Com promessa de medalhas, o skate faz sua estreia nos Jogos Olímpicos

Foto de capa: Rebeca Doin

Por Thalis Nicotte

O skate é esporte olímpico. O esporte faz parte do calendário dos Jogos Olímpicos de 2020, que serão disputados esse ano por conta da pandemia. A iniciativa do COI (Comitê Olímpico Internacional) é trazer mais jovialidade ao cronograma da Olimpíada. 

Formato e regras 

O skate contará com duas de suas muitas modalidades nos Jogos, são elas: o Skate Street e o Skate Park. No Street, uma pista simula obstáculos que são encontrados nas ruas. Os competidores precisam fazer manobras em rampas, degraus, corrimões, dentre outras coisas. Tudo isso sob o olhar atento de juízes que distribuirão suas notas conforme a realização desses movimentos. 

Crédito: Anderson Lira.

Já na modalidade Park, a competição é realizada dentro de um bowl, que são como piscinas gigantes, onde alguns elementos de outras modalidades são inseridos, como os corrimões que também estão presentes no Street. Outra diferença aqui é o tamanho da pista que pode chegar a cinco metros de profundidade em alguns trechos do circuito. Os juízes também avaliam as manobras que devem ser apresentadas dentro de 40 segundos. 

Em ambas as modalidades, os juízes avaliam o grau de dificuldade, a altura, a velocidade, a originalidade, a execução e a composição das manobras realizadas.  

Local da competição 

O skate na Olimpíada do Japão vai se instalar na Ariake Urban Sports Park. A arena tem capacidade para 6.000 espectadores e fica localizada em Ariake, bairro do distrito de Koto, em Tóquio. 

Pista do park à esquerda e do street à direita. Crédito: Divulgação/COI. 

Calendário

Crédito: Thalis Nicotte/Idries Bulkool.

Brasil no Park Feminino 

Única categoria nessa Olimpíada em que o Brasil nunca ganhou uma medalha em campeonatos mundiais. De qualquer forma, a equipe vem crescendo e pode surpreender. Destaque para Yndiara Asp, que ficou em quarto na etapa de Nanjing do circuito mundial, em 2019. As outras brasileiras que correm por fora são Dora Varella e Isadora Pacheco. As três brasileiras já estão garantidas em Tóquio. 

Brasil no Park Masculino 

Aqui, destacamos Pedro Barros. Campeão mundial em 2018, Pedrinho também possui seis medalhas de ouro nos X-Games. Ele tem uma característica peculiar: sempre aposta no tudo ou nada. E quando acerta, o ouro vem. Ele já está classificado para Tóquio. 

Pedro Barros vai buscar o ouro em Tóquio. Crédito: Julio Detefo/CBSk.

Os outros dois representantes brasileiros são Luizinho e Pedro Quintas. Luizinho também chega como favorito a conquistar uma medalha. Pedro Quintas, que é terceiro colocado no ranking mundial, também vai brigar pelo pódio. 

Brasil no Street Feminino

Se tem uma modalidade que o cheirinho de ouro já começa a ser sentido é o street feminino. O Brasil tem cinco atletas entre as dez melhores do mundo. Dentre as brasileiras, temos Letícia Bufoni como principal destaque. Ela é a maior vencedora da história do street feminino. 

Letícia Bufoni, Pâmela Rosa e Rayssa Leal são as favoritas em Tóquio. Crédito: Divulgação/CBSk. 

Pâmela Rosa, no entanto, vive um melhor momento. A brasileira foi campeã mundial em 2019 e chega com muito favoritismo. Uma curiosidade é que, em 2016, Pâmela entrou para o Guinness Book como a atleta mais jovem a levar o ouro nos X-Games. Ela tinha 16 anos.  

Falando de juventude, Rayssa Leal fecha o trio brasileiro de favoritas. Com apenas 13 anos, a “Fadinha” já é vice-campeã mundial e tem inúmeros títulos, entre eles a etapa de Los Angeles do mundial de skate street quando tinha 11 anos. Em caso de classificação para Tóquio, Rayssa poderá ser a atleta mais jovem da história a disputar os Jogos Olímpicos.

Rayssa Leal é a jovem promessa brasileira. Crédito: Reprodução/Instagram. 
Crédito: Anderson Lira.

Brasil no Street Masculino 

Kelvin Hoeffler é o favorito da delegação brasileira. Conquistou cinco títulos mundiais de skate street e entrou para o Livro dos Recordes. Outros nomes brasileiros que buscam a vaga e um pódio em Tóquio são Felipe Gustavo, Carlos Ribeiro, Giovani Viana, Lucas Rabelo e Luan Oliveira. 

Outros Favoritos 

Park Feminino 

Essa modalidade destaca as atletas do Japão como favoritas, inclusive para fechar o pódio. Misugu Okamoto, de 14 anos, é campeã mundial e líder do ranking. Sakura Yosozumi, de 18 anos, é a atual campeã mundial em 2018 e vice-líder do ranking mundial. Kisa Nakamura, de 20 anos, tem dois bronzes e uma prata em mundiais. Sky Brown, 12 anos, britânica nascida no Japão, vem crescendo e pode beliscar uma vaga no pódio. Para fechar, vamos falar de Lizzie Armanto, 28 anos, é americana, mas defende a Finlândia, é a quinta no ranking mundial e atual detentora da medalha prata do Drew Tour. 

Park Masculino 

Os Estados Unidos também chegam como favoritos por aqui. São seis atletas americanos entre os 10 melhores do mundo. Heimana Reynolds, 21 anos, é o atual campeão mundial e muito favorito ao título ao Tóquio. O único problema é que ele só compete sem camisa, algo que deve causar problemas com o COI. 

Heimana Reynolds é um dos favoritos. Crédito: Julio Detefon/CBSk.

Cory Juneau, Jagger Eaton, Tom Shaar, Alex Sorgente, Ben Hatchell e Tate Carew também brigam por vagas pelo time americano. Quem chegar a Tóquio, vai brigar por medalha. Tirando os Estados Unidos e o Brasil, pouca gente tem chance. Mas entre os que correm por fora temos Oskar Rozenberg Hallber, da Suécia, e Keegan Palmer, da Austrália. 

Street Feminino 

Algumas atletas podem tirar o doce sabor de pódio das brasileiras. Dentre elas, a japonesa Aori Nishimura, terceira colocada do ranking. Ela foi campeã mundial em 2018 e bronze em 2019. Leo Baker é outra que pode dar trabalho. A americana já atrapalhou muito a vida de Letícia Bufoni, conquistando dois campeonatos mundiais.  

Street Masculino 

O maior favorito da modalidade é o americano Nyjah Houston. É o melhor skatista da atualidade segundo os especialistas e o mais bem pago. Nyjah é simplesmente hexacampeão mundial e foi campeão dos X-Games por 12 vezes. Nem precisa falar mais nada.

 Nyjah Houston é o favorito ao ouro. Crédito: Breno Barros/Rede do Esporte. 

Yuto Horigome, japonês, é campeão dos X Games em 2019 e vencedor de três etapas do circuito mundial de 2018, além de ser o vice-campeão mundial. Outros nomes que correm por fora estão Shane O’Neill, da Austrália e o português Gustavo Ribeiro. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s