Na segunda rodada da Euro, Bélgica e Itália garantiram classificação para as oitavas de final, enquanto Inglaterra e Espanha continuaram a decepcionar seus torcedores.

Foto de Capa: Divulgação/Eurocopa.

Por Rodrigo Glejzer 

A segunda rodada do Campeonato Europeu de Futebol, a Eurocopa, realizada entre os dias 16 e 19 de junho, teve o clássico mais antigo do mundo, entre Escócia e Inglaterra, e o duelo entre Portugal e Alemanha como principais confrontos da semana. Em termos de classificação, a Espanha corre sério risco de cair na fase de grupos, enquanto a Itália tem sido a única grande seleção a manter o nível de atuação nas duas rodadas. Os dois melhores de cada grupo, junto com os quatro terceiros colocados mais bem colocados, se classificam para os mata-matas, marcados para acontecer entre os dias 26 de junho e 11 de julho. 

Grupo A 

Depois de ter ficado fora da última Copa do Mundo, a Itália parece ter aprendido a lição e tem apresentado as atuações mais seguras de uma grande seleção na Eurocopa. Depois de golear a Turquia, foi a vez da Suíça sofrer com o ataque italiano. Com dois gols de Manuel Locatelli e um de Ciro Immobile, a “Squadra Azzurra” garantiu com tranquilidade uma das vagas nas oitavas de final.  

Turquia e Gales fizeram a outra partida do Grupo A e, novamente, os turcos decepcionaram a torcida e a crítica. Depois de surpreenderem ao baterem a Noruega de Haaland e Odegaard pelas eliminatórias do Mundial no Catar, a equipe de Şenol Güneş foi derrotada pela segunda vez na Euro. Com uma boa atuação de Gareth Bale, que deu uma linda assistência para Ramsey e perdeu um pênalti, os galeses venceram por 2 a 0. Connor Roberts aumentou o placar no final do jogo, e encaminharam sua classificação. Já os turcos precisam golear a Suíça por pelo menos seis gols para zerar o saldo e ter alguma chance de ficar com uma das vagas de terceiro lugar.  

Apesar do pênalti perdido, Bale foi vital para a vitória de Gales sobre a Turquia.
Foto: Getty Images.

Grupo B 

Atuando em casa, no estádio Krestovsky, em São Petersburgo, a Rússia conseguiu vencer a Finlândia por 1 a 0 com gol de Aleksei Miranchuk. Depois de ser dominada pela Bélgica e tomar de 3 a 0 na primeira partida, a seleção comandada por Stanislav Cherchesov controlou a posse de bola contra os finlandeses, mas ambas as equipes mostraram deficiência em finalizar as jogadas e apenas três bolas acabaram acertando as metas dos goleiros. 

Depois de quase perderem Christian Eriksen, que teve um ataque cardíaco no jogo contra a Finlândia, a Dinamarca teve pela frente a Bélgica, favorita não só para o primeiro lugar do grupo, mas também com o título europeu. Sem seu camisa 10 e principal jogador, os dinamarqueses começaram o jogo muito bem. Yussuf Poulsen abriu o marcador aos 2 minutos da primeira etapa e a “Dinamáquina” passou a pressionar os belgas até o final da etapa. Irreconhecíveis na parte inicial da partida, o técnico Roberto Martinez resolveu colocar Kevin de Bruyne, fora do primeiro jogo e do time titular por estar se recuperando de um choque sofrido contra Antonio Rudiger na final da Champions deste ano, no lugar de Dries Mertens.  

Com o meia do Manchester City-ING em campo, a Bélgica conseguiu empatar logo no começo do segundo tempo. Lukaku arrancou na esquerda, passou para De Bruyne dentro da área, que repassou a bola para Thorgan Hazard empatar. Dezesseis minutos depois foi a vez do próprio De Bruyne marcar e virar o jogo. Atrás na partida, a Dinamarca correu em busca do resultado, chutou vinte vezes ao gol, mas não conseguiu igualar o placar. Com a vitória, os belgas garantiram vaga nas oitavas. Já os dinamarqueses vão precisar vencer a Rússia por pelo menos 2 a 0 e torcer para que os belgas derrotem os finlandeses na última rodada da fase de grupos.

Kevin De Bruyne voltou com tudo para comandar a virada belga – Foto: Reuters.  

Grupo C 

A Áustria teve um jogo com maior posse de bola e troca de passes, mas a Holanda finalizou melhor em direção ao gol, quatro vezes contra apenas um único chute certeiro dos austríacos. Melhor para a “Laranja Mecânica” que garantiu um 2 a 0 na partida, gols marcados por Depay e Dumfries, e a ponta da chave classificatória.

