Carlos Alcaraz vence o Rio Open 2022 e é o campeão de ATP 500 mais jovem da história  

Foto de Capa: Rio Open/Fotojump

Por Lucas Furtado Isaias 

Com 18 anos, Carlos Alcaraz é o campeão mais jovem da história dos torneios ATP 500. O espanhol venceu o Rio Open 2022 ao derrotar na final o argentino Diego Schwartzman por 2 sets a 0 (6/4 e 6/2) em 1h27min de jogo. Nas duplas, Jaime Murray (GRB) e Bruno Soares (BRA) foram derrotados pelos italianos Fabio Fognini e Simone Bolelli que conquistaram o quarto título juntos e o primeiro em sete anos em uma partida eletrizante com vitória de 2 sets a 1 (7/5, 6/7 e 10/6) de 2h06min de duração.  

A cerimônia de abertura começou com pedidos de doações de mantimentos para as vítimas da tragédia em Petrópolis causada por fortes chuvas em 15 de fevereiro e que, até o fechamento do texto, matou 183 pessoas e deixou centenas desabrigadas e desalojadas. Em seguida, a Orquestra Maré do Amanhã fez a execução do Hino Nacional Brasileiro e emocionou a todos na Quadra Central Guga Kuerten.  

Antes da entrada dos atletas para a decisão, o Rio Open prestou uma homenagem surpresa à professora e infectologista Sue Ann Clemms que é responsável pela parceria do Reino Unido e Brasil na criação da vacina Aztrazenica e por trazer para o país a primeira sede de Oxford fora do conjunto de países europeus. O torneio exibiu um vídeo com locução da âncora da Band, Glenda Kozlowski, falando de sua trajetória e antes que o vídeo fosse finalizado, o público aplaudiu, de pé, a cientista pelos seus trabalhos prestados. Surpresa e emocionada com o tributo, ela recebeu uma placa de homenagem da direção do torneio pelos seus serviços prestados à ciência e ao país.  

O jogo começou bastante equilibrado com Alcaraz e Schwartzman. No segundo game, o argentino conseguiu quebrar o serviço, mas depois o espanhol devolveu a quebra. O equilíbrio no duelo foi até o nono game quando Alcaraz quebrou o serviço de Schwartzman para alegria da torcida na quadra, que era majoritariamente a seu favor.  

 
Diego Schwartzman em ação contra Carlos Alcaraz (Foto: Lucas Furtado Isaias)
 
Carlos Alcaraz em ação contra Diego Schwartzman (Foto: Lucas Furtado Isaias)

O espanhol dominou o segundo set com tranquilidade, mesmo tendo sido quebrado por Schwartzman no segundo game. O argentino teve dificuldades de impor os seus saques ao longo do site. Alcaraz apostou muito em curtinhas durante o jogo e o argentino só conseguiu pegar uma no final do set, com bolas caindo um pouco depois da rede dando poucas chances para o rival pegar o saque. Com duas quebras de vantagem, o espanhol chegou a fazer 5/1 no placar, antes do argentino confirmar o seu serviço e, em seguida, o espanhol tranquilamente fechou o jogo e conquistou o seu primeiro título no torneio e de ATP 500 da carreira.  

Em seu discurso, Schwartzman teceu muitos elogios a Alcaraz e fez agradecimentos a toda equipe do torneio e público pelo apoio durante a semana. O espanhol, em seu discurso, retribuiu os elogios a Schwartzman e agradeceu ao público pelo grande apoio que, segundo ele, foi inesperado e disse novamente que se sentiu em casa no Rio, o que lhe rendeu muitos aplausos da torcida e disse que voltará ao torneio por anos.  

