Especial Esports Em todo lugar – CS:GO

Foto de capa: Paradoxal News 

Por Gabriel Orphão 

Em Todo Lugar preparou uma sequência de matérias sobre os principais times e jogadores brasileiros do cenário competitivo do Counter-Strike: Global Offensive. Mesmo com bastantes fãs ao redor de todo o mundo, muitas pessoas não conhecem o CS:GO. Com isto, fizemos uma matéria especial para os novatos conhecerem melhor o principal jogo de FPS do planeta. 

Como funciona? 

De uma maneira bem básica, o CS:GO é um jogo de polícia e ladrão e possui diversos modos de jogo. O principal deles é o modo competitivo, que é o único utilizado pelos atletas profissionais na disputa de campeonatos. Nele, duas equipes se enfrentam: Os terroristas (abreviado como TR) e os contraterroristas (abreviado como CT).  

Durante uma partida, cada equipe conta com cinco atletas. Porém as principais organizações de eSports vêm investindo bastante em duas pessoas extras para comporem seus times: o treinador, que fica dentro da partida, como espectador, para auxiliar os seus atletas, e o sexto player, que é um reserva e pode atuar como titular dependendo do mapa e do jeito que a equipe treina. 

O modo competitivo do CS:GO é divido em 30 rounds, de dois minutos de duração cada um, em que a primeira equipe a vencer 16 rounds ganha a partida. Caso haja um empate, por 15 a 15, será necessária a disputa de uma prorrogação, que possui 6 rounds. Caso ocorra mais um empate, outra prorrogação, e assim por diante, até se ter um vencedor. 

Para garantir um round, as equipes têm que eliminar todos os atletas do time adversário. Porém os jogadores da equipe terrorista podem armar uma C4 (bomba) e tentar fazer com que ela exploda, fazendo a equipe TR ganhar o round mesmo sem eliminar todos os jogadores adversários. A equipe dos contraterroristas pode ganhar um round desarmando a bomba que foi plantada pelos seus adversários. 

Atualmente, o CS:GO possui sete mapas principais, que são utilizados em todos os campeonatos disputados: VertigoDust 2InfernoMirageNukeOverpass e Train

Como funcionam os campeonatos? 

Existem diversas formas de se organizar um campeonato de CS:GO, e cada empresa organizadora faz os seus torneios de uma forma diferente. Os formatos mais comuns são o suíço (os times são divididos em grupos e os que tiverem três vitórias se classificam para os playoffs, enquanto os com três derrotas são eliminados) e o tradicional (os times são divididos em grupos e os dois melhores de cada grupo se classificam para os playoffs e os demais são eliminados). 

As partidas do cenário competitivo do game podem ocorrer com um diferente número de mapas. Na maioria dos torneios, os confrontos são MD1 (em que as equipes se enfrentam em apenas um mapa) na fase de grupos e MD3 (enfrentam-se em até três mapas) nas fases de playoffs. Em alguns campeonatos, a final é disputada numa MD5 (são jogados entre três e cinco mapas diferentes). Porém o formato “melhor de cinco” não é muito comum por ser bem desgastante, tanto para os atletas quanto para o público que assiste. 

Andrei “arT” Piovezan, capitão da FURIA, principal equipe brasileira de CS:GO, comemora vitória em um round durante a StarSeries iLeague Season 8 – Foto: Reprodução/HLTV.org 

O campeonato mundial 

Valve, empresa desenvolvedora do CS:GO, realiza, duas vezes por ano, os campeonatos mundiais do game, conhecidos como Majors. Cada um desses torneios é organizado por uma empresa diferente, em países diferentes, e todos dão premiação de 1 milhão de dólares para as equipes, sendo 500 mil dólares (cerca de 2,8 milhões de reais) ao campeão. 

Por conta da pandemia da COVID-19, os dois campeonatos mundiais de 2020 foram cancelados. O primeiro deles seria realizado em maio pela empresa alemã ESL e aconteceria no Rio de Janeiro, sendo o primeiro Major disputado em um país da América do Sul. O segundo torneio do ano acabou não tendo data nem local divulgado, tendo em vista que seria impossível realizá-lo com presença de público em qualquer lugar do mundo. 

