Hallyu – Onda coreana

Por Carolina Paiva

A cultura asiática sempre teve uma grande influência no Brasil, o que pode ser justificado pela nossa miscigenação que decorre também de imigrantes orientais.

Entre todas, a cultura japonesa era a mais conhecida, tanto pelos suas artes marciais, como judô, sumô e karatê, pelas suas populares belezas, como as árvores de cerejeiras e o monte Fuji, pelo conhecido jogo Super Mario e, principalmente, pelos mangás, histórias em quadrinhos lidas da direita para a esquerda, que deram material para realização dos famosos desenhos animados japonês, chamados de animes. Muitos cresceram assistindo Cavaleiro do Zodíaco, Dragon Ball, Pokémon e Naruto.

Imagem: Pinterest

Entretanto, outra cultura asiática vem se destacando muito nos últimos tempos, trazendo um novo sucesso para o Ocidente: os famosos pops e doramas coreanos. O k-pop (pop coreano) surgiu por volta de 1990, conquistando aos poucos sua fama e se tornando uma das maiores fontes lucrativas da Coréia.

Diversos artistas e grupos tiveram sucesso, mas no ocidente muitos consideram e se lembram do estouro que foi “Gangnam Style” do Psy, em 2012. Depois disso, o que mais popularizou foram os grupos de k-pop, formado por idols (jovens artistas que treinam por anos para poder debutar/estrear como solo ou em grupo), que possuem sincronizadas coreografias, músicas viciantes e videoclipes bem elaborados, ou seja, a perfeição no entretenimento pop. 

Em realce está o grupo  BTS (Bangtan Sonyeondan – garotos à prova de balas), que atualmente é mundialmente conhecido e foi o primeiro grupo indicado ao Grammy (2021), como Melhor Performance de Duo/Grupo Pop. Mas de tantos grupos, por que o BTS é o mais popular?

A importância do BTS para seu fandon

Imagem: btstwitter

Seu brilho está justamente na não perfeição requisitada pela indústria de entretenimento. O grupo escreve músicas que relatam seus problemas, sobre saúde mental e expõem os impasses da sociedade.

Além disso, a ligação com seu fandom, ARMYs (exército), é muito forte, criando sempre álbuns e MVs com temáticas aos fãs, como a linha Love Yourself, com uma trilogia de álbuns, para ajudar seu fandom que sofre com problemas de autoestima.

No momento da pandemia de COVID-19, desenvolveram o álbum BE, com músicas como “Life goes on” e “Dynamite”, espalhando esperança e mensagens positivas – “A vida continua”

“Eu conheci o BTS em 2018, quando estava passando por um momento delicado na minha vida. Me sentia pressionada para entrar na faculdade, ter um emprego e passar em um concurso, isso acabou fazendo com que eu tivesse problemas com a ansiedade e acabei deixando de lado muitas coisas que amava. Com a ajuda deles eu voltei a ouvir música, a dançar e me sentia mais leve porque, de alguma forma, eu sentia que tinha alguém que estava ali por mim. Quase 3 anos depois eu ainda vejo o quanto eles me ajudam e por isso sou grata a 7 pessoas que moram no outro lado do mundo.” – Yasmin Richam

“[…] Depois de sair de uma tentativa frustrada de descobrir o que eu gostaria de fazer na vida e trancar meu curso na faculdade, me vi perdida, sem saber qual caminho seguir. Foi quando eu estava assistindo a uma live dos meninos do BTS conversando em coreanos que eu percebi que estava conseguindo entender o que eles estavam falando mesmo tendo estudado tão pouco essa língua. A partir dali, me dei conta de como gostava e tinha facilidade de estudar, não só coreano, como outros idiomas e percebi a minha paixão por querer compreender pessoas de outras culturas através do modo como se comunicavam. Assim, entrei no curso de Letras e finalmente me achei. Desde então estudo coreano assiduamente e estou cada dia mais apaixonada por línguas, certa da minha profissão e do que quero fazer no futuro graças ao BTS.” – Isabella Silva

Com base nisso, o grupo criou, em parceria com a Unicef (United Nations International Children’s Emergency Fund – Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas para a Infância), uma campanha global, a fim de espalhar o amor-próprio entre os jovens. Como resultado, as inspiradoras mensagens divulgadas pelo BTS, que se mostraram uma grande influência sobre seus fãs, os fizeram ser convidados duas vezes para discursar na ONU (Organização das Nações Unidas).