Alcaraz lembrou o quanto especial é o Rio Open para a sua carreira já que o torneio foi no qual conquistou sua primeira vitória no circuito da ATP, em 2020, contra o compatriota Alberto Ramos Viñolas por 2 sets a 1 (7/6, 4/6 e 7/6). Ele entrou como wild card e foi eliminado pelo argentino Feredico Coria na segunda rodada por 2 sets 1 (4/6, 6/4 e 4/6). Dois anos depois, no mesmo lugar, conquista o seu maior título, até aqui, de sua carreira e se torna o campeão mais jovem de todos os eventos ATP 500, a segunda mais importante série de torneios da entidade atrás apenas do Masters 1000.  

A vitória de Alcaraz no Rio Open, o fez subir para 20° colocação no ranking da ATP com 2.081 pontos e também desistir do ATP 500 Acapulco para poder se preparar para o duelo entre Espanha e Grã-Bretanha pela Copa Davis nos dias 4 e 5 de março.  

Jogando semifinal e final no mesmo dia, Fognini e Bolelli são campeões nas duplas 

Nesta edição do torneio, a final de duplas, excepcionalmente, finalizou a programação em razão das chuvas e da preparação de Fabio Fognini para as semifinais de simples no dia anterior. O italiano, ao lado do compatriota Simone Bolelli, jogou às 16h contra a dupla composta pelo argentino Andres Molteni e pelo mexicano Santiago Gonzalez e derrotaram por 2 sets a 0 (7/6 e 6/2) em 1h33 de jogo. O primeiro set foi repleto de reviravoltas e chegou ao game tie-break onde os italianos fizeram 7/4. Situação oposta no segundo set com Fognini e Bolelli dominando o jogo.  

Fabio Fognini e Simone Bolelli em ação contra Andres Molteni e Santiago Gonzalez (Foto: Lucas Furtado Isaias)
Andres Molteni e Santiago Gonzalez em ação contra Fabio Fognini e Simone Bolelli (Foto: Lucas Furtado Isaias)

Pouco mais de duas horas depois, por volta das 19h50, eles voltaram à quadra para enfrentar o brasileiro Bruno Soares e o escocês Jaime Murray e conseguiram fazer um jogo disputado do começo ao fim. O primeiro set foi muito equilibrado com Soares e Murray quebrando o serviço, mas os italianos conseguiram devolver a quebra. No sétimo game, Jaime e Bruno conseguiram outra vez furar o saque dos rivais, mas em seguida, Fabio e Simone quebraram de novo e empataram em 4/4. No décimo primeiro game, os italianos fizeram a quebra decisiva no set para 7/6. 

Bruno Soares e Jaime Murray em ação contra Fabio Fognini e Simone Bolelli (Foto: Lucas Furtado Isaias)
Fabio Fognini e Simone Bolelli em ação contra Bruno Soares e Jaime Murray (Foto: Lucas Furtado Isaias)

No segundo set, o jogo foi muito equilibrado e sem quebras. Mesmo com toda a pressão da torcida brasileira, os italianos não se abalaram e cometeram poucos erros em seus serviços e conseguiram fazer pontos sem deixar possibilidades para os rivais. O jogo foi para o tie-break e com atuação decisiva de Jaime que acertou um ace, o britânico e brasileiro levaram a melhor com muita tranquilidade o game por 6/2. Só que no set final, o match tie-break, Soares e Murray cometeram muitos erros no início do game e deixaram Fognini e Bolelli abrir uma larga vantagem. A dupla brasileira e escocesa reagiu no final, mas não conseguiu impedir a derrota com 10/6 no último set.  

Na cerimônia de premiação, Bruno agradeceu a toda torcida que o incentivou todo o tempo na partida e Jaime pela parceria. Já Fognini, incluiu na lista de agradecimentos, o fisioterapeuta do torneio pelo trabalho feito com o jogador numa semana em que o tenista italiano foi longe nos torneios de simples e duplas do torneio. A última vez que Fognini e Bolelli tinham conquistado um título juntos foi no Australian Open 2015.

Fabio Fognini comemorando o título de duplas do Rio Open 2022 (Foto: Lucas Furtado Isaias)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s