Com 53 brasileiros confirmados, Atletismo é esperança de medalha para o Brasil em Tóquio

Foto de Capa: Rebeca Doin  

Por Lucas Furtado Isaias 

O atletismo em Jogos Olímpicos rendeu alguns dos momentos mais memoráveis da história do esporte brasileiro, como a medalha de ouro de Thiago Braz no salto com vara na Rio 2016, em uma disputa intensa com o francês Renaud Lavillenie. E é uma esperança de medalha mais uma vez, agora em Tóquio 2020. Cinquenta e três vagas estão confirmadas para brasileiros nas mais variadas categorias. Ao todo, são 48 provas a serem realizadas com a novidade do revezamento 4X400 misto, seguindo os esforços da organização em ter mais representatividade e equidade nos eventos.  

As provas vão de corridas com ou sem obstáculos à maratona, passando por disputas de arremesso, decatlo/heptatlo e marcha atlética. Todas as provas representam a tradição que o atletismo tem desde a fundação da versão moderna da competição em 1896, mas que tem laços mais antigos vindos da Grécia Antiga em 776 a.C., quando foram organizadas as primeiras competições.  

Crédito: Rebeca Doin

Tais torneios foram ente gregos e civilizações da Ásia e fizeram parte da Olímpiada da Grécia Antiga, que se tornou uma competição oficial. O formato moderno surgiu no fim do Século XVIII, quando competições militares passaram a fazer provas de atletismo e, em 1850, na Wenlock Olympic Games, na cidade inglesa de Shropshire, a modalidade passou a fazer parte do calendário esportivo.  

Foi para o programa olímpico apenas com competições masculinas, enquanto as femininas só surgiram em Amsterdã 1928. A World Athletics, antiga IAAF, foi fundada em 1912. Já a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) foi criada 65 anos depois, em 1977.  

Em 125 anos que o esporte faz parte do programa olímpico, o atletismo criou grandes nomes, como Usain Bolt, Carl Lewis, Yelena Isinbayeva, Bärbel Wöckel, Caster Semenya. E seguirá criando ícones em suas mais diversas provas. 

As corridas são feitas em uma pista com 400 m, nas provas superiores a este tamanho, os competidores dão algumas voltas. Quando estão chegando ao derradeiro giro na pista, um sino é tocado para avisar aos participantes o fim próximo da prova.  

Eliminatória do Revezamento 4 X 100 na Rio 2016. Na foto, o brasileiro Hugo de Souza – Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil 

Em outro ponto, ao lado da pista, são feitos os saltos em distância e triplo, com a diferença na quantidade de pulos a serem feitos antes de saltar na caixa de área. Cada participante tem três chances de fazer o salto em cada rodada e vence quem fizer o maior salto na decisão. Pulos feitos depois da barra metálica de 20 cm, que separa a pista da caixa, são desclassificados. Vence quem fizer o maior salto, superando os seus adversários.  

As provas de lançamento e arremesso de disco são realizadas em um outro ponto do estádio, e os atletas tentam arremessar o objeto na maior distância possível. As regras são similares para as provas de dardo, disco e de martelo, cada uma com três tentativas para os arremessos. Vence quem arremessar mais longe nos locais permitidos. Em caso de empate, vence quem fez a segunda melhor altura. No dardo, há técnicas específicas para o seu lançamento. No disco, o atleta tem que girar o seu próprio corpo para depois arremessar.  

A marcha atlética é um esporte diferenciado que exige que a pessoa faça o caminho de 20 ou 50 km sempre com, pelo menos, um pé no chão sem flexionar. Fiscais acompanham os atletas nesta prova, e, quando o juiz nota que a regra não está sendo cumprida, ele anota em um quadro de advertências, o que corresponde a um cartão vermelho. Três cartões o desqualificam da corrida. Além disso, há a maratona, com seus 42 km e 195 m de percurso e com a tradição de ser uma das últimas provas da programação olímpica.  

As provas com diversas competições que são chamadas de “combinadas” também fazem parte da programação olímpica. O decatlo, para os homens, com 100 m, 110 m com barreiras, 400 m, 1.500 m, arremesso de peso, lançamentos de disco e dardo e os saltos em altura, com vara e em distância, fazem parte da combinação. Para as mulheres, o heptatlo reúne os 100 m com barreiras, 200 m, 800 m, o arremesso de peso, lançamento de dardo, além dos saltos em altura e distância. Nessas provas, os eventos são feitos em dois dias. 

O salto com vara é feito em um ponto específico do estádio, e os competidores tentam superar os seus limites. Vence quem fizer o maior salto e não for alcançado pelos seus oponentes.  