O último campeonato mundial disputado foi o Starladder Major 2019, em Berlim (Alemanha), em agosto de 2019, e foi vencido pela equipe dinamarquesa da Astralis. Os dois Majors anteriores a este foram o IEM Katowice 2019 (realizado em fevereiro de 2019, na Polônia) e o FACEIT London 2018 (realizado em setembro de 2018, na Inglaterra), e estes dois torneios também foram vencidos pela Astralis

Jogadores da Astralis comemoram a conquista do Starladder Major: Berlim 2019 Foto: Reprodução/HLTV.org 

Desde sua primeira participação, em 2015, o Brasil conseguiu obter três grandes resultados: em 2016, a equipe da Luminosity Gaming (FalleNfercoldzeraTACOfnx zews) foi a campeã do MLG Columbus 2016 (realizado em março, nos Estados Unidos). No mesmo ano, os cinco atletas foram comprados pela SK Gaming e conquistaram o segundo Major do ano: bateram a Team Liquid na grande final e foram os campeões do ESL One Cologne 2016 (disputado em julho de 2016, na Alemanha, país onde se localizava a sede da equipe dos atletas brasileiros). 

Em 2017, o Brasil conseguiu um vice-campeonato no PGL Major Krakow (disputado em julho, na Polônia) com a equipe da Immortals (kNgV-boltzsteelHen1Lucas1 zakk). Os brasileiros, que chegaram a vencer equipes com uma tradição enorme no cenário, como a Virtus Pro, foram derrotados na final pela equipe da Gambit eSports, que reunia atletas da Rússia, da Ucrânia e do Cazaquistão, em partida que ficou marcada por uma jogada de extrema inteligência de Mikhail “Dosia” Stolyarov, que eliminou dois brasileiros com uma granada e a explosão da bomba. 

Fer, coldzera, zews, FalleN, TACO e fnx foram os campeões do MLG Columbus 2016 e conquistaram o primeiro título mundial para o Brasil no CS:GO – Foto: Robert Paul/MLG 

O próximo campeonato mundial está marcado para outubro de 2021, será realizado em Estocolmo (Suécia) e será chamado de PGL Major Stockholm 2021. No momento, não há nenhuma equipe 100% garantida no torneio, mas as chances de classificação dos brasileiros da FURIA são bem altas. O MIBR, organização brasileira com maior número de torcedores, terá que passar por um duro caminho caso queira se classificar ao mundial. 

Glossário do CS:GO 

Ao longo de todas as matérias, serão utilizadas diversas gírias, comuns entre os jogadores e os fãs de Counter-Strike: Global Offensive. Por isso, deixamos um glossário com os principais termos relacionados ao jogo: 

