Após o bronze feminino na Rio 2016, Brasil segue confiante na luta pelo 1º ouro no Voleibol sentado nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020

Foto de capa: Rebeca Doin 

Por Armando Edra

Após a Segunda Guerra Mundial, na qual muitas pessoas ficaram feridas, os benefícios do esporte como parte da reabilitação foram incentivados. Já em 1943, havia evidências de pessoas jogando vôlei sentadas no chão, e foi na segunda metade da década de 50 que houve a modificação da atividade recreativa para um contexto competitivo.  

Em 1956, o comitê de esportes holandês introduziu o jogo de vôlei sentado, aplicando as regras existentes no voleibol tradicional. A primeira competição internacional de vôlei sentado foi realizada em 1967, em Flensburg, Alemanha. Estreou nas Paralimpíadas em 1976, em Toronto, no Canadá, com Israel sendo o primeiro campeão da modalidade, mas só se tornou um esporte oficial para homens nos Jogos Paralímpicos de Arnhem 1980 e para mulheres em Atenas 2004.   

Velocidade, força e resistência, bem como excelentes habilidades técnicas e capacidade de pensar de forma rápida e tática: essas são as características principais que todo atleta precisa ter para competir no esporte. Com mais de 10.000 atletas envolvidos em mais de 75 países, o vôlei sentado é um jogo, verdadeiramente, global. 

CALENDÁRIO

O calendário da competição será entre os dias 27 de agosto e 5 de setembro. Abaixo você confere a programação completa:

Regras e categorias 

Foto: Divulgação/CPB.

Na classe VS1, estão os atletas com uma deficiência que tem maior impacto nas funções essenciais do vôlei sentado. Ex: amputados de perna. 

Na classe VS2, estão os atletas com uma deficiência de menor interferência nas funções em quadra, e cada time só pode contar com dois jogadores dessa classe, sendo que eles não podem estar em quadra ao mesmo tempo. Ex: amputação de parte do pé, amputação bilateral de polegar. 

São seis jogadores em cada time, divididos por uma rede de altura diferente e em uma quadra menor do que na versão olímpica da modalidade. Os sets têm 25 pontos corridos e, o tie-break, 15. Ganha a partida a equipe que vencer três sets.  

A quadra mede 10m de comprimento por 6m de largura. A altura da rede é de 1,15m no masculino e 1,05m no feminino. É permitido bloqueio de saque, mas os jogadores devem manter o contato com o solo o tempo todo, exceto em deslocamentos. 

Crédito: Clara Flávio.

Uma regra importante é que os jogadores devem estar sentados, e seu torso – entre as nádegas e os ombros – deve manter contato com o solo ao jogar a bola. A exceção é que o “levantamento” do solo é permitido se a bola for jogada em uma ação defensiva abaixo da altura da rede no momento do contato com a bola. Os atletas se movem pela quadra deslizando, usando a força de seus braços, sem sair da posição sentada. 

Perspectivas da Modalidade 

A diferença de estatura entre Mehrzad e seu companheiros é surpreendente e um caso único dentro da modalidade – Foto: Friedemann Vogel/Getty Images.

A competição de vôlei sentado em Tóquio 2020 contará com oito equipes em cada uma das competições masculina e feminina, com qualificação por meio de eventos continentais. Um round preliminar determinará a classificação para uma rodada eliminatória. 

Irã e Bósnia e Herzegovina disputaram a medalha de ouro masculina nos últimos cinco Jogos Paralímpicos, com o Irã emergindo vitorioso na Rio 2016. Os iranianos são os grandes favoritos, tendo conquistado o ouro em seis ocasiões. 

Um dos atletas de maior destaque na edição do Brasil foi o iraniano Morteza Mehrzadselakjani, conhecido como Mehrzad. Com uma altura impressionante de 2,46 m, ele é o segundo homem mais alto do mundo e o atleta mais alto a competir em Jogos Paraolímpicos. Nascido com acromegalia devido a um desequilíbrio hormonal congênito e, posteriormente, sofrendo um acidente que o faz usar cadeira de rodas ou muletas no dia a dia, Mehrzad aplicou sua altura com grande efeito na quadra. 

Crédito: Clara Flávio.

No feminino, os EUA superaram a tricampeã China e levaram a primeira medalha de ouro no Rio, com o bronze para o Brasil após a vitória sobre a Ucrânia. A craque Kaleo Kanahele Maclay é uma das estrelas da seleção dos EUA. Considerada uma das melhores e mais consistentes levantadoras e servidoras do mundo, Maclay começou a jogar aos nove anos. Ela ganhou uma medalha de prata ainda adolescente em Londres 2012 e conseguiu ir melhor quatro anos depois, levando o ouro na última edição. 

A performance verde e amarela vem melhorando a cada competição paralímpica que ocorre. Desde a estreia na disputa dos Jogos em Pequim 2008, apenas com a Seleção masculina, que terminou a competição em sexto lugar, o Brasil ficou em quinto lugar no masculino e feminino em Londres 2012. Em seguida, conseguiu o seu melhor resultado na Rio 2016, com a conquista do bronze pela seleção feminina. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s