Após surpreender os holandeses e quase conseguir empatar o primeiro jogo, perdeu no finalzinho depois de igualar uma diferença de dois gols, a Ucrânia teve pela frente a Macedônia do Norte. Ambos os países têm um passado em comum, pois pertenciam ao bloco socialista até a dissolução da União Soviética em 1991. Em campo, a partida foi bastante parelha apesar dos ucranianos saírem do primeiro tempo com uma vantagem de 2 a 0, tentos marcados por Yarmolenko, aos 29, e Yaremchuk, aos 34. No começo da segunda etapa, os norte macedônios tiveram um pênalti a favor. O meia Ezgjan Alioski bateu, o goleiro Bushchan defendeu e no rebote o próprio Alioski escorou para as redes e diminuiu o placar. Todavia, a Macedônia do Norte não teve muitas forças para continuar a reação e o placar acabou em 2 a 1 a favor da Ucrânia.  

Em primeiro lugar e já classificada, a Holanda enfrenta na última rodada os norte macedônios, que precisam vencer por pelo menos 3 a 0 para tentar garantir uma das vagas de melhor terceira colocada. Na outra partida, Áustria e Ucrânia duelam para assegurar, pelo menos, o segundo lugar. 

Dumfries foi novamente decisivo em partida da Holanda na Euro 2020 – Foto: AP Photo.

Grupo D 

Se a Itália é uma das boas surpresas na atual Eurocopa, a Inglaterra é uma das maiores desilusões por enquanto. Com um elenco recheado de estrelas e depois de realizar boas campanhas nos últimos três anos, semifinais da Copa de 2018 e terceiro lugar na Liga das Nações 2018/2019, os “Três Leões” tiveram pela frente a Escócia, sua parceira no Reino Unido.  

O confronto é considerado o mais antigo entre países no mundo, com a primeira partida datada em 1872. Desde então ocorreram 50 vitórias da Inglaterra, 41 da Escócia e 25 empates. No entanto, o time escocês está desde 1985 sem ganhar dos seus arquirrivais quando Richard Gough marcou o gol da vitória em um amistoso entre as duas nações. Com uma equipe formada por atletas de ponta da Premier League, o time treinado por Gareth Southgate era amplo favorito para o confronto, apenas o segundo entre Inglaterra e Escócia em todas as Eurocopas.  

Todavia, os ingleses em nenhum momento tiveram o controle da partida. Na verdade, foi a Escócia quem criou as melhores chances contra uma Inglaterra bastante apática. O artilheiro inglês Harry Kane, inclusive, saiu zerado de chutes no segundo tempo. Como faltava qualidade para o ataque escocês marcar, apesar da boa partida de Che Adams, o placar acabou empatado em 0 a 0, o primeiro na história do confronto.  

Jogando no estádio Hampdem Park, em Glasgow, na Escócia, Croácia e República Tcheca fizeram a segunda partida pelo grupo D. Depois de mostrar pouco futebol em sua estreia contra a Inglaterra, os croatas voltaram a repetir fraca atuação e empataram em 1 a 1. O tcheco Patrick Schick abriu o placar de pênalti aos 37 do primeiro tempo, depois dele mesmo sofrer uma cotovelada de Lovren, e Perisic, depois de se aproveitar de um escorregão do lateral Coufal, empatou a partida nos dois primeiros minutos do segundo tempo.  

Agora a Croácia, para tentar garantir uma das duas vagas diretas, precisará vencer a Escócia e torcer para a República Tcheca perder o jogo contra a Inglaterra. Já os escoceses terão que derrotar os croatas por pelo menos 2 a 0, para zerar o saldo de gols, e também esperar uma derrota tcheca. Para a equipe dos artilheiros Schick e Kane, um empate entre suas seleções já é o suficiente para garantir a vaga de ambas nas oitavas.

Artilheiro e líder de assistências na última Premier League, Harry Kane sequer conseguiu chutar a gol na Euro. Foto: PA Images via Getty Images.

Grupo E  

Em uma das partidas menos emocionantes da Euro até agora, Eslováquia e Suécia se enfrentaram em São Petersburgo, na Rússia. Como ambas as equipes são conhecidas por um futebol defensivo, a partida não teve grandes chances criadas. Apesar de ter maior controle da bola, os eslovacos não conseguiram acertar o gol em nenhuma de suas oportunidades, enquanto os suecos até criaram mais, exigindo que o goleiro Dubravka fizesse ao menos três defesas, mas foi em um pênalti, convertido por Forsberg, que os comandados de Jan Andersson garantiram a vitória e a ponta, provisória, do grupo. 