Prova do salto em altura em Londres 2012, no dia 4 de agosto – Foto: Sum_of_Marc 

O atletismo terá como novidade, nesta edição, a prova de revezamento misto 4 X 400, em conformidade ao desejo do COI de abrir mais espaço para as mulheres e promover a equidade de gênero.  

E o esporte trará muitas emoções e possibilidade de novos momentos históricos. A Diamond League, principal competição da categoria, já viu, em suas últimas etapas nos 400 m com barreira, a quebra de um recorde de 29 anos com Karsten Warholm fazendo a prova em 46.70 seg na etapa de Oslo (01/07). No salto com vara, Armand Duplantis é favorito a quebrar o recorde mundial que ele mesmo fez em 2020, conseguindo saltar em 6 m e 17 cm. Nas últimas etapas da principal competição da IAAF, ele vem tentando saltar em 6 m e 19 cm, mas ainda não conseguiu vencer nesta altura, e há a possibilidade de ocorrer em Tóquio esta quebra de recorde.  

A magia do atletismo, novamente, estará em cena para o mundo poder ver novos recordes serem batidos, novas histórias sendo escritas e muitas emoções em todos os dias de uma das mais aguardadas e tradicionais competições dos Jogos Olímpicos.  

Brasil em Tóquio  

Crédito: Rebeca Doin

O país terá 53 atletas neste esporte nas mais diversas categorias. O destaque é para Alison dos Santos, que quebrou, em quatro provas seguidas, o recorde sul-americano dos 400 m com barreira. Ele venceu a etapa de Estocolmo da Diamond League com 47.34 seg e é esperança de medalha para o Brasil, mesmo concorrendo com Warholm franco favorito para conquistar a medalha de ouro. Conheça todos os atletas, em ordem alfabética:  

Atleta Prova(s) 
Aldemir Gomes 200m 
Alessandro Melo Salto em Distância/Salto Triplo 
Alison dos Santos 400m com Barreiras 
Almir Júnior Salto Triplo 
Altobeli da Silva 3000m com Obstáculos 
Ana Carolina Azevedo 200m/Revezamento 4 X 100m 
Ana Cláudia Lemos Revezamento 4 X 100m 
Anderson Henriques Revezamento 4 X 400m Misto  
Andressa Morais Lançamento de Disco  
Augusto Dutra Salto com Vara 
Bruna Farias Revezamento 4 X 100m 
Caio Bonfim Marcha Atlética – 20km  
Chayenne Silva 400m com Barreiras  
Daniel Chaves Maratona 
Daniel Nascimento Maratona  
Darlan Romani Arremesso de Peso 
Derick de Souza Revezamento 4 X 100m 
Eduardo de Deus 110m com Barreiras  
Eliane Martins Salto em Distância 
Érica Sena Marcha Atlética – 20km  
Felipe Bardi 100m/Revezamento 4 X 100m  
Felipe dos Santos Decatlo 
Fernando Ferreira Salto em Altura 
Gabriel Constantino 110m com Barreiras  
Geisa Arcanjo Arremesso de Peso 
Geisa Coutinho Revezamento 4 X 400m Misto  
Izabela da Silva Lançamento de Disco 
Jorge Vides 200m/Revezamento 4 X 100m  
Jucilene Lima Lançamento de Dardo 
Ketiley Batista 100m com Barreiras  
Laila Ferrer Lançamento de Dardo  
Lucas Carvalho 400m/Revezamento 4 X 400m Misto  
Lucas da Conceição Vilar 200m 
Lucas Mazzo Marcha Atlética – 20km  
Márcio Teles 400m com Barreiras  
Mateus Daniel Adão de Sá  Salto Triplo 
Matheus Corrêa Marcha Atlética – 20km  
Núbia Soares Salto Triplo 
Paulo André 100m/200m/Revezamento 4 X 100m  
Paulo Roberto de Paula Maratona 
Pedro Burmann Revezamento 4 X 400m Misto  
Rafael Pereira 110m com Barreiras 
Rodrigo Nascimento  100m/Revezamento 4 X 100m  
Rosângela Santos 100m/Revezamento 4 X 100m 
Samori Uiki Salto em Distância  
Simone Ferraz 3000m com Obstáculos  
Tabata Vitorino Revezamento 4 X 400 Misto 
Tatiane Raquel 3000m com Obstáculos  
Tiffani Marinho 400m/Revezamento 4 X 400m Misto 
Thiago André 800m/1500m 
Thiago Braz Salto com Vara 
Thiago Moura Salto em Altura 
Vitória Rosa 100m/200m/Revezamento 4 X 100m 

Programação 

Os eventos serão feitos no Estádio Olímpico, com exceção das provas de Marcha Atlética e Maratona, que serão realizadas no Sapporo Odori Park.  

Crédito: Rebeca Doin
Crédito: Thalis Nicotte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s