Próximas eleições terão mudanças: conheça as novas regras para 2022 

Foto de Capa: Edilson Rodrigues/Agência Brasil (07/10/2018)

Por Nathália Machado, Felipe Nascimento Souza e Felipe Pacheco

Desde as eleições de 2018, muitas mudanças eleitorais foram – e ainda estão sendo – debatidas pelo Congresso. Entretanto, poucas delas foram aprovadas a tempo de valer para as eleições de 2022, isso porque a legislação exige que alterações nas eleições sejam deferidas com, pelo menos, um ano de antecedência. 

O pleito acontecerá em primeiro turno no dia 2 de outubro, e o segundo, no dia 30 do mesmo mês. Neles, o eleitor apto a votar irá eleger presidente e vice-presidente da República, 27 governadores e vice-governadores de estado e do Distrito Federal, 27 senadores e 513 deputados federais, bem como deputados estaduais e distritais.  

Regras para 2022: 

  • Recursos às candidaturas de mulheres e de negros 

Para ampliar e incentivar a participação desses grupos que, em comparação ao tamanho da ocupação que têm na sociedade, possuem pouca representação política, votos em candidatas mulheres e em candidatos negros terão peso duplicado no cálculo de distribuição dos fundos partidário e eleitoral nas eleições de 2022 a 2030.  

  • Fidelidade partidária mais flexível 

Os parlamentares que ocupam cargos de deputado federal, estadual e distrital e de vereador podem deixar o partido pelo qual foram eleitos sem perder o mandato, contanto que a legenda concorde com a saída. 

Antes da alteração, segundo a Lei dos Partidos Políticos, ao trocar de partido os parlamentares só poderiam manter o mandato em caso de “justa causa”, ou seja, mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário; grave discriminação política pessoal contra o legislador ou se o desligamento tivesse ocorrido durante o período de 30 dias que antecede o prazo de filiação exigido em lei para disputar a eleição. 

Alguns pontos importantes para o eleitor:  

• O prazo para justificativa sem multa no caso de ausência é de trinta dias após a realização da eleição. O eleitor deve ficar atento a esse prazo, pois aquele que não provar que votou na última eleição, pagou a respectiva multa ou se justificou, será privado de:   

· Inscrever-se, investir-se ou empossar-se em concursos públicos; 

· Receber vencimentos, no caso de função ou emprego público; 

· Obter empréstimos em instituições do governo, como a Caixa Econômica Federal, por exemplo; 

· Tirar passaporte ou carteira de identidade; 

· Renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo; 

· Praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda; 

 • Os documentos para fins eleitorais são oferecidos de forma gratuita, basta fazer o pedido em um cartório de registro civil. 

 ·      O empregado pode se ausentar do serviço sem prejuízo de salário, contanto que comunique com 48 horas de antecedência ao empregador. Essa ausência para fins eleitorais pode durar no máximo 2 dias.  

            • Deficientes visuais alfabetizados em braile também podem votar, desde que reúnam as demais condições, para esta finalidade há adaptações de material para que possa realizar seu voto utilizando o alfabeto supracitado, de acordo com o Artigo 49 do código eleitoral.  

            • Em caso de perda ou extravio do título de eleitor, a segunda via pode ser requisitada até 10 dias antes das eleições – dia 22 de outubro, no caso das eleições de 2022. Mesmo que esteja fora de seu domicílio eleitoral, o eleitor pode fazer o pedido na zona eleitoral mais próxima.  

            • O eleitor que se mudar é o responsável por requerer a transferência, caso não o faça continuará votando na zona de seu domicílio anterior. 

  • A propaganda eleitoral será realizada somente após o dia 15 de agosto do ano da eleição, sendo paga pelos partidos e de sua responsabilidade. É proibida de 48 horas antes da eleição até 24 horas após. Uma novidade para 2022 é a nova modalidade de propaganda que passou a ser proibida pelo Código Eleitoral apenas em 2021: que deprecie a condição de mulher ou estimule sua discriminação em razão do sexo feminino, ou em relação à sua cor, raça ou etnia. 

O eleitor pode consultar as normas gerais eleitorais, que são definidas pelo Código Eleitoral, no site do TSE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s