Em uma corrida épica, Hamilton vence GP de São Paulo de F1 e esquenta briga pelo título  

Foto de capa: Jiri Krenek for Mercedes/2021 São Paulo Grand Prix 

Por Lucas Furtado Isaias 

Lewis Hamilton conquistou sua terceira vitória no Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula 1, em um fim de semana em que largou na última posição na corrida sprint, por irregularidade na asa móvel, e terminou em quinto. Porém começou a corrida em 10° devido à punição por troca de motor. Só que o amor pelo Brasil e o suporte de uma vibrante torcida em Interlagos levaram o britânico a se sentir em casa do começo ao fim da prova.  

Após a vitória, com bandeirada da ginasta e medalhista olímpica em Tóquio 2020 Rebeca Andrade, Hamilton imitou o gesto de Ayrton Senna e percorreu a pista segurando a bandeira do Brasil, levando muita emoção ao público presente. A torcida em Interlagos teve muitas emoções desde o hino nacional, tocado pelo maestro João Carlos Martins, até o fim da cerimônia de prova, em mais um espetáculo que a etapa trouxe à categoria.  

O piloto britânico conquistou sua 101ª vitória, mesmo número de conquistas de todos os brasileiros somados na história da categoria. E a diferença para Max Verstappen, segundo colocado na prova, caiu para 14 pontos, faltando três corridas para o fim da temporada.  

A prova começou quente com uma disputa de Verstappen e Valttieri Bottas pela liderança, com o piloto da Red Bull conquistando o primeiro lugar, e depois o colega de equipe, Sérgio Perez, tomando a segunda posição do piloto da Mercedes, deixando-o em terceiro e distante dos dois líderes. Hamilton, que largou em décimo, abriu a segunda volta em sexto lugar. No começo da volta seguinte, superou Carlos Sainz e assumiu a quinta colocação. Na quinta volta, o britânico já estava em terceiro lugar, superando Charles Leclerc e Bottas, além de fazer as voltas mais rápidas da prova, até então.   

Na sexta volta, o safety car entrou na pista para que a equipe de limpeza da prova pudesse retirar os pedaços do carro de Yuki Tsonuda, que bateu com o carro de Lance Stroll, o que forçou o piloto da Alphaturi a ir para o pit stop fazer ajustes no veículo. O acidente foi alvo de investigação, e o piloto japonês foi penalizado com o acréscimo de dez segundos no tempo. O carro de segurança saiu na nona volta, mas três voltas depois retornou, de maneira virtual, quando o veículo não circula na pista por ser algo mais rápido de solução, para retirar peças do carro de Mick Schumacher que voaram após batida com Kimi Räikönnen, permanecendo por duas voltas.  

Na relargada, a batalha pelo segundo lugar se tornou intensa com Hamilton tentando ultrapassar Perez. O britânico começou a diminuir a distância que era de mais de um segundo para meio segundo e, na 18ª volta, conseguiu ultrapassar. No entanto, logo em seguida, o piloto da Red Bull usou a asa móvel e deu o troco, retomando o segundo lugar e levando o público presente em Interlagos ao êxtase com uma batalha de alto nível. No começo da volta seguinte, o britânico, novamente, ultrapassou Perez e, desta vez, consolidou a posição. Após a primeira passagem no pit stop, o piloto da Red Bull não conseguiu recuperar a terceira posição, com Bottas assumindo o último lugar do pódio.  

Na 39ª volta, teve uma disputa entre Sebastian Vettel, Fernando Alonso e Tsonuda pelo 10° lugar, e o piloto alemão da Aston Martin levou a melhor, conquistando a posição. Mas, na volta seguinte, o espanhol da Alpine fez uma ultrapassagem por fora e tomou o último lugar da zona de pontuação.  

A partir da metade da prova, começou mais uma batalha épica entre Hamilton e Verstappen pela primeira posição, com o britânico diminuindo o tempo de vantagem do holandês, que era de mais de um segundo, e, a partir da 47ª volta, com o piloto da Mercedes usando a asa móvel para encostar no adversário. A batalha seguiu na volta 48 com Hamilton ficando muito próximo de ultrapassar, tendo boa parte do carro na frente, porém Verstappen acelerou para se manter na ponta, e os carros saíram da pista no “pega”. O incidente acabou não causando investigação, o que gerou frustação nas duas equipes.  

Na 58ª volta, o piloto da Mercedes tentou ultrapassar o da RBS, mas Verstappen deslizou na pista e segurou-se na liderança. Hamilton não desistiu e, na 59ª volta, fez uma ultrapassagem sensacional, levando o público presente no Autódromo José Carlos Pace ao delírio, e começou a abrir uma vantagem confortável sobre o arquirrival. Na 61ª volta, o francês Pierre Gasly ultrapassou o compatriota Esteban Occon em uma arriscada e acirrada manobra e, na volta seguinte, conseguiu superar Alonso, recuperando a sétima posição em que largou.  

Com a reta final da prova se aproximando, Hamilton foi alargando a vantagem sobre o rival e chegou na última volta abrindo uma vantagem de nove segundos. Fechou com mais de 10 segundos na frente para marcar uma das maiores corridas de sua trajetória, com uma recuperação incrível.   