Imagens: Pinterest (BTS ONU 2018 e 2020)

Em 2018, o líder do grupo, RM (Kim Nam-joon), falou sobre aceitar a si mesmo, escutar sua própria voz e ter coragem de se pronunciar, independente da sua origem, raça ou gênero.

 “Eu gostaria de perguntar a todos vocês: Qual o seu nome? O que te anima e faz o seu coração bater mais forte? Me conte a sua história, eu quero ouvir a sua voz e eu quero ouvir suas convicções. Não importa quem você seja, de onde vem, a cor da sua pele, o gênero com o que se identifica… Fale por si mesmo. Encontre o seu nome, encontre a sua voz, falando por si mesmo.” – RM

E em 2020, eles voltaram, agora virtualmente, com a temática da pandemia e as suas consequências. Dessa vez, os sete membros se pronunciaram com um discurso emocionante, não apenas para transmitir mensagens de esperança, mas também contando as dificuldades que eles passaram e como conseguiram, juntos, se reerguer.

“Eu me senti sem esperança, tudo desmoronou. Eu apenas podia olhar para fora da minha janela, eu só podia ir para o meu quarto. Ontem, eu estava cantando e dançando com meus fãs ao redor do mundo. E agora meu mundo encolheu para um quarto. E então, meus amigos pegaram a minha mão. Nos confortamos um ao outro e falamos sobre o que poderíamos fazer juntos.” – Jimin

 Por serem tão verdadeiros e colocarem em tudo que fazem suas essências, não é de se estranhar que todos os seus fãs se identifiquem e os respeitem por isso.

A febre dorameira

Imagem: Pinterest

Além do k-pop, outro destaque são as produções cinematográficas coreanas, como Parasita, que foi indicado em seis categorias do Oscar 2020, conquistando quatro delas: Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original, Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Filme; entrando para a história como o primeiro filme estrangeiro a ganhar nessa última categoria. 

Dessas elaborações, também há os famosos doramas – séries asiáticas com uma formatação parecida com novelas – em destaque os k-dramas (doramas coreanos). Possuem diversos gêneros, como romance, comédia, policial, médico, fantasia e época, com a maioria tendo apenas 1 temporada, com normalmente 16 episódios de 1 hora de duração.

Com a inserção em uma nova cultura, essas produções acabam se tornando viciantes para o público no ocidente. O fato de poder conhecer a história, culinária, língua e tradições de uma outra sociedade é fascinante. Há dramas que saem da rotineira base romantizada e abordam os preconceitos e o forte respeito às distinções de classes sociais.

Não tem como não se render a essas produções e se apaixonar pelos costumes, moda, cenário e o próprio enredo. Os doramas focam mais em desenvolver seus personagens, com cada episódio rico no trabalho visual, além das perfeitas OST ( Original Sound Track – Trilha Sonora Original), criando diversas emoções no telespectador, o que envolve ainda mais o público na trama.

Além disso, quem assistiu aos dramas antigos e aos atuais consegue notar a diferença em algumas atitudes, mostrando as mudanças que estão acontecendo em alguns aspectos da sociedade; o que também pode ser resultado da popularidade dessas novelas no ocidente.

 A plataforma que mais se destaca na transmissão dos doramas é o RAKUTEN VIKI, um serviço de streaming criado por fãs, com algumas produções disponíveis gratuitamente e outras pagas. Porém, a NETFLIX também está aderindo a essa febre e fechou parceria com a emissora de TV coreana JTBC, disponibilizando alguns dramas em seu catálogo.

Imagem: Pinterest

Aqui estão cinco indicações de k-dramas para quem deseja conhecer esse mundo dorameiro. 

  • Fantasia: Goblin (VIKI)
  • Saúde Mental: Tudo bem não ser normal (NETFLIX)
  • Comédia: O que houve com a secretária Kim (VIKI)
  • Época: A historiadora (NETFLIX)
  • Romence: Romance is a bonus book (NETFLIX)

 E é assim, imerso no mundo do pop, dorama e filmes coreanos, que a Hallyu – termo para onda coreana – conquistou tantos e se tornou querida globalmente.

Um comentário sobre “Hallyu – Onda coreana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s