A volta do Fashion month 

Imagem de capa: Peter White/Getty Images

Por Leo Rodrigues

Na indústria da moda, setembro é o mês mais esperado do ano, com grandes desfiles, nos quais são apresentadas tendências e novidades para a temporada de primavera/verão. Durante o mês, conhecido como Fashion Month, “Mês da moda” em português, as passarelas são os palcos para as marcas mais famosas do mundo. 

Com adaptações e reinvenções durante o atípico ano de 2020, por conta da pandemia do coronavírus, algumas fashion weeks (semanas de moda) se digitalizaram, outras tornaram-se híbridas. Fato é que os eventos presenciais, do jeito que acontecia antes, se tornaram algo inviável naquele momento. 

Pela tradição, Nova York, nos Estados Unidos, é a capital que inicia os desfiles do Fashion Month. Em seguida, os olhares se voltam para a Semana de Moda de Londres, Inglaterra. Após ela, é a vez da fashion week na Itália, mais precisamente em Milão. Por fim, Paris, na França, encerra as grandes apresentações da temporada. 

Em 2020, por exemplo, a semana de moda em Nova York contou com menos dias de desfiles e foi realizado de forma híbrida, com públicos de até 50 pessoas e um rígido protocolo sanitário. Estilistas como Michael Kors e Marc Jacobs cancelaram as suas presenças. 

Em Londres, a semana de moda também foi híbrida. Já em Milão, mesmo sendo fortemente atingida pelo vírus, houve um esforço para que a maioria dos desfiles fossem presenciais, já que o setor é um pilar econômico e cultural no país, mas houve marcas tradicionais, como a Gucci, que não participaram. Quanto à Paris, da mesma maneira que Milão, procurou manter os eventos presenciais, com público reduzido e regras de higiene. 

Atriz Taís Araújo durante a Paris Fashion Week – Foto: Reprodução/Instagram

Agora, já em 2021, com cada vez mais pessoas vacinadas contra a covid-19 em todo o mundo, as medidas sanitárias estão mais relaxadas. Isso gerou uma grande expectativa para os eventos de moda que se alongaram durante o mês de setembro. 

New York Fashion Week (NYFW) 

Na capital que abre os grandes desfiles pelo mundo, o evento ocorreu entre os dias 8 e 12 de setembro. Mesmo com a reabertura gradual da cidade, aliada ao avanço de vacinas aplicadas na população, apenas pessoas totalmente vacinadas puderam assistir às apresentações presenciais. Máscaras também foram itens obrigatórios. 

Com 91 apresentações marcadas, entre desfiles presenciais e virtuais, a semana nova-iorquina começou com o desfile de Ulla Johnson, enquanto Tom Ford ficou responsável pelo encerramento das apresentações. Nomes famosos também marcaram presença, como Michael Kors, Jason Wu e Carolina Herrera. O MET Gala marcou o fim dessa semana de moda. 

Apesar de ter sido realizada no Spring Studios, alguns estilistas fizeram as suas apresentações em outros locais de Nova York. 

London Fashion Week (LFW) 

Após Nova York, ocorreu a Semana de Moda de Londres, entre 17 e 21 de setembro. Também realizada em formato híbrido, o seu line-up contou com aproximadamente 80 apresentações físicas e digitais, cada um. Além disso, o Conselho de Moda Britânico firmou uma parceria com o Tik Tok para realizar um programa voltado à designers emergentes. 

Dentre os destaques da edição, estão nomes como Simone Rocha, Richard Malone e Richard Quinn. 

Milan Fashion Week (MFW) 

A MFW, que aconteceu dos dias 21 a 27 de setembro, teve a maioria dos seus desfiles de maneira física. Dos 62 marcados, apenas 20 não foram presenciais. 

A Semana de Moda de Milão contou com grandes marcas, como as famosas Prada, Versace e Fendi. 

Dentre os eventos do line-up italiano, estava o Fashion Vibes, nos dias 24 e 25, contando com oito marcas brasileiras que trabalham exclusivamente com materiais sustentáveis: Natural Cotton Collor, Helena Pontes, Catarina Mina, Rico Bracco, Enéas Neto, Libertees, KF Branding e Dona Rufina (essa não foi às passarelas, e sim a um evento em um showroom). 

Paris Fashion Week (PFW) 

Encerrando a temporada e Fashion Month, a Semana de Moda de Paris foi realizada entre os dias 27 de setembro e 5 de outubro. 

Nomes como Balenciaga e Balmain estiveram presentes nos desfiles. A AZ Factory, criada pelo estilista Alber Elbaz, vítima da covid-19 em abril deste ano, encerrou o evento com um desfile em sua homenagem. 

Brasileiras como Isis Valverde, Taís Araújo, Jojo Todynho e Sabrina Sato marcaram presença na capital francesa. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s