Com acidente chocante e vitória histórica, Stock Car realiza sua segunda etapa da temporada em Interlagos

Foto de capa: Reprodução/Esporte Goiano

Por Lucas Furtado Isaias 

O autódromo de Interlagos, na capital paulista, recebeu neste domingo (16/05) a 2ª etapa da temporada 2021 da Stock Car. Teve uma rodada dupla elétrica com direito ao primeiro piloto estrangeiro a vencer, de maneira individual, uma corrida e um acidente que assustou a todos.  

Na 1ª corrida em uma etapa com poucos acontecimentos, Gabriel Casagrande dominou tranquilamente a prova e venceu, mesmo sofrendo punição. Na segunda prova com disputas mais intensas pelas primeiras posições, o piloto da Fórmula E, Antônio Felix da Costa, que substituiu Ricardo Maurício nesta etapa por ter testado positivo, escreveu história ao vencer a corrida final marcada por um acidente envolvendo o carro de Gaetano Di Mauro.  

A etapa contou com uma novidade para a temporada: duas corridas com meia hora de duração mais uma volta final cada. O treino classificatório no sábado decidiu a formação do grid de largada da primeira prova. Na segunda prova, os dez melhores colocados da corrida anterior largaram em posições invertidas (o 1° em 10°, 2° em 9°, o 9° em 2°, o 10° em 1°, por exemplo) e do 11° em diante largam nas posições que completaram a prova inicial. 

1ª Corrida  

O começo foi tumultuado com várias batidas e com 30 segundos de prova, Cacá Bueno e Marcos Gomes acabaram saindo da pista empurrados pelo carro do Rubinho Barrichello em um destes incidentes. Cacá não conseguiu retornar à pista. Allam Khodair, que ficou com a segunda colocação por uma diferença de cinco milésimos do tempo de Gabriel Casagrande no treino classificatório, quase ultrapassou o pole position, mas o piloto da AMattheis Vouge Motor se segurou na ponta. Com cerca de três minutos de prova, Gomes e Barrichello, com os carros avariados pelo acidente na largada, abandonaram a prova.  

Na 7ª volta, Ricardo Zonta e Thiago Camilo brigaram pela terceira colocação, mas o piloto da RCM Motorsport empurrou o carro de Camilo para fora da pista, o que o fez sair da briga pela pontuação e Zonta ser punido no fim da prova com a perda de 10 segundos do tempo final. 

A briga pela liderança de Casagrande e Khodair persistiu durante toda a corrida e esquentou na reta final com a punição que Casagrande sofreu de perda de 5seg sob o resultado final na corrida pela batida com o carro do Diego Gomes no começo da prova. A diferença no momento da punição era de mais de 5min e diminuiu por alguns momentos, mas o uso do push fez com que a diferença aumentasse a partir dos 25min transcorridos de prova. Nos segundos finais a diferença se estreitou e realimentou as esperanças de Khodair conseguir vencer, mas Gabriel Casagrande cruzou a bandeira e ficou com 539seg a frente, mesmo com a punição.  

Durante a etapa, outras brigas impactaram a corrida, paralelamente, como a pelo terceiro lugar entre Bruno Baptista e Cesar Ramos e a do convidado Antônio Félix da Costa por posições no pódio. Bruno conseguiu terminar na terceira colocação e Félix terminou na nona colocação, apesar de em alguns momentos ter conseguido a oitava posição, mas foi ultrapassado por Pedro Cardoso. Thiago Camilo que foi atingido por Zonta terminou em 11°.  

2ª Corrida  

O começo da prova foi tranquilo, diferente da primeira corrida, mas um acidente com 1min30seg transcorridos envolvendo vários carros tirou Sérgio Jimenez da prova devido aos estragos que sofreu o seu carro. No começo da segunda volta, Gabriel Casagrande tentou ultrapassar Bruno Baptista, mas não conseguiu e precisou usar a área de escape na curva do S do Senna para não perder a décima posição para Felipe Massa, logo em seguida Casagrande perdeu posições na prova. 

A briga pela segunda posição foi muito intensa, mas Antônio Felix da Costa perdeu a vice-liderança da prova para Pedro Cardoso. Na quarta volta, o português tentou retomar a sua posição anterior, mas Denis Navarro ultrapassou os dois e ficou com o segundo lugar, apesar de Félix ultrapassar Cardoso. No meio da prova, Gustavo Frigotto abandonou a corrida com um dos pneus dos carros atravessando na pista, mas sem causar riscos e transtornos.  

Aos 18 minutos transcorridos, Galid Osman, que liderava a naquele momento, precisou ir para o pit stop para fazer o abastecimento do carro, mas a equipe demorou e Antônio Félix da Costa aproveitou e assumiu a dianteira da prova, mas 2min depois Alexandro Salas assumiu a dianteira da prova durante pouco mais de 1min sendo em seguida ultrapassado pelo piloto convidado que reassumiu a ponta. Galid perdeu muitas posições com o erro de cálculo de sua equipe. Durante boa parte da etapa, Daniel Serra brigou pelas primeiras posições na corrida chegando a assumir a 3ª posição na 14ª volta em uma recuperação iniciada na 1ª corrida quando largou em último por conta de uma punição e fechou em 24° lugar.  

Na penúltima volta, uma disputa pelo segundo lugar causou um acidente assustador com o carro de Gaetano Di Mauro tocando nos carros de Daniel Serra e Alexandro Salas e em seguida decolando e batendo na mureta. Gaetano precisou ser hospitalizado, mas, horas após a prova,em vídeo nas redes sociais, disse que está bem. A corrida acabou em safety car e Antônio Felix da Costa venceu a prova sendo o primeiro piloto a vencer, de maneira individual, uma prova da categoria. Antes, o argentino Néstor Girolami venceu ao lado de Ricardo Maurício, a corrida de duplas na temporada 2015. Daniel Serra fechou em 2° e Alexandre Salas em 3°.  

Félix não terá os seus pontos computados por não ser filiado à Confederação Sul-Americana de Automobilismo, cláusula no regulamento da categoria que obriga esta formalidade, entretanto sua atuação dá motivação a reta final de temporada da Fórmula E. O piloto venceu a prova de Mônaco com uma ultrapassagem na última curva próximo a linha de chegada e está em 4° na classificação geral de pilotos com 52 pontos. São 10 pontos de diferença que separam o piloto português do líder, o holandês Robin Frinjs. Nyck DeVires (57) e Mitch Evans (54) ocupam, respectivamente, a segunda e terceira posição. A próxima etapa será uma rodada dupla no México em 19 e 20 de junho.  

Com os resultados, Daniel Serra conseguiu segurar a liderança geral com 64 pontos, mas agora dividindo a posição com Bruno Baptista. Átila Abreu tem 62 pontos, César Ramos obteve até aqui 61, Denis Navarro, 57 e Gabriel Casagrande está em sexto com 56 pontos. Nas equipes, a disputa pela liderança está entre Ipiranga Racing e Shell V-Power com, respectivamente, 106 e 105 pontos. RMC Motorsports e Eurofarma RC duelam pela 3ª posição e a diferença também é de um ponto, na ordem, estão com 94 e 93 pontos. Blau Motorsport I tem 75 pontos e A. Mattheis Vougel Motorsport está em sexto com 63. A próxima etapa será no circuito de Vellocittá na cidade paulista de Mogi Guaçu em 19 de junho.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s