Seleção Brasileira masculina busca vaga para Tóquio no Basquete, que tem categoria estreante

Foto de capa: Rebeca Doin 

Por Maria Carolina Fernandes  

3×3: mais uma estreia nas Olimpíadas de Tóquio  

O basquete 3×3 é mais uma modalidade olímpica nova a entrar em Tóquio. Ele surgiu no final dos anos 1980 nas ruas de vários países, mas foi nos Estados Unidos que se popularizou. As primeiras competições surgiram por lá. 

A Federação Internacional de Basquete (FIBA) testou a modalidade pela primeira vez nos Jogos Asiáticos em Recinto Coberto em 2007. Mais tarde, a modalidade fez a sua estreia nos Jogos Olímpicos da Juventude 2010, em Cingapura. 

Depois do sucesso feito nessas competições, em 2020, o 3×3 foi aceito nas Olimpíadas de Tóquio, após a FIBA estruturar um programa que visava as Olimpíadas. 

O basquete 3×3 estará nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020 – Foto: Reprodução/FIBA 

Regras 

O basquete 3×3, geralmente, é disputado em quadras abertas e possui várias diferenças para o basquete 5×5, a começar pelas quadras e o número de tabelas. 

A partida é jogada em meia quadra de basquete 5×5 e possui apenas um aro para ambos os times realizarem seus arremessos. As equipes possuem quatro jogadores, sendo três em quadra e um na reserva. A posse de bola dura 12 segundos. 

Diferente do basquete convencional, que possui linha de três pontos, no 3×3 serve como linha de dois pontos. Logo, os arremessos fora da linha valem dois, e os feitos dentro dela valem um. Os lances livres também valem um ponto, em faltas cometidas dentro do arco. 

As partidas têm duração de 10 minutos, mas podem ser encerradas antes caso alguma equipe complete 21 pontos, vencendo o jogo. Se houver empate, vai para a prorrogação e vence a primeira equipe a marcar dois pontos. 

Classificatórias 

Tabela de classificação pelo ranking – Foto: FIBA 3×3 

Brasil  

A Seleção Brasileira foi eliminada nas quartas de final do pré-olímpico masculino de basquete 3×3. A derrota veio depois de sofrer uma virada para a equipe francesa e perder o jogo por 21 a 19. Com isso, o Brasil perdeu as chances de se classificar para as Olimpíadas de Tóquio.  

A equipe feminina do Brasil também está fora de Tóquio. A seleção foi eliminada pela Austrália em fevereiro de 2020, na fase pré-olímpica. 

Demais seleções 

Masculino

As três vagas em disputa no Pré-Olímpico de Graz (na Áustria) ficaram com Holanda, Polônia e Letônia. Ao todo, serão oito Seleções disputando os jogos de Tóquio. No masculino, já são sete classificadas: Japão, Sérvia, Rússia e China, além das três já citadas.   

A oitava vaga será preenchida por uma das Seleções que disputarem o Pré-Olímpico da Universalidade, que terá os seis melhores classificados do ranking que não participaram das últimas edições dos jogos. Essas equipes serão: Hungria, Mongólia, Eslovênia, Bélgica, Ucrânia e Romênia. 

Feminino

Através da classificação do ranking, Rússia, China, Mongólia e Romênia conseguiram vagas para Tóquio. Pelo Pré-Olímpico, Estados Unidos, França e Japão. Como no masculino, a última vaga sairá do Pré-Olímpico da Universalidade, que conta com as seguintes seleções: Hungria, Irã, Holanda, Itália, China Taipei e Estônia. 

Regulamento do basquete 3×3 nas Olimpíadas 2020 – Foto: Reprodução/Esportelândia 

Modalidade 5×5 

O basquete é um dos esportes mais populares das Olimpíadas e um dos que o público mais gosta de assistir. Diferente do 3×3, que fará sua estreia em Tóquio, o 5×5 já é um velho conhecido e está nas Olimpíadas desde 1936, quando fez sua estreia em Berlim. 

Crédito: Clara Flávio

Principais Regras 

A quadra de basquete possui 28 metros de comprimento por 15 metros de largura. Diferente do basquete 3×3, que é jogado em meia quadra, no 5×5 é na quadra inteira e possui duas cestas, uma de cada lado no fundo da quadra.  

As partidas têm 40 minutos no total, sendo dividida em 4 quartos de 10 minutos. Caso haja empate no final da partida, são realizadas prorrogações de 5 minutos até que aconteça o desempate. 

A pontuação pode variar entre um, dois e três pontos. Sendo três para cestas marcadas fora da linha de 3, dois pontos para arremessos feitos dentro dessa linha e um ponto para lances livres. 

Seleção Brasileira 

Em todas as suas participações nas Olimpíadas, o Brasil possui ao todo cinco medalhas, juntando o masculino e o feminino: quatro de bronze e uma de prata. A primeira medalha veio em Londres, no segundo ano de participação do país em 1948. 

Em Londres, Brasil conquistou sua primeira medalha olímpica no basquete em 1948 – Foto: Reprodução/Esportelândia
Seleção Brasileira liderada por Hortência na conquista da medalha de prata, em Atlanta (1996) – Foto: Reprodução/Esportelândia 

Para as Olimpíadas de Tóquio, a Seleção Brasileira masculina ainda vai em busca da vaga no Pré-Olímpico, que acontecerá entre os dias 29 de junho e 4 de julho. A equipe do técnico Aleksandar Petrović ficará no grupo B da eliminatória. Ainda há quatro vagas disponíveis. 

Já a equipe feminina ficou de fora da competição. A seleção foi eliminada na fase pré-olímpica após perder suas três partidas contra Porto Rico, França e Austrália. 

Demais seleções 

No masculino, oito vagas já estão preenchidas e as outras 4 sairão da disputa do Pré-Olímpico. As equipes classificadas são: Irã, França, Estados Unidos, Austrália, Nigéria, Argentina, Japão e Espanha. 

As 12 seleções femininas que disputarão os Jogos já foram definidas: Coreia do Sul, Sérvia, Canadá, Espanha, Nigéria, Japão, França, Estados Unidos, Austrália, Porto Rico, China e Bélgica. 

Grupos da competição masculina de basquete nos Jogos de Tóquio — Foto: Reprodução/FIBA 

Seleção com mais vitórias 

Crédito: Clara Flávio

Os Estados Unidos lideram o ranking de campeões olímpicos com uma vantagem gigante. Em 19 participações nos jogos, a equipe americana foi campeã 15 vezes no masculino. 

Campeões no Rio de Janeiro em 2016, Estados Unidos aumentaram hegemonia histórica no basquete olímpico – Foto: Reprodução/Esportelândia 

No feminino, não é diferente: de 11 participações, a equipe americana conquistou oito medalhas de ouro. 

Estrelas da WNBA levaram Estados Unidos a mais uma medalha de ouro na Rio 2016 – Foto: Reprodução/Esportelândia 

Quadro de medalhas das equipes femininas e masculinas 

Quadro de medalhas das seleções femininas – Foto: Reprodução/Esportelândia 
Quadro de medalhas das seleções masculinas – Foto: Reprodução/Esportelândia 

Calendário

Crédito: Clara Flávio
Crédito: Thalis Nicotte

Um comentário sobre “Seleção Brasileira masculina busca vaga para Tóquio no Basquete, que tem categoria estreante

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s