Djokovic domina Medvedev e conquista o nono Australian Open de sua carreira

Por Lucas Furtado Isaias

Novak Djokovic venceu Daniil Medvedev por 3 sets a 0 (7/5, 6/2 e 6/2), em apenas 1 hora e cinquenta e três minutos de partida, e conquistou o nono Australian Open de sua carreira em um jogo que dominou, de maneira especial no segundo e terceiro set, e muitos erros do tenista russo. Esta também foi a vitória mais rápida do sérvio em finais de grand slams, que agora detém 18 conquistas.  

Djokovic começou a partida quebrando o serviço de Medvedev e abrindo 3/0, mas o russo conseguiu empatar o placar com muitas variações. Pra frear o russo, Djokovic apostou em variações e em slices, o que tornou o set bastante disputado. O equilíbrio continuou até o décimo segundo game quando o sérvio quebrou o serviço para conquistar o primeiro set, sem precisar de tie-break.

O segundo set iniciou com Medvedev quebrando o serviço de Djokovic, entretanto em seguida o jogo mudou de rumo com o russo passando a errar muitas jogadas. Assim, o sérvio se aproveitou da má fase do oponente para dominar o jogo para fazer 6/2, de maneira rápida e tranquila. 

Sentindo o impacto da derrota, Medvedev tentou de tudo para voltar ao jogo, mas o sérvio continuou com o seu ritmo intenso a ponto de o russo destruir uma raquete após mais um serviço quebrado no 3° set. O esforço rendeu até em determinados momentos ficar com o marcador a frente de Djokovic, mas o tenista, em seguida, conseguia reverter a desvantagem. 6/2, o fim de uma invencibilidade de 20 partidas de Medvedev e o crescimento de uma hegemonia em Melbourne com nove títulos de Djokovic, metade de majors conquistados em toda carreira.  

Na cerimônia de premiação, um fato chamou atenção e não foram as falas carinhosas de Djokovic para Medvedev e sim as vaias do público, enquanto a chair da Tennis Australia, Jayne Hrdlicka, agradecia ao governo de Victoria (estado onde é localizada a cidade de Melbourne) pelo suporte para a realização do torneio. A diretora se incomodou com a reação e pediu para pararem as vaias.  

Devido a treze casos de Covid detectados na cidade, o governo decretou lockdown durante cinco dias do torneio e isso fez com que o segundo dia da terceira rodada, as oitavas e quartas de final dos torneios de simples ficassem sem público.  A Austrália tem menos de 30.000 casos e, até o fechamento do texto, 909 mortos por coronavírus, segundo a Universidade John Hophinks, e isso permitiu que o torneio tivesse a presença de público com capacidade limitada no grand slam.

Osaka vence Bardy e mantém invencibilidade em finais de grand slams 

Naomi Osaka confirmou o seu favoritismo e manteve sua invencibilidade em finais de majors vencendo Jennifer Bardy por 2 sets a 0 (6/4 e 6/3) em 1 hora e doze minutos de partida. A n° 3 do mundo conquistou seu quarto grand slam e, para alguns analistas, é uma vitória que solidifica a imagem de uma tenista que dominará o circuito da WTA no futuro muito próximo.  

O 1° set foi extremamente equilibrado. Osaka quebrou o primeiro saque de Bardy e a americana, que estava em sua primeira final, imediatamente devolveu a quebra. Com games rápidos e disputados, o set fluiu e seguiu com forte disputa até o décimo segundo e último game quando a n° 3 do mundo fez a quebra decisiva do set. 

Osaka voltou para o segundo set desequilibrando o jogo e passando a dominar o período e Bardy, mesmo conseguindo devolver uma quebra de saque no quinto game, não conseguiu fazer frente ao seu domínio. Mesmo com estatísticas equilibradas durante a partida, nos acertos e erros, devido à velocidade do jogo, Osaka conseguiu vencer o set em 6/3 com tranquilidade.  

Com exceção do duelo contra Garbiñe Mugurza nas oitavas de final, onde ela precisou salvar dois match points para se classificar, Osaka teve um torneio com vitórias tranquilas e que mostram que seu predomínio no circuito é sólido. Admirada pelo público por seu jogo e por seu posicionamento engajado em causas, Naomi se consagrou como uma das maiores tenistas na atualidade e neste Australian Open, mais uma vez, mostrou que pode dominar o circuito da WTA e continuar escrevendo capítulos importantes e históricos no mundo do esporte.  

Krejucikova/Ram vencem dupla australiana em 59 minutos de final de duplas mistas  

Mesmo com a torcida toda a favor para os australianos Samantha Stostur e Matthey Ebden, a dupla perdeu para a tcheca Barbora Krejcikova e o americano Rajeev Ram na decisão de duplas mistas, em apenas 59 minutos (6/1 e 6/4). Este é o segundo título de Krejcikova e Ram, que também conquistaram a edição 2019 do torneio.  

Elise Mertens e Aryna Sabalenka suspendem parceria com título nas duplas feminina  

Na sexta (19), Elise Mertens e Aryna Sabalenka conquistaram o título de duplas femininas contra a dupla tcheca Barbosa Krejcikova e Katerina Siniakova por 2 sets a 0 (6/2 e 6/3). Logo após o título, as campeãs anunciaram que suspenderam a parceria, mas que, ocasionalmente, podem disputar juntas alguns torneios do WTA 500 e 1000. Com o título, Sabalenka se tornou a n° 1 do mundo entre as duplistas no ranking da WTA divulgado nesta segunda (22).  

Fillip Polasek e Ivan Dodig conquistam o título nas duplas masculinas   

Fillip Polasek se tornou o primeiro campeão de grand slam de tênis da história da Eslováquia com sua vitória ao lado do croata Ivan Dodig na final de duplas masculinas. 2 sets a 0 (6/3 e 6 /4) sobre o americano Rajeev Ram e o britânico Joe Salisbury em 1 hora e 28 minutos de partida.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s