Seja na velocidade ou habilidade, as canoagens slalom e de velocidade invadem as águas artificiais de Tóquio 2020

Foto de capa: Rebeca Doin 

Por Idries Bulkool 

As canoas são usadas pelos seres humanos há séculos, mas seu uso esportivo só apareceu no meio do século XIX na Grã-Bretanha, através dos escritos do escocês John MacGregor. A primeira regata de canoagem de velocidade foi feita diretamente do rio Thâmisa, em 1867, e o primeiro grupo organizado da modalidade se formou em Copenhagen, na Dinamarca, que mais tarde veio a se transformar na Federação Internacional de Canoagem (IFC), em 1946. A categoria masculina foi um esporte de demonstração em 1924 para então fazer parte do programa olímpico a partir de 1936, em Berlim. O caiaque, primeiro evento feminino, surgiu nos jogos de Londres em 1948. 

Crédito: Rebeca Doin.

Formato 

Estas modalidades possuem dois tipos de barcos: canoas e caiaques. Na primeira categoria, os competidores permanecem ajoelhados, sem um leme, apenas com um remo de lâmina simples. Já nos caiaques, o remador fica sentado com um remo com lâmina nas duas pontas. Nesse modo, há um controle do leme usando os pés. 

Canoagem de velocidade 

Crédito: Divulgação/Winarquitetura. 

A canoagem de velocidade deve acontecer em águas calmas, onde diversas canoas partem em linha reta de um ponto pré-determinado, competindo entre si, até a linha de chegada. Nessa categoria, as distâncias costumam ser mais curtas, demandando o máximo de velocidade dos atletas. Para ajudar a navegar e controlar as canoas, são usados remos com lâminas apenas em um dos lados, sendo ainda mais importante o uso adequado de técnicas de manobras. 

Crédito: Rebeca Doin.

Nas corridas de água rasa, os barcos se alinham e partem juntos após um sinal sonoro. Os oito melhores das semifinais vão para uma final principal, enquanto os oito últimos disputam uma final ‘B’. Assim como em provas de atletismo, a largada pode ser determinante no resultado de uma regata.   

Canoagem Slalom 

Atletas durante uma das competições de canoagem slalom. Crédito: Divulgação/Surtoolimpico 

A canoagem Slalom envolve uma descida, no menor tempo possível, dos atletas dentro de canoas, passando por ‘portões’ que guiam o caminho a ser seguido. Nessa modalidade, tão importante quanto a velocidade, é preciso muita técnica e os movimentos coordenados no momento certo para controlar a canoa e não esbarrar nos checkpoints, que são na faixa de 18 a 25, ao longo de cerca de 250 metros de percursoCaso toquem nos portões, uma penalidade de 2 segundos será adicionada no tempo. Se ainda pior, o competidor perder um dos portais, 50 segundos são adicionados. 

Embora seja realizada em cursos artificiais de água, a canoagem slalom acontecia em um curso de água natural, bastante movimentado e com correntezas. A estreia da modalidade em Olimpíadas aconteceu em Munique, 1972. Contudo, logo foi interrompida a categoria, voltando em definitivo 20 anos depois, em 1992, permanecendo até hoje como parte permanente do programa olímpico. A novidade desse ano será a prova individual feminina, no lugar da prova masculina em dupla.  

Eventos 

As categorias da canoagem de velocidade são variadas. Se as corridas de 200 metros podem terminar próximo dos 30 segundos, provas mais longas como as de 500 e 1.000 metros exigem uma estratégia melhor para não se exaurir fisicamente e conseguir um sprint final que pode garantir a vitória. Enquanto isso, nas provas em dupla e em equipes de quatro pessoas, o fator determinante é a habilidade de remar de forma sincronizada o mais rápido possível.  

Crédito: Rebeca Doin.

Os eventos que compõem a canoagem slalom são: caiaque individual (K-1) masculino e feminino, além da canoa individual (C-1) masculina e feminina. Cada competidor realiza duas voltas de qualificação e o tempo mais rápido entre uma delas deve garanti-lo nas semifinais. Para se classificar à final, uma nova volta acontece. O mesmo deve ser feito pelos 10 finalistas classificados, e apenas esta volta servirá de parâmetro para o campeão. 

Promessas Brasileiras Em Tóquio 2020 

Isaquias Queiroz é a grande esperança de medalhas, sim, no plural, para o Brasil. Ele foi o primeiro brasileiro a conquistar três medalhas em uma mesma edição de jogos olímpicos, na Rio2016 (prata na C1 1.000m e C2 – 1.000m, além do bronze pela C1 200m). O baiano de Ubaitaba venceu a categoria C1 1.000 metros do Campeonato mundial de 2019 e, após quase dois anos sem competições oficiais, levou a prata na Copa do Mundo de canoagem pela mesma categoria, realizada em maio deste ano. 

Crédito: Divulgação/COB. 

Serão dois os brasileiros classificados para representar o brasil na canoagem Slalom em Tóquio 2020. A mineira Ana Sátila, de 25 anos, garantiu vaga na categoria C1 ainda em 2019, pelo mundial da categoria, e representa o Brasil no feminino. No masculino, pela categoria K1, o paulista Pedro ‘Pepê’ Gonçalves, de 28 anos, é quem representa o brasil. Ele garantiu a vaga através de uma seletiva brasileira realizada em março de 2020, no Parque Radical em Deodoro (RJ). 

Crédito: Divulgação/ICF. 

Canoagem de velocidade  

Tradicionalmente, as provas de canoagem são dominadas pelos países europeus. Pela canoagem de velocidade quem mandou bem na Rio 2016 foi a Hungria, que ganhou 3 de 4 provas no feminino, e a Alemanha, levando a melhor em 3 das seis provas masculinas. Outros continentes também vêm mostrando força no esporte, com China, Nova Zelândia e Brasil começando a fazer frente aos competidores do velho continente.  

Crédito: Rebeca Doin.

Canoagem slalom  

As medalhas de ouro e de prata da canoagem slalom só não foram parar em mãos europeias em Pequim 2008, canoa e caiaque, e na Rio 2016, pela canoa. Países fortes tanto no masculino quanto no feminino são, por exemplo, a Alemanha, França, República Tcheca e Eslováquia. Vale lembrar que na canoagem slalom apenas um atleta por país pode se classificar para cada uma das provas, com um total de quatro participantes no máximo. Contudo, o grande nome para Tóquio vem da Austrália e responde pelo nome de Jessica Fox. Ela, que foi prata em Londres 2012 e bronze na Rio 2016, vem com força total após ser também líder do ranking mundial da ICF em 2019. 

Calendário (dia e horários locais de Tóquio)

Locais de competição 

Localizado próximo ao centro de Tóquio, o canal da floresta do mar será responsável por receber as provas de canoagem de velocidade, um local à beira-mar, com capacidade para receber 12.800 espectadores. A canoagem slalom será realizada no Centro Kasai, com capacidade para 7.500 pessoas. Ambos os locais serão usados após os jogos como lugar de referência na prática de esportes aquáticos na Ásia. A lista completa desse e de outros locais de competição você pode visualizar clicando nesse link com um guia completo das Olimpíadas.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s