TermoSignificado
ACEQuando um jogador mata todos os jogadores da outra equipe em uma só rodada. 
AWPA famosa sniper, arma com mira que pode matar um inimigo com apenas um tiro. 
AWPerO jogador do time especializado em jogar de AWP. Um bom exemplo de AWPer é o atleta da Team Liquid Gabriel “FalleN” Toledo. 
Backup/backPedir apoio a um atleta de sua equipe. 
BaitQuando um jogador é usado para atrair um adversário para uma situação desfavorável. 
Baiter  Jogador que se aproveita do bait do seu parceiro para matar os adversários.
BangarSinônimo de “flashar”, que é o ato de jogar uma flashbang (granada que cega no ato da explosão). 
BombAbreviação de bombsite. É o local onde os terroristas precisam plantar a bomba. Em cada mapa, existem dois bombs: o e o B
C4 A bomba que os terroristas têm que plantar nos bombsites para ganhar a rodada. 
ClutchQuando um jogador se encontra em uma situação de desvantagem numérica em um round
CoachO treinador da equipe.
CompleteO jogador que não faz parte de um time, mas está ali para completar temporariamente, na ausência do jogador titular. 
CT Abreviação de contraterrorista. 
Defuse/defusar Ato de um contraterrorista desarmar a bomba. 
Drop/dropar Pedir para um companheiro de equipe te dar alguma arma, por estar com uma economia melhor.  
EcoQuando o time decide não comprar nada, por conta da má situação financeira da equipe em um determinado round. 
Entry Fragger O atleta que faz a função de abrir o bombsite. É o primeiro da fila, ganhando espaço e informação para que seus companheiros garantam o domínio do bomb. Um grande exemplo de entry fragger é o atleta da Godsent Epitácio “TACO” Pessoa. 
FakeJogadas com o intuito de enganar o adversário. 
Flash Abreviação de flashbang, granada de luz que deixa os adversários, temporariamente, cegos. 
Flick/flickshotQuando um jogador aponta, rapidamente, para um adversário e mata, normalmente com uma AWP. 
Forçar/forçado  Quando ninguém no time tem dinheiro suficiente para estar bem equipado, mas mesmo assim decidem arriscar, comprando o pouco que puderem.  
GGGood Game (bom jogo).
GH  GoodHalf (boa metade). É utilizado quando termina o primeiro tempo da partida. 
GL GoodLuck (boa sorte). 
HEGranadas explosivas que causam dano. 
HSAbreviação de headshot. É quando se acerta um tiro na cabeça de alguém.
HFHaveFun(divirta-se). 
HPHealth Point(pontos de vida). É o que indica a vida de seu personagem. 
IGLAbreviação de In-game Leader. É o jogador responsável por ser o líder de sua equipe, determinando o que cada atleta deve fazer nos rounds. Pode ser chamado de capitão.
LurkerAtleta responsável por jogar separado de sua equipe, seja para distrair os adversários do outro bombsite, seja para buscar os inimigos desprevenidos quando estiverem indo trocar de bomb.
MarotadoEstar escondido ou em um lugar em que o inimigo jamais vai imaginar.
Mata pomboGíria utilizada para se referir a scout (SSG 08), sniper que elimina os adversários com dois tiros no corpo ou um na cabeça.
MiadoQuando um jogador tomou dano e está com a vida baixa.
MolotovarQuando o atleta joga um coquetel molotov em alguma região do mapa.
NTNice Try(boa tentativa). Geralmente utilizado quando um atleta quase ganha um round.
Ninja defuseQuando os CTs desarmam a C4 sem que os TRs percebam.
No ScopeQuando se atira de snipersem utilizar o seu scope.
OTAbreviação para overtime. É a prorrogação de alguma partida.
OnetapQuando um jogador mata outro com apenas um tiro, e que seja headshot.
OnewayUma granada de fumaça bem lançada que permite a um jogador ver através dela sem que o adversário possa fazer o mesmo.
Pinou/pinar Errar tiros fáceis.
Pixel/abrir um pixel/marcar um pixelDe forma simplificada, pixel é o local onde o jogador pode estar, seja do próprio time ou do time adversário. Abrir um pixel seria como entrar em um local aberto, com cuidado, pois existem muitos locais onde o adversário pode estar. Marcar um pixel seria ficar parado, marcando apenas um local, que é onde pode surgir outro jogador.
Pop FlashFlashbangs que, quando jogadas de forma correta, fica quase impossível de o jogador adversário ter a reação de vê-la e virar o rosto.
Pro Jogador profissional.
PronetQuando o usuário joga como um profissional só na internet, mas na lan house não aparece ou tem um desempenho inferior.
Pré-FireQuando um jogador entra atirando, antes mesmo de avistar seu inimigo.
QueOtá?Termo criado pelo brasileiro Lucas “Lucas1” Teles e que se popularizou tanto no cenário nacional quanto no internacional. É utilizado quando alguém acerta um headshot de Desert Eagle (uma das principais pistolas do jogo) e elimina o adversário.
Recoil Sinônimo de recuo, ou seja, o coice que a arma dá quando se atira com ela.
RepickQuando um jogador aparece em um pixel para trocar tiro, consegue sair, mas volta logo em seguida.
Run BoostAproveitar um “boost” do companheiro para passar pulando por determinado ângulo, ganhando velocidade e tentando evitar ser atingido.
RusharInvadir algum lugar.
SmokarQuando o jogador usa a smoke (granada de fumaça) para tampar a visão de alguma região do mapa.
SpawnLocal onde o personagem nasce.
SprayContinuar atirando por longo tempo, sem parar.
StackQuando todos os contraterroristas ficam no mesmo bombsite. Geralmente, é feito em rounds econômicos, em que os CTs estão com poucas armas.
StrafeMover-se rapidamente, perto de uma parede, para conseguir informações ou para fazer o adversário errar o tiro.
Support/SuporteJogador responsável por auxiliar a equipe com as granadas em, praticamente, todos os rounds. Muitas vezes, este jogador deixa de comprar seus melhores armamentos para adquirir utilitários que favoreçam sua equipe.
TKAbreviação de teamkill– quando um jogador mata um colega de equipe (geralmente por acidente). 
TRAbreviação de terrorista. 
TekadoQuando um jogador já sofreu danos, ou seja, ele não está com vida cheia.
TradeMatar o adversário que executou seu companheiro, logo na sequência.
UtilitáriasTermo usado para descrever granadas, coletes, kits de defuse e outros equipamentos.
VaradoQuando um jogador dispara através de uma parede que permite a penetração de balas.
WalkQuando o jogador anda pressionando shift (ou outra tecla) para não fazer nenhum barulho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s