Antes da Eurocopa começar, a crítica esportiva colocou Polônia e Espanha como favoritas nas duas vagas diretas para as oitavas. Todavia, nenhuma das duas respondeu ao favoritismo e foram mal na primeira rodada. Agora se enfrentando, poloneses e espanhóis lutavam pela redenção e sobrevivência na chave E. Começando com Gerard Moreno no ataque, ao lado de Álvaro Morata, “La Roja” viu sua nova dupla de ataque funcionar aos 25 do primeiro tempo. Moreno pegou a bola dentro da área, virou e chutou em cima da zaga. Morata conseguiu se posicionar e aproveitar o rebote para abrir o placar para a Espanha. A Polônia fez um jogo bastante parelho na primeira etapa e quase empatou no fim, mas Robert Lewandowski perdeu chance cara a cara com o goleiro Unai Simón. 

No segundo tempo, aos 9 minutos, os poloneses armaram nova oportunidade e, desta vez, Lewa escorou de cabeça para os fundos da rede. Porém, no minuto seguinte, a Espanha conseguiu um pênalti. Moreno recebeu novamente dentro da área e foi pisado por Moder. O próprio atacante bateu, mas perdeu ao acertar a trave. Na sobra, Morata chutou sem jeito para fora e a partida acabou empatada.

Na última rodada, Eslováquia e Suécia só precisam empatar contra, respectivamente, Espanha e Polônia. Para poloneses e espanhóis, é preciso vencer de qualquer maneira caso queiram garantir uma das vagas às oitavas de final.  

Atual melhor do mundo, Lewandowski desencantou e marcou o seu primeiro na Eurocopa.  
Foto: Getty Images.

Grupo F 

No chamado grupo da morte, a Hungria, principal azarão, conseguiu um enorme feito ao arrancar um empate contra a França em Budapeste. Jogando em casa na Puskás Aréna, os húngaros se propuseram a segurar os franceses na base da retranca. Apesar de Mbappé e companhia conseguirem criar algumas boas oportunidades, foi a Hungria que abriu o placar em seu único bom ataque no jogo todo. Recebendo lançamento quase da defesa, o lateral Attila Fiola aproveitou-se de uma falha de posicionamento de Varane e Pavard, que deixaram o lado direito da defesa aberto, e colocou os húngaros em vantagem na partida nos acréscimos do primeiro tempo. 

A França passou a pressionar ainda mais a saída de bola da Hungria no segundo tempo. Após jogada de Mbappé no lado esquerdo do ataque, o zagueiro húngaro Orban não conseguiu afastar a bola da área e ela sobrou livre para Antoine Griezmann apenas empurrar para as redes e empatar o jogo. O time de Didier Deschamps até tentou a virada, mas o goleiro Gulácsi mais uma vez mostrou estar inspirado e fechou o gol. Um empate suado que manteve os húngaros com chances de classificação. 

Depois de perder para a França na primeira rodada, a Alemanha recebeu Portugal em Munique, no estádio Allianz Arena. Vindos de uma vitória tranquila contra a Hungria, os portugueses pareciam mais confiantes do que os alemães para a partida. Inclusive, conseguiram abrir o placar depois que Bernardo Silva deu lançamento magistral para Diogo Jota que apenas empurrou para Cristiano Ronaldo fazer o primeiro gol do confronto. No entanto, depois desse bom momento português a Alemanha foi quem passou a dar as cartas.  

Atacando bastante pelos lados, e depois de ter um gol anulado logo nos primeiros minutos da partida, a equipe de Joachim Low conseguiu a virada de uma maneira, no mínimo, curiosa. Tentando rebater passes alemães em direção a área, os defensores portugueses Ruben Dias e Rafael Guerreiro acabaram cortando mal as jogadas e acertando o próprio gol. A vitória de Portugal passou a tomar contornos de derrota com dois gols contra.  

No segundo tempo, a seleção comandada por Fernando Santos parecia ainda abatida pela virada pouco usual e nos primeiros minutos levaria mais dois gols. Primeiro com Havertz, aos 6 minutos, e depois com Gosens, que fez partida excepcional ao se aproveitar dos espaços deixados por Nelson Semedo na esquerda do ataque, aos 16 minutos. Portugal ainda conseguiria diminuir com Diogo Jota aos 23, mas a reação parou por aí mesmo com o placar de 4 a 2 a favor da Alemanha. 

Para a última rodada, se a Hungria conseguir vencer a Alemanha conquista uma das vagas diretas para as oitavas. Todavia, para isso ainda precisa contar com a derrota de Portugal para a França. Aos alemães e franceses, um empate já é o suficiente para ficar com a classificação. No caso dos portugueses, apenas a vitória garante 100% de certeza de ir às oitavas.

A defesa portuguesa esteve muito mal durante a partida contra a Alemanha.
Foto: Reprodução/Twitter Fox Sports.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s