Em jogo disputado e emocionante e, Flamengo vence Palmeiras nos pênaltis e conquista a Supercopa do Brasil 2021

Foto de capa: César Greco/Palmeiras

Por Lucas Furtado Isaias

O Flamengo, em um jogo extremamente disputado, venceu o Palmeiras e é bicampeão da Supercopa do Brasil. No tempo normal, o jogo terminou em 2 a 2, e, nos pênaltis, o time comandado por Rogério Ceni conseguiu reverter uma desvantagem de 3 a 1, vencendo a disputa por 6 a 5 em ótimas atuações dos goleiros Diego Alves e Weverton.  

Disputa de bola de Bruno Henrique com Danilo – Foto: Cesar Greco /Palmeiras  

Escalações e informações:  

FLAMENGOPalmeiras
Diego Alves Weverton
Isla (Matheuzinho) Marcos Rocha (Mayke)
William Arão Luan
Rodrigo CaioGustavo Gómez
Filipe Luís Viña
Diego (Gomes) Felipe Melo (Danilo)
Gerson (Pepê) Zé Rafael (Gabriel Menino)
Everton Ribeiro (Vitinho) Raphael Veiga
Arrascaeta Breno Lopes
Gabigol Rony (Gustavo Scarpa)
Bruno Henrique (Michael)Wesley (Gabriel Veron)
Técnico: Rogério Ceni Técnico: Abel Ferreira

O Palmeiras começou o jogo já pressionando pelo gol, com apenas um minuto, após chute de Daniel Alves, Felipe Melo bateu de cabeça, e Raphael Veiga abriu o placar em um lindo gol no Mané Garrincha. Mas o Flamengo lutou muito e tornou a partida equilibrada. Aos 22 minutos, Gabigol empatou aproveitando rebote da bola de Felipe Luís que ficou na trave. Mesmo com o gol, o jogo continuou equilibrado e quente, com Abel Ferreira, técnico palmeirense, sendo expulso aos 37 minutos por reclamações ofensivas à arbitragem. Três minutos mais tarde, um pênalti foi marcado para o Palmeiras, porém o VAR acionou o juiz, que mudou o lance para uma falta, cobrada por Raphael Veiga e defendida por Diego Alves. Aos 48, o Flamengo conseguiu a virada nos pés de Arrascaeta, que recebeu de Bruno Henrique e acertou do lado direito do gol, sem dar chances para Weverton defender.  

Abel Ferreira no comando do Palmeiras antes de ser expulso, e Rogério Ceni observando o jogo. Foto: César Greco /Palmeiras

No segundo tempo, o Verdão, mesmo sem o seu técnico no gramado, conseguiu ficar levemente superior, apesar de o rubro-negro ter oportunidades de chutes a gol. Aos 28, Rodrigo Caio puxou Rony duas vezes dentro da área, e foi marcado pênalti para a equipe paulista. Raphael Veiga cobrou e empatou o jogo novamente. Após outra igualdade no placar, o Flamengo pressionou mais ao gol, como aos 38, quando ficou próximo de desempatar a partida com Arrascaeta, que foi travado, mas conseguiu levar a bola para Vitinho chutar de longe e acertar a trave. Dez minutos depois, Gabigol conseguiu receber a bola de Vitinho e chutar no alvo, porém Weverton defendeu em cima da linha, e a bola não passou completamente para o fundo do gol. O clima ficou quente no jogo após o lance, o auxiliar técnico de Abel, João Martins, foi expulso pelos mesmos motivos do comandante: reclamação com ofensas. E, logo em seguida à sua saída, uma confusão generalizada entre reservas dos dois times se instaurou dentro do túnel de acesso aos vestiários, o que causou a interrupção da partida por alguns instantes, mas logo foi retomada. O tempo regulamentar terminou em 2 a 2, e a disputa foi para os pênaltis.  

Nas cobranças, o Palmeiras conseguiu abrir 3 a 1 e ficar a um gol da vitória com Raphael Veiga, Gustavo Gómez e Gustavo Scarpa. Arrascaeta fez o gol do Flamengo, mas Filipe Luís e Matheuzinho erraram as suas tentativas. Contudo, após três rodadas de cobranças, a disputa mudou de rumo com erros de Luan e Danilo para o time paulista e gols de Vitinho e Gabigol para a equipe carioca. Nas batidas alternadas, Viña e Gomes marcaram e mantiveram o empate, só que Gabriel Menino e Pepê tiveram suas cobranças defendidas por Daniel Alves e Weverton, respectivamente. Gabriel Veron e Michael acertaram as oitavas cobranças de seus times. Na nona penalidade, Diego Alves defendeu a cobrança de Mayke, e, na sequência, Rodrigo Caio não desperdiçou o lance, dando ao Flamengo o título da Supercopa do Brasil pela segunda vez seguida. Um título que veio com muita emoção e tensão, mas que seguiu coroando a superioridade do Flamengo no futebol carioca.  

Convidados no estádio e regresso triunfal na TV  

A edição 2021 da Supercopa também marcou com uma aparição diferente de público, da mesma forma que a Conmebol fez na final da Libertadores em janeiro, com convidados no estádio. Cerca de 100 pessoas ligadas às duas equipes, de patrocinadores e da CBF assistiram ao jogo no estádio com distanciamento social, porém em pleno auge da pandemia do coronavírus no Brasil, com recordes de mortos e de casos. No camarote da CBF, além da direção da entidade e de presidências dos clubes e federações envolvidas na partida, estavam presentes membros do governo. Os ministros Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Anderson Torres (Justiça), além dos secretários Ronaldo Lima (Futebol) e Jorge Seif (Pesca) assistiram à partida in loco. O presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), na última sexta-feira (10), em conversa com apoiadores, defendeu que o jogo tivesse presença de público e cogitou ir ao estádio acompanhar, o que não aconteceu.  

Na TV, o jogo marcou a volta de Galvão Bueno após 14 meses sem narrar uma partida pela Globo. Neste período em que precisou ser afastado das atividades presenciais por fazer parte do grupo de risco, Galvão fez apenas participações nos programas Seleção SporTV e Bem, Amigos! (SporTV) de maneira remota. O narrador e apresentador já tomou as duas doses da vacina contra a Covid-19 e, por isso, teve o seu retorno possibilitado às transmissões neste domingo (11) de maneira presencial. A última partida que havia narrado foi, justamente, a Supercopa anterior, em 16 de fevereiro de 2020, com outra vitória do Flamengo, desta vez sobre o Athletico-PR por 3 a 0.  

Arbitragem
Árbitro CentralLeandro Vuaden (RS)
Árbitros AssistentesRafael da Silva Alves (RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS)
Quarto ÁrbitroSavio Pereira Sampaio (DF)
Árbitro do VARWagner Reway (PB)
Assistentes do VAR Daniel Nobre Bins (RS) e José Eduardo Calza (RS)
Cartões amarelosIsla, William Arão, Rodrigo Caio e Rogério Ceni (Flamengo); Mayke, Luan, Felipe Melo, Wesley e Abel Ferreira (Palmeiras). 
Cartões Vermelhos Abel Ferreira e João Martins (Palmeiras). 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s