Corinthians e Avaí Kindermann têm futuro selado na Libertadores Feminina 2020

Timão venceu de novo e garantiu 100% de aproveitamento, já o Leão da Ilha… 

Foto de capa: Reprodução/CONMEBOL

Por Júlia Nascimento e Thalis Nicotte 

O Corinthians já entrou em campo com a classificação garantida e brigava apenas pela primeira colocação do grupo A. A partida foi realizada no estádio Nuevo Francisco Urbano, em Buenos Aires. E os principais problemas do técnico Arthur Elias eram Vic Albuquerque e Diany, que sentiram lesão e foram poupadas da partida de hoje.  

Timão comemora mais uma vitória – Foto: Rodrigo Gazzanel/Corinthians 

No primeiro tempo não tivemos muitas emoções. A marcação do América de Cáli era pesada e as brasileiras pareciam pouco inspiradas. Aos 23 minutos, Adriana arriscou de fora da área e a bola passou perto do travessão. Foi essa a única chance do Timão na primeira etapa. 

Veio o segundo tempo e um novo Corinthians com ele. Logo aos 5, Tamires bateu o escanteio na cabeça de Crivelari que abriu o placar. Aos 13, o técnico das colombianas, Andrés Usme foi expulso e o Timão se aproveitou para ampliar sua vantagem. Com 25 minutos, Adriana ampliou e com 36, Giovana Campiolo, que tinha acabado de entrar, deu números finais ao jogo. 

Campiolo deslizando para marcar o terceiro – Foto: Rodrigo Gazzanel/Corinthians 

As brasileiras avançam às quartas com 100% de aproveitamento, sendo 3 vitórias, 27 gols marcados e nenhum sofrido. O América de Cáli terminou na segunda colocação com 6 pontos. Na outra partida do grupo, Universitário (PER) e El Nacional (EQU) empataram em 1 a 1 e se despediram da competição com apenas 1 ponto conquistado. 

“Quem não faz leva”, uma das máximas do futebol, talvez resuma bem o que foi este Avaí x Boca Juniors no estádio José Amalfitani, em Buenos Aires, praticamente em relação aos 90 minutos de jogo. As Leoas, que tinham os mesmos quatro pontos das adversárias no Grupo B e precisavam vencer para classificar às quartas de final, já iniciaram indo para cima. Com menos de um minuto, dois lances de perigo perto da pequena área, o primeiro saindo em escanteio e o segundo indo direto para fora. As meninas da equipe argentina resolveram subir a marcação, pressionando a saída de bola do Avaí desde a área, mas também cedendo espaço no meio-campo para o time brasileiro encaixar contra-ataque. 

Avaí era superior, mas não conseguia ser eficiente – Foto: Andrielli Zambonin/Avaí Kindermann 

Aos 11 minutos, cobrança de falta ensaiada do Boca do lado direito da grande área, perto da linha de fundo, e a bola foi atrasada para a jogadora do clube argentino que saiu de toda a marcação, mas finalizou por cima do gol. As catarinenses começaram a explorar as laterais. Aos 14, em jogada de velocidade pelo corredor direito, Caty recebeu sozinha invadindo a área de frente para o gol, bateu firme, e Oliveros conseguiu boa defesa. Apenas dois minutos depois, gol anulado de Lelê para o Avaí por impedimento, a partir de cobrança de falta pela esquerda rente à área.  

As Leoas também adiantaram a marcação, atrapalhando a troca de passes do Boca em seu campo defensivo. Aos 19, a partir de mais uma jogada rápida pela esquerda, Lelê tentou chute cruzado que iria direto para o gol ou concluído por sua companheira na pequena área, porém a defensora adversária conseguiu despachar a bola perto da linha do alvo. As adversárias tinham poucas oportunidades, como com Yamila Rodríguez arriscando de bem longe direto para fora aos 28 minutos.  

