Escalada também é novidade no programa olímpico

Foto de capa: Rebeca Doin

Por Thalis Nicotte

A escalada é outra novidade no programa olímpico. O esporte já definiu todos os atletas que estarão em Tóquio e nenhum brasileiro se classificou. São três modalidades em disputa: dificuldade, bouldering e velocidade. 

O formato e as regras 

Nos Jogos Olímpicos, a medalha vai para o combinado das três modalidades. Todos os atletas competem em todas elas e vence quem for melhor no geral. A classificação final será definida pela multiplicação da posição em cada disciplina. Quem ficar com a menor pontuação, conquista o ouro. 

Dificuldade 

Os atletas precisam escalar uma parede de mais de 15 metros de altura em seis minutos. Quem alcançar a maior altura possível sairá vencedor desta modalidade. Os escaladores usam cordas de segurança e quickdraws (equipamento que permite que a corda corra enquanto é manuseada pelo competidor).  

Se um atleta prender a sua corda ao puxão rápido superior, a prova está completa. Em caso de queda, a altura em que estava não é registrada e o escalador não pode tentar novamente. No caso de dois atletas chegarem à mesma altura, o vencedor será quem chegou mais rápido. 

Crédito: Clara Flávio

Bouldering 

A modalidade consiste em uma série de paredes pequenas, entre quatro e seis metros, nas quais é preciso técnica e habilidade para resolver os desafios que cada uma delas apresenta. Vence quem chegar aos pontos indicados em cada uma das paredes. Em caso de queda, os competidores podem tentar mais uma vez. 

Velocidade 

Os escaladores tentam escalar uma parede de 15 metros, colocada em um ângulo de 95 graus. Quem alcançar o topo da parede primeiro é o vencedor. 

Local da Competição 

A escalada tem a sua sede no Parque Urbano de Aomi, na cidade de Koto, nas ilhas artificiais da Baía de Tóquio. A lista completa dos locais de competição você pode acompanhar nesse link, que faz um panorama completo sobre os jogos!  

Na imagem, temos uma noção das paredes da escalada – Foto: Reprodução/Tóquio 2020 

Calendário (dia e horários de Brasília)

Crédito: Rebeca Doin

Favoritos 

Combinado Feminino 

A grande favorita é a eslovena Janja Garnbret com seis títulos mundiais, sendo dois deles no combinado. Jessica Pilz, da Áustria, foi campeã mundial em 2018 na dificuldade e bronze no combinado no mesmo ano. A japonesa Akiyo Noguchi também é destaque. Ela tem quase 60 pódios na carreira, com cinco medalhas em mundiais e 21 vitórias em Copas do Mundo. Outros nomes que podem surpreender são: Miho Nonaka (Japão), Shauna Coxsey (Grã-Bretanha), Petra Klingler (Suíça) e Viktoria Meshkova (Rússia). 

Janja Garnbret é a favorita ao ouro em Tóquio – Foto: Olympic Channel

Combinado masculino 

Dois competidores se destacam no masculino: Jakob Schubert (Áustria) e Adam Ondra (República Tcheca). Ambos têm três títulos mundiais na prova de dificuldade. Além disso, possuem inúmeras vistorias em etapas da Copa do Mundo e chegam com moral na briga pelo ouro olímpico. 

O tcheco Adam Ondra é um dos favoritos na escalada – Foto: Reprodução/Tóquio 2020

Outro tricampeão mundial, o canadense Sean McColl, também chega na briga. Especialista em bouldering, o japonês Tomoa Narasaki quer o ouro em casa. Em 2019, Narasaki levou o ouro no combinado masculino. Alguns outros concorrentes também levaram medalhas em mundiais e chegam querendo o pódio: Jan Hojer (Alemanha), Rishat Khaibuillin (Cazaquistão) e Ludovico Fossali (Itália). 

Crédito: Clara Flávio
Crédito: Thalis Nicotte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s