Reconhecimento feminino e racial nas Academias

Grandes premiações de 2021 batem recordes protagonizados por mulheres

Por: Carolina Paiva

Arquivo: Facebook oficial The Academy

O Oscar 2021 revolucionou o mercado em suas indicações e vencedores. O UOL – empresa brasileira de conteúdo – analisou os vencedores durante as 91 edições até 2019, e a categoria de “Melhor Filme” foi premiada 62 vezes em desempenhos masculinos, ao contrário de 10 por mulheres e 19 por ambos os sexos.

“Infelizmente Hollywood sempre foi machista. Atores sempre ganham mais do que as atrizes. Na Europa, isso é bem mais igualitário”, disse Agnes Szabo, 49 anos, professora e formada em Roteiro Cinematográfico.

Arquivo: Facebook oficial The Academy

Em 2020, Cynthia Erivo foi a única mulher negra indicada em uma categoria de atuação. Entretanto, em 2021, há uma mudança no reconhecimento feminino, com mais de 70 indicações protagonizadas por mulheres, recorde informado pelo GShow.

Relembrando que Hattie McDaniel foi a primeira mulher negra a ganhar o Oscar na categoria de atriz coadjuvante, em 1940, na produção “E o Vento Levou”. Em 2021, pela primeira vez, duas mulheres negras – Viola Davis e Andra Day – foram indicadas para a categoria de “Melhor Atriz”.

“Por anos eu lembro de assistir ao Oscar e me perguntar quando mulheres negras estariam sendo representadas, ganhando seu espaço? Quantas mulheres diretoras estariam ganhando prêmios por seus filmes e merecimentos?”, disse Lorena Liberato, 22 anos, estudante de cinema e audiovisual, na FACHA. “Eu mesmo como mulher digo: em breve estarei ganhando muitos prêmios, assim como milhões de mulheres incríveis”.

Arquivo: Facebook Oficial The Academy

Além disso, o filme “Parasita”, uma produção Sul Coreana, foi indicado em seis categorias e venceu quatro, não só para “Melhor Filme Estrangeiro”, como para a categoria de “Melhor Filme”. Em 2021, o Oscar entrou para a história com indicações e vencedoras femininas e estrangeiras – Yoon Yeo-jeong, como “Atriz Coadjuvante”, Chloé Zhao, “Melhor Diretor” e Emerald Fennell, “Melhor Roteiro Original”.

Imagens: Instagram Oficial The Academy

Entretanto, esse protagonismo é bem tardio e ainda é necessário muitos movimentos e resistência para a abertura de mais representatividade nas premiações. A estudante Lorena afirma: “Estamos chegando em algum lugar, ainda falta muito, mas estamos construindo espaços e quebrando barreiras”.

Além disso, a professora Agnes completa que um filme bem contado traz ganho material para todos, além do sucesso cultural. “O cinema asiático, por conta de políticas de investimento e incentivos certos, está dando os seus melhores frutos. A consequência de boas políticas culturais sempre traz prosperidade cultural para todos”.

Arquivo: Site Oficial Grammy

O Grammy é uma premiação que entra em muitas polêmicas pois, mesmo que em 2021 tenha a quebra de recordes femininos, ainda possui muito preconceito, perceptível, por exemplo, na não indicação do The Weeknd em nenhuma categoria.

De acordo com o Tracklist – portal que oferece noticias do meio musical -, o álbum “After Hours” foi bem aceito pelo fãs e críticos. Além disso, a música “Blinding Lights” bateu vários recordes na Billboard Hot 100 e, mesmo assim, o cantor foi ignorado nas listas de indicações nas categorias do Grammy 2021.

Em uma entrevista para o New York Times, The Weekend diz não se importar mais com o Grammy. “Eu tenho três Grammys, que não significam nada para mim agora, obviamente”, revela o cantor, que agora diz “não” a premiação. “Não permitirei mais que minha gravadora envie minhas musicas para o Grammy”.

Muitos artistas como Drake, Nicki Minaj, Justin Bieber, Halsey, Zayn e o próprio The Weeknd apontaram suas críticas contra a premiação. A falta de transparência, corrupção e pouca representatividade também está incomodando muito os fãs. “Essa premiação sempre foi racista e dessa vez houve tanto com negros quanto com amarelos, porque o que submeteram o BTS foi constrangedor”, João Pedro Souza, 20 anos, estudante de deontologia que acompanha dinamicamente as premiações.

Lorena Liberato também aponta:

“Eu ainda acho que o Oscar e o Grammy são grandes, porém pequenos demais para tanto preconceito. Está na hora disso mudar”.

Lorena Liberato
Arquivo: Site Oficial BBMAs

Dia 23 de maio, haverá a premiação Billboard Music Awards – BBMAs – 2021. Sua lista já possui uma diversidade de indicados diferentes do Grammy, o que levou muitos fãs a colocarem mais expectativas nas apresentações e vencedores desta noite.

O importante, mesmo que haja decepções, é continuar a luta para quebrar as barreiras e trazer para essas e outras premiações mais reconhecimentos; diversidades; representatividades. Já passou da hora das mudanças acontecerem.

“O audiovisual, nas suas várias plataformas, oferece espaços muito interessantes para apresentação de vários trabalhos, tem que desfrutar mais dessas possibilidades”, aponta Agnes Szabo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s