Novembro Azul: saiba como se prevenir do câncer mais comum entre os homens  

Foto de Capa: mmi9 (Pixabay)

Por Walter Farias e Felipe Nascimento Souza

Vamos falar sobre Novembro Azul, o mês dedicado ao combate ao câncer de próstata. Esse é o tipo de câncer mais comum entre os homens no mundo. Segundo a Fundação do Câncer, a cada 38 minutos um homem morre em decorrência do câncer de próstata no Brasil e 60% dos homens acima de 65 anos podem ter a doença. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), confirmados pelo Ministério da Saúde, apontam para 65.840 novos casos de câncer de próstata a cada ano.  

A única forma de curar o câncer de próstata é com o diagnóstico precoce, isso se dá pois quando os sintomas começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores estão em estágio avançado. O Ministério da Saúde aconselha, mesmo sem sintomas, os homens a partir de 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem esses fatores, a procurar um urologista para realizar exames de prevenção ao câncer de próstata. Portanto, é importante saber quais são os sintomas e os fatores de risco. 

Sintomas: 

  • dor óssea; 
  • dores ao urinar; 
  • vontade de urinar com frequência; 
  • presença de sangue na urina e/ou sêmen. 

Fatores de risco: 

  • histórico familiar: pai, irmão e tio; 
  • obesidade; 
  • homens negros sofrem maior incidência desse tipo de câncer. 

A origem do Novembro Azul: 

O Novembro Azul surgiu em 2003, na Austrália, com o objetivo de chamar atenção para prevenção e diagnóstico precoce contra doenças que atingem a população masculina de forma geral. O câncer de próstata se torna protagonista da campanha por ser o tipo de câncer mais comum entre os homens. O mundo abraçou a causa e o dia 17 de novembro foi estabelecido como o Dia Mundial de combate ao câncer de próstata. 

O impacto da campanha: 

Anualmente no Brasil nós temos de 65 a 68 mil casos de câncer de próstata e 15 mil mortes causadas pela doença. Todavia, ao identificar o tumor precocemente, o índice de cura chega a 90%. Segundo informa o Instituto Lado a Lado Pela Vida, esses números poderiam ser reduzidos se não fosse o machismo existente na nossa sociedade. 

A falta de informação gerada pelo preconceito faz com que os homens fujam de procedimentos simples e indolores fundamentais para identificação da doença em seu estágio inicial. O exame de toque tem duração de 5 a 10 segundos. 

Sendo assim, acredita-se que a conscientização quanto ao machismo estrutural e normalização do cuidado com a saúde do homem são fatores importantes para a desestigmatização a respeito do câncer de próstata. Atualmente o Novembro Azul tem apoio de diversas instituições não governamentais e outros atores como: clubes de futebol, empresas, pessoas civis com destaque em suas comunidades e grupos de apoio que operam presencialmente e/ou digitalmente, como a página Eu Tive Câncer de Próstata, criada no Facebook pelo representante de medicamentos Fernando César de Toledo Maia. Fernando já foi diagnosticado com o câncer e diz que se sentia sozinho e carente de um espaço para compartilhar e trocar sua experiência. “Senti necessidade de fazer porque não tive onde me apoiar, eu não conhecia histórias. A única história que ouvia era: ‘você vai ficar impotente, incontinente’”, declarou Fernando Maia à Agência Brasil. 

Consequências da pandemia:  

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) informou que com os dois anos de pandemia do coronavírus, ocorreu uma redução de 21,5% das cirurgias para retirada da próstata em razão do câncer, na comparação com 2019. Exames como a coleta de PSA e biópsia da próstata, que ajudam no diagnóstico da doença, também caíram. A coleta de PSA caiu 27% e a biópsia da próstata 21%. A SBU mostra que o número de consultas ao médico urologista também obteve  queda de 33,5% e o tratamento teve queda de 15,7%.  

Acredita-se que o número de casos neste ano de 2021 irá aumentar e  serão números preocupantes, afirma o presidente da SBU, Dr Antonio Carlos Pompeo, para o portal da própria instituição no dia 1 de novembro de 2021: “é muito importante que os homens tenham acesso à informação, às consultas de rotina e também que recebam seu diagnóstico. Essa fuga do médico vai causar um efeito de mais diagnósticos tardios em longo prazo”.  

Parceria com o Ministério da Saúde: 

A SBU e o Ministério da Saúde assinaram um acordo de cooperação técnica no dia 31 de maio de 2021, em prol da saúde do homem. A ideia principal é o desenvolvimento de medidas e ações em conjunto para orientar a respeito do câncer de pênis, testículo, próstata e bexiga, hiperplasia benigna da próstata, fimose, queixas urinárias, disfunção erétil, vasectomia e ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis). A Sociedade Brasileira de Urologia irá treinar profissionais da saúde para identificar problemas que são passíveis de encaminhamento a especialistas. 

Por fim, é com esta nova parceria entre sociedade civil e governo federal que este ano de 2021 tem sua campanha do Novembro Azul (Saúde Também é Papo de Homem) lançada com a tag #saudeépapodehomem. Se você deseja participar da campanha, o Portal da Urologia disponibiliza o material de campanha para conscientização e divulgação do Novembro Azul em plataformas digitais.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s