Chelsea vence Palmeiras na prorrogação e conquista pela primeira vez o Mundial de Clubes 

Foto: Reprodução/Twitter Chelsea

Por Matheus Carvalho

Chelsea e Palmeiras protagonizaram uma final como deve ser. Uma partida cheia de nuances, raça, entrega e emoção. Ao final de 120 minutos, com a necessidade de uma prorrogação para definir o campeão do mundo, a equipe londrina venceu por 2 a 1 e conquistou pela primeira vez na sua história o Mundial de Clubes. 

O jogo 

Conhecido pela tática do técnico Abel Ferreira, o Palmeiras entrou em campo com uma proposta clara para bater os blues. Muita entrega sem a bola, uma linha de quatro que hora virava de seis defensores, e saída rápida nos espaços deixados pelo adversário. 

O Chelsea teve a todo instante a posse de bola e tentava infiltrar na defesa palmeirense. O primeiro tempo foi bem parelho, com poucas oportunidades de ambos os lados e uma obediência tática palmeirense de impressionar. 

Dudu teve a primeira oportunidade aos 23’ em jogada individual, mas bateu muito forte e a bola saiu por cima do gol do goleiro Mendy. O Chelsea respondeu logo em seguida, duas vezes com Havertz, que errou a meta do goleiro Weverton. 

Aos 26, a melhor chance do Palmeiras no primeiro tempo. Saída rápida em contra-ataque, Zé Rafael virou para Dudu na esquerda que chegou em velocidade, mas no domínio perdeu o tempo da bola e finalizou mal. Thiago Silva ainda assustou antes do intervalo com chute de longe aos 46’ e Weverton jogou a bola para escanteio. 

No segundo tempo os espaços foram começando a aparecer com mais frequência e as equipes tivera mais chances de marcar. O Chelsea novamente com a bola em seu domínio, na primeira oportunidade em direção ao gol foi letal. 

Lukaku abre o placar no estádio Mohammed Bin Zayed / Foto: Reprodução/Twitter Chelsea 

Aos 9 minutos, Hudson-Odoi recebeu pela esquerda, passou pela marcação, levou a linha de fundo e fez cruzamento certeiro para Lukaku, que subiu mais que os defensores para acertar um belo cabeceio, sem chances para Weverton, e inaugurar o placar em Abu Dhabi. 

Em desvantagem, o Palmeiras precisou atacar mais o Chelsea e contou com uma pequena ajuda do zagueiro Thiago Silva que colocou a mão na bola em um cruzamento palmeirense e o juiz marcou o pênalti, após consulta no VAR. Raphael Veiga bateu com maestria e empatou aos 18 minutos. 

Raphael Veiga comemora empate após marcar de pênalti / Foto: REUTERS/Suhaib Salem

As equipes apostaram em novos jogadores saindo do banco, mas nenhuma ocasião levou tanto perigo a ponto de desigualar o placar até o final dos 90 minutos e a decisão foi levada para mais 30 minutos de prorrogação. 

Prorrogação 

Houve um pequeno desequilíbrio físico para ambas as equipes, mas o Chelsea levou a melhor. Por vezes ameaçado no segundo tempo após sofrer o gol, as substituições elevaram seu nível e a equipe londrina parecia mais inteira que o Palmeiras. O verdão já não tinha mais os seus principais jogadores como Dudu, Raphael Veiga e Rony já substituídos. 

A cinco minutos das penalidades com o placar ainda igual, o Palmeiras sofreu da mesma moeda que lhe concedeu o empate. Um bate rebate na área, Azpilicueta finalizou e a bola bateu na mão de Luan. O juiz com a ajuda do VAR marcou o pênalti. Havertz bateu e deixou o Chelsea novamente a frente. 

Havertz marca de pênalti gol decisivo na final / Foto: Reprodução/Twitter Chelsea

O Palmeiras se tacou a frente na tentativa de um empate, mas deixando espaço na defesa. Numa bola esticada, Havertz levou vantagem e Luan na tentativa do corte acertou o alemão. Novamente na consulta do VAR, Luan ainda foi expulso antes do jogo acabar. No apito final o Chelsea se consagrou campeão mundial pela primeira vez na sua história. 

Premiações 

O Chelsea levou o prêmio de Fair Play da competição. Enquanto nas premiações individuais, Thiago Silva levou a bola de ouro como melhor jogador do Mundial de Clubes. Completaram o pódio Dudu e Danilo, do Palmeiras, com a bola de prata e de bronze respectivamente. 

Terceiro lugar 

Também no sábado houve a disputa de terceiro lugar. O Al Ahly, do Egito, levou a melhor sobre o Al Hilal por 4 a 0 e completou o pódio do torneio. 

Ficha técnica 

Chelsea: Mendy; Rudiger, Thiago Silva e Christensen (Sarr); Azpilicueta, Kovacic (Ziyech), Kanté e Hudson-Odoi (Saúl); Havertz, Mount (Pulisic) e Lukaku (Werner) / Técnico: Thomas Tuchel 

Palmeiras: Weverton; Gustavo Gómez, Luan e Piquerez; Marcos Rocha (Deyverson), Zé Rafael (Jailson), Danilo e Gustavo Scarpa; Raphael Veiga (Atuesta), Dudu (Rafael Navarro) e Rony (Wesley) / Técnico: Abel Ferreira 

Cartões amarelos: Wesley e Atuesta (Palmeiras) 

Cartão vermelho: Luan (Palmeiras) 

Gols: 
Palmeiras: Raphael Veiga (18 minutos do 2º tempo) 
Chelsea: Lukaku (9 minutos do 1º tempo) e Havertz (11 minutos do 2º tempo da prorrogação) 

Estádio: Mohammed Bin Zayed – Abu Dhabi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s