O Avaí era melhor no jogo, marcando bem no meio e no campo de ataque, ficando com a bola e conseguindo construir jogadas ofensivas através da troca de passes, centralizada ou pela ponta-direita. Aos 35, cobrança de escanteio pela esquerda, bate-rebate na área e a bola sobrou para Tuani pegar de primeira, mas sem a direção do gol. Na sequência, Rodríguez fez bom cruzamento da linha de fundo pela esquerda na cabeça de Ojeda de frente para o gol, porém a camisa 9 mandou para fora. Já na ida para o intervalo, Larissa recebeu ótimo passe de trás, ficou frente a frente com a goleira e isolou por cima do travessão.  

O Avaí voltou forte para a segunda etapa, no ritmo do final do primeiro tempo. Tinha o domínio da partida, com superioridade em posse de bola e presença no campo de ataque, enquanto o Boca, então, marcava na sua metade do campo e pouco conseguia ir para o setor ofensivo. O jogo era disputado e faltoso, com distribuição de cartão amarelo. O clube argentino tentava subir a marcação para interromper a troca de passes tranquila da equipe catarinense e voltar a fazer pressão no ataque.  

Contudo a sequência de chances foi brasileira. Primero uma cobrança de falta no bico da grande área pela direita e Tauane subiu mais que a marcação para cabecear, mas para fora. Depois Lelê recebeu boa bola enfiada pelas costas, invadiu a área e bateu firme, só que Oliveros saiu para fechar o ângulo e conseguiu bela espalmada para evitar o gol brasileiro. Em seguida, cobrança de escanteio pela direita e Lelê de novo cabeceou para boa defesa de Oliveros. Por fim, cobrança de escanteio pela esquerda, Tauane pulou alto para cabecear, mas a goleira do time argentino interceptou mais uma (não à toa foi eleita a melhor da partida).  

Com 30 minutos, cobrança de falta de longe do Boca para Bárbara encaixar sem perigo. Até que o perigo começou a aumentar. Três minutos depois, sequência de erros individuais na defesa do Avaí e a jogadora do time argentino apareceu frente a frente com a goleira, mas desperdiçou um gol feito. E, aos 39, cruzamento da direita perto da linha de fundo e Yamila Rodríguez, ativa ofensivamente durante todo o jogo, apareceu livre nas costas da última marcadora para concluir de cabeça, balançar as redes e abrir o placar justo nos minutos finais, depois de muita pressão catarinense.  

Gol da vitória e da classificação de Yamila Rodríguez nos últimos minutos – Foto: Reprodução/Twitter BocaFútbolFemenino 

Ainda deu tempo de Ojeda arriscar da entrada da área e assustar, mandando perto do travessão e quase ampliando. Já nos acréscimos, mais uma defesa de Oliveros, desta vez para fechar a classificação do Boca Juniors e a saída do Avaí Kindermann da competição.  

Saindo do campo e indo para a transmissão da partida, de responsabilidade da CONMEBOL, vale destacar a qualidade que deixou a desejar da narração brasileira disponibilizada, muito criticada nas redes sociais por erros simples, e por isso quase inadmissíveis, do profissional em questão como várias trocas de nomes das jogadoras ao longo do jogo, além de algumas informações equivocadas. Baixa qualidade essa que é, facilmente, percebida na transmissão de futebol feminino em geral e que precisa ser mudada em respeito às atletas e ao público, aos apoiadores da modalidade.  

O Avaí, com a derrota, encerrou sua participação na Libertadores Feminina 2020 no terceiro lugar do Grupo B com quatro pontos. Vencedor do confronto, o Boca terminou em primeiro com sete pontos, seguido pelo Santiago Morning, que goleou o Deportivo Trópico por 9 a 0 em jogo simultâneo. Agora, o clube argentino enfrenta o América de Cali nas quartas de final, segundo colocado no Grupo A. Já o Santiago Morning brigará por uma vaga nas semifinais contra um brasileiro: o Corinthians, líder de seu grupo. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s