Ferroviária sofre goleada do Libertad-PAR em estreia na Libertadores Feminina 2020

Foto de capa: Reprodução/CONMEBOL 

Por Júlia Nascimento 

A Ferroviária estreou na Libertadores Feminina 2020, neste sábado (6), com uma derrota surpreendente para o Libertad-PAR pelo placar de 4 a 0. No Estádio José Amalfitani, casa do Vélez Sarsfield, em Buenos Aires (Argentina), as autoras dos gols paraguaios foram Liz Peña (dois gols e melhor jogadora da partida), Carmen Benítez e Fabiola Sandoval pelo Grupo D. Vale destacar que esta foi a maior derrota de um clube brasileiro feminino na história do torneio, superando o 3 a 0 sofrido pelo Vitória-PE contra o Formas Íntimas, da Colômbia, em 2014. 

Os quatro gols da vitória do Libertad sobre a Ferroviária 

As Guerreiras Grenás estão em busca do bicampeonato na maior competição de clubes das Américas. Esta é a terceira participação do clube paulista. Nas duas anteriores, duas presenças na grande final: em 2015, título conquistado em cima do Colo-Colo (do Chile); em 2019, decisão brasileira contra o Corinthians e vice-campeonato das grenás. Pelo regulamento desta edição, avançam à próxima fase, de quartas de final, as duas equipes que mais pontuarem em cada grupo.  

Escalações 

Ferroviária: Luciana; Carol Tavares, Yasmin, Gessica, Barrinha; Nicoly, Rafa Mineira, Daiane; Lurdinha, Sochor, Aline Milene. Técnica: Lindsay. 

Libertad: Gloria Saleb; Laurie Cristaldo, Nati Genes, Carmen Benítez, Paola Genes, Damia Cortaza, Griselda Garay, Mari Pion, Fabiola Sandoval, Liz Peña, Kari Vega. Técnico: Nelson Basualdo. 

Arbitragem 

Quinteto feminino da Argentina: Maria Laura Fortunato, Mariana de Almeida, Gisela Trucco, Salome Di Iorgio e Sabrina Lois. 

A partida 

Os primeiros minutos da etapa inicial deram uma impressão não condizente com o que seriam não apenas aqueles 45, mas os 90, em partida aguardada pelas brasileiras e dominada pelas paraguaias. A Ferroviária iniciou ficando mais com a bola, trabalhando desde o campo de defesa. Porém a marcação adiantada do Libertad não demorou a aparecer. E, logo aos sete minutos, Liz Peña começou a ter destaque: recebeu no meio da última linha de marcação das paulistas, arrancou, invadiu a área e concluiu no ângulo para abrir o placar com um belo gol.  

As Guerreiras Grenás tinham maior posse de bola, mas usavam sem ofensividade, no campo defensivo, sempre com pressão da marcação adversária. Enquanto isso, as meninas do Libertad apareciam mais no ataque, principalmente em escanteios, e eram eficientes. Com isso, aos 18, mais um gol paraguaio: cobrança de escanteio pela esquerda e a bola sobrou para Benítez livre na segunda trave, que não desperdiçou e ampliou a vantagem contra as brasileiras. Dois minutos depois, Nicole bateu de longe por cima do travessão na tentativa de descontar.  

A Ferroviária cometia erros defensivos na lateral da grande área, entregando a bola de graça para lances de perigo. Na frente, a artilheira Sochor era bem-marcada e pouco conseguia aparecer. Aos 38, Cortaza arriscou de fora da área pela direita, mas sem risco. Até que, no minuto seguinte, em jogada com origem bem similar à do primeiro gol, Liz Peña recebeu de novo bem-posicionada na mesma linha da defensora adversária, entrou sozinha na área e colocou para dentro do gol: 3 a 0 ainda no primeiro tempo. Perto do intervalo, sequência de lances da Ferroviária no ataque, porém nenhuma chance real. Ainda deu tempo de Luciana sair do gol para fechar o ângulo em chute adversário na lateral da área e conseguir evitar o quarto.  

Atacante Liz Peña comemorando um de seus dois gols no jogo – Foto: Reprodução/Twitter CONMEBOL Libertadores Feminina 

Mal os times voltaram dos vestiários, Peña já conseguiu uma finalização, interceptada por Luciana. Na sequência, a mesma atacante paraguaia encontrou bom passe para Garay, que arrancou e chutou rasteiro para fora. E o Libertad pressionava no ataque como se não estivesse em vantagem. As Guerreiras Grenás também tentavam pressionar, mas pecavam no passe e sofriam na marcação paraguaia. Aos 20 minutos, estavam quase por inteiro no campo ofensivo, e as adversárias, recuadas. Só que quem quase marcou de novo foi Peña, com Barrinha tirando perto da linha do gol.  

E o 4 a 0, finalmente, saiu após tanto madurar. Aos 67, Vega arrancou da intermediária e fez o passe na medida para Sandoval, que deixou as marcadoras para trás e balançou as redes para o quarto gol das paraguaias. Em seguida, a técnica Lindsay optou por mudar o esquema tático para um com três zagueiras (quando Ana Alice entrou no lugar de Yasmin). A Ferroviária começou a alçar bola na área na tentativa de ao menos diminuir o resultado negativo. Leidiane, que entrou no intervalo, conseguiu dar mais movimentação ao ataque, tentando jogadas e finalizações. Já no fim, chute forte das paulistas de fora da área, mas Saleb encaixou. Contudo foi só, derrota de um dos times brasileiros na estreia. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s