”, disse Carol ao SporTV. 

Do lado do Osasco, a falta de Jaqueline foi muito sentida. Ela não pôde entrar em quadra devido a uma lesão adquirida na primeira partida. Desde o início, a equipe teve uma atuação muito fraca e não conseguiu se recuperar em nenhum momento do jogo. A má atuação abateu demais as jogadoras, e, no caso da ponteira Gabi Cândido, levou-a às lagrimas enquanto deixava a quadra ainda no primeiro set. 

Sesi Vôlei Bauru x Itambé/Minas 

Thaisa, do Itambé/Minas, vibrando com seu ponto na disputada partida contra o Sesi Vôlei Bauru – Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV 

Tudo parecia levar para mais uma vitória tranquila do Itambé/Minas, mas a segunda partida da série contra o Sesi Vôlei Bauru foi mais acirrada do que o previsto. Devido à própria instabilidade, o Minas sofreu durante toda a partida, perdendo o primeiro e o terceiro sets por 25 a 17, sempre precisando correr atrás do placar. Só tomou o controle da partida no quarto set, com destaque para a oposta norte-americana Dani Cuttino, que teve um péssimo início no jogo e foi decisiva no tie-break

O primeiro set começou a ferro e fogo, com um ponto espetacular do time de São Paulo, que iniciou com um domínio total do jogo. Tifanny e Dani Lins, jogadoras do Bauru, estavam com força máxima. O time de Minas Gerais parecia perdido na quadra. O jogo era quente, e as duas equipes possuíam muita velocidade e estratégias para pontuar. Final: 25 a 17 a favor do Bauru. Já o segundo set começou com tudo a favor do Minas. O Bauru também voltou a todo vapor para o tempo seguinte, diminuindo para 3 a 2 com a ponteira Megan, que também empatou em 3 a 3. O time mineiro, mesmo com uma melhora, ainda tinha algumas falhas de defesa no seu campo. Placar final de 25 a 22 para a equipe mineira, engrossando a partida: empate em 1 a 1 nos sets. 

Pelo terceiro tempo, o Bauru começou ativo e ligado, já abrindo três pontos de vantagem. O time do Minas, novamente, voltou perdido em quadra, mas retomou o que conseguiu no segundo set com os pontos de saque, contando com mais um ponto de Megan. Os dois times também focaram bastante em desarmes rápidos e bloqueios. Final: 25 a 17 para o Bauru e manutenção do placar favorável (2 sets a 1) à equipe paulista. Contudo o Minas voltou com tudo para conseguir o resultado final. Tiffany, novamente, conseguiu fazer bem o papel de bloqueio para o time de São Paulo. Leia, do Minas, também ia se destacando nos desarmes do ataque adversário, e a equipe mineira conseguiu os pontos necessários. O final do set foi favorável ao Minas, 25 a 17 e novo empate em 2 a 2.  

No tie-break, as duas equipes buscaram sempre as melhores jogadas para realizar pontos a seu favor e bagunçaram a defesa adversária. Havia vários pontos de bloqueio. Por fim, o Minas Tênis Clube garantiu vaga na final da Superliga Feminina, com placar em pontos de 15 a 8 e, em sets, de 3 a 2. 

A central Thaisa, bicampeã olímpica, liderou a equipe do Minas e contribuiu com 14 pontos na partida, levando o Troféu Viva Vôlei. Após o término do jogo, ela analisou o desempenho da equipe diante da superação que precisaram. 

“Sabíamos que seria um jogo digno de uma semifinal como realmente aconteceu na partida de hoje. Elas entraram com tudo porque era a última chance. O Sesi Vôlei Bauru sacou muito bem, mas nos juntamos e jogamos como equipe. Todas no nosso time jogaram juntas por um único objetivo, e esse foi o diferencial da partida”, afirmou Thaisa para a equipe de reportagem do SporTV. 

Confira os dias e horários das três partidas da grande final: 

02/04 – Minas x Praia Clube – 21h30 
04/04 – Praia Clube x Minas – 21h30 
06/04 – Minas x Praia Clube – 21h30 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s