Moda e game marcam o início da moda no digital

O mercado fashion aposta em novo perfil de consumidor e investe no setor mais lucrativo do mundo. 

Por Flavia Messeder

Criar, consumir e vestir roupas para o meio digital já é uma realidade. Impulsionada principalmente pela indústria dos games, essa tendência atende de forma positiva as expectativas de lucro das indústrias envolvidas, a redução de danos ao meio ambiente e a experiência dos usuários de jogos. 

O atalho de skins (peles que vestem os personagens) já existe há alguns anos, mas a ideia de inserir marcas de roupas conhecidas do mundo físico para compor a estética dos avatares ainda é uma novidade com potencial para arrecadar muito dinheiro. Isso porque cerca de 3 bilhões de pessoas no mundo são usuárias de jogos virtuais, de acordo com a DFC Intelligence — empresa de pesquisa e análise para o setor game — e parte do lucro desse setor vem da compra de skins, que são consumidas pelos jogadores para formar a identidade e a estética do personagem escolhido. 

Um exemplo dessa experiência foi a parceria entre a marca de luxo, Louis Vuitton e o jogo League of Legend (LoL) em 2019. O diretor criativo da grife desenhou modelos de roupas exclusivas para os personagens do game, que também rendeu uma coleção de roupas físicas inspirada no ambiente do jogo. 

Divulgação: Louis Vuitton 

Antes da pandemia afetar a economia global, a indústria gamer movimentou cerca de US$120 bilhões em todo o mundo, considerando o relatório referente ao ano de 2019, divulgado pela SuperData — empresa especialista em análises financeiras do mercado de games. Já o resultado atual, publicado em janeiro deste ano no site Canal Tech, mostra que o rendimento chegou ao valor de US$126,6 bilhões movimentados em 2020, ano de maior impacto social devido a Covid-19. 

De olho nos futuros consumidores, outras marcas estão ganhando destaque por também marcar presença no universo digital nos últimos tempos. No ano passado, a Gucci foi responsável por criar uniformes e até raquetes com o logo da marca para os avatares do jogo de tênis chamado Tennis Clash. Outra marca que já tem o game como alvo é a espanhola Balenciaga,  que apresentou no final do ano passado (2020), a coleção de inverno 2021 por meio do próprio jogo. Especialmente para a ocasião, foi criado um cenário futurístico, em parceria com a Epic Games. Além do jogo, também foi produzido um fashion film em animação 3D.

Balenciaga / Inverno 2021 

Moda brasileira também joga 

Não é só o mercado da moda internacional que está buscando oportunidades no território dos gamers. 72% dos brasileiros são adeptos aos jogos eletrônicos, sendo a maioria de 20 a 24 anos de idade, de acordo com a 8ª edição da Pesquisa Game Brasil (PGB), realizada pelos grupos Blend New Research, ESPM, Go Gamers e Sioux Group. 

A Renner é a primeira empresa do mercado no segmento varejista a investir em uma ação no formato de jogo chamada Renner Play. Em parceria com uma empresa especializada em consultoria para a inclusão das marcas nos games, foi possível criar uma loja virtual dentro do jogo Fortnite, onde acontecem desafios e compras focadas nos usuários. A experiência de frequentar a loja virtual dentro do game está disponível desde o último dia 29 e pode ser vivida de forma gratuita e ilimitada. Para impulsionar a ação, também foram realizadas lives nas plataformas Twitch e Facebook Gaming com a apresentação de influenciadores íntimos da dinâmica dos jogos. 

Teaser Renner Play/Facebook Renner

Outra novidade da conexão entre as duas indústrias foi o clipe da música Modo Turbo, lançado em dezembro do ano passado pelas cantoras Anitta, Luísa Sonza e Pabllo Vittar. Sobre o figurino, em uma coletiva de imprensa, Luísa disse que não houve inspiração de um personagem ou jogo específico, mas sim de todo o universo game. Já Anitta declarou ter se inspirada pelo Free Fire, pois, na época, estava envolvida na experiência do jogo. Para montar a caracterização, Pabllo Vittar se rendeu a um misto de diferentes jogos e estilos, como os animes, por exemplo. No clipe, as protagonistas aparecem vestidas com uma estética de heroínas em um cenário repleto de características games, ilustrado por efeitos especiais. 

Divulgação/Internet

Devido ao avanço tecnológico e a maior parte do tempo com acesso aos smartphones, nasce também a pluralidade de plataformas que permitem à moda explorar diversos caminhos. Pensando no comportamento dos futuros clientes e em articulações inovadoras nos negócios como reflexo da pandemia, as marcas demonstram cada vez mais interesse em dominar o espaço digital, seja dentro da dinâmica game ou até mesmo em seus próprios formatos de divulgação. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s