Ao confirmar a vitória, Hamilton pediu a bandeira do Brasil e fez o estádio se emocionar refazendo o gesto de Ayrton Senna, seu ídolo, dando uma volta inteira até o local onde é feita a cerimônia de premiação. Em entrevistas, o piloto britânico nunca escondeu o seu amor pelo país e falou do quanto se sente confortável e feliz estando no Brasil. Em mensagem após a corrida, via postagem nos seus perfis nas redes sociais, ele escreveu em português “EU AMO BRASIL”. Na entrevista pós-corrida, Hamilton disse que recebeu o maior suporte da torcida desde a etapa da Inglaterra, em julho, e agradeceu o público presente pelo apoio ao longo de todo o fim de semana.  

O sentimento de amor pelo Brasil continuou no pódio, carregando a bandeira brasileira com ele na cerimônia de premiação, e depois cedeu a Leonardo da Silva, integrante da equipe da Mercedes, que a abraçou quando recebeu o troféu da vitória da equipe no campeonato de construtores. Os dois foram aclamados pelo público presente, que só trocou a euforia pela vaia quando o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), apareceu para premiar Max Verstappen pelo segundo lugar na corrida. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não foi vaiado ao entregar o troféu ao vencedor.  

Após a corrida, Hamilton foi punido com multa de cinco mil euros por retirar o cinto de segurança após a bandeirada final. Outros 20 mil euros de multa serão aplicados ao longo do ano de 2022. Segundo a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), apesar de compreender o momento da celebração, o britânico infringiu o artigo 4 do Código da FIA, o qual diz que pilotos da Fórmula 1 devem ser exemplos para pilotos juniores sobre a importância do uso de todos os equipamentos de segurança.  

Resultado da corrida  

  1. Lewis Hamilton (44 – Mercedes) – 1:32:22:852 
  1. Max Verstappen (33 – Red Bull Racing Honda) – +10.496seg 
  1. Valtteri Botas (77 – Mercedes) – +13.576seg 
  1. Sergio Perez (11 – Red Bull Racing Honda) – +39.940seg 
  1. Charles Lecrec (16 – Ferrari) – +49.517seg 
  1. Carlos Sainz (71 – Ferrari) – +51.820seg 
  1. Pierre Gasly (10 – Alphaturi Honda) – +1 volta  
  1. Esteban Ocon (31 – Alpine Renault) – +1 volta 
  1. Fernando Alonso (14 – Alpine Renault) – +1 volta 
  1. Lando Norris (4 – Mclaren Mercedes) – +1 volta 
  1. Sebastian Vettel (5 – Aston Martin Mercedes) – +1 volta 
  1. Kimi Räikkönen (7 – Alfa Romeo Racing Ferrari) – +1 volta 
  1. George Russell (63 – William Mercedes) – + 1 volta 
  1. Antonio Giovinazzi (99 – Alfa Romeo Racing Ferrari) – +1 volta 
  1. Yuki Tsunoda (22 – Alphatauri Honda) – +1 volta 
  1. Nicholas Latifi (6 – Williams Mercedes) – +1 volta 
  1. Nikita Mazepin (9 – Haas Ferrari) – +2 voltas 
  1. Mick Schumacher (47 – Haas Ferrari) – +2 voltas 

Daniel Ricciardo (3 – Mclaren Mercedes) e Lance Stroll (18 – Aston Martin Mercedes) não completaram a prova e abandonaram, respectivamente, com 49 e 47 voltas.  

Volta mais rápida: Sergio Perez – 01:11:010 (Volta 71)  

Classificação – Campeonato de Pilotos  

° Pilotos Pontos 
1 Max Verstappen  332.5 
2 Lewis Hamilton 318.5 
3 Valtteri Botas 203 
4 Sergio Perez 178 
5 Lando Norris 151 
6 Charles Lecrec  148 
7 Carlos Sainz 139.5 
8 Daniel Ricciardo 105 
9 Pierre Gasly  92 
10 Fernando Alonso 62 
11 Esteban Ocon  50 
12 Sebastian Vettel  42 
13 Lance Stroll  26 
14 Yuki Tsunoda  20 
15 George Russell  16 
16 Kimi Räikkönen  10 
17 Nicholas Latifi  07 
18 Antonio Giovinazzi 01 
19 Mick Schumacher 00 
 Robert Kubica  00 
 Nikita Mazepin 00 

Classificação – Campeonato de Construtores  

° Construtora  Pontos 
1 Mercedes 521.5 
2 Red Bull Racing Honda 510.5 
3 Ferrari 287.5 
4 Mclaren Mercedes 256 
5 Alpine Renault 112 
6 Alphatauri Honda 112 
7 Aston Martin Mercedes 62 
8 William Mercedes 23 
9 Alfa Romeo Racing Ferrari 11 
10 Haas Ferrari 00 

Próxima etapa – Catar – Losail International Circuit (horário de Brasília) 

19 de novembro   

7h30 – 1° Treino Livre 

11h – 2° Treino Livre 

20 de novembro 

8h – 3° Treino Livre 

11h – Treino Classificatório  

21 de novembro   

11h – Corrida  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s