O rei retorna ao trono

Foto de Capa: NBA Twitter 

Por Raphael Matheus

Com a vitória de 103-90 no jogo 6, o Golden State Warriors conquistou o título da NBA da temporada de 2022, sendo esse o sétimo em sua história, o que a torna a terceira franquia mais vitoriosa da liga, atrás somente do Boston Celtics e dos Los Angeles Lakers (cada uma com 17 títulos).  Os Warriors continuam a aumentar o poder de sua dinastia com a conquista do quarto troféu de campeão nos últimos oito anos, chegando às finais em seis ocasiões diferentes, o que o consolida como o principal time da era atual do basquete norte-americano. A equipe californiana tem o seguinte mantra: “Strength in Numbers”, que é uma associação para o poder coletivo. Curiosamente, o grande fator para os Warriors conquistarem o jogo 6 fora de casa e vencerem a série foi o esforço coletivo de todos os seus atletas, que contribuíram de diversas formas ao longo da partida.  

Com uma atuação de 34 pontos, 7 rebotes e 7 assistências, Stephen Curry conquistou o primeiro troféu de MVP das Finais em sua carreira e consolidou seu legado entre os maiores atletas da história do esporte. O líder de Golden State não se intimidou com a pressão e liderou sua equipe com excelentes jogadas em momentos decisivos. Draymond Green esteve em todos os lugares da quadra, o que é ilustrado pelos 12 pontos, 12 rebotes e 8 assistências registrados pelo camisa 23, que recebeu a ajuda de Andrew Wiggins com uma contribuição fundamental em ambos os lados da quadra, principalmente no aspecto defensivo pela marcação realizada em Jayson Tatum, além de Gary Payton II, que fez grandes jogadas defensivas contra Jaylen Brown e terminou a partida com +18 em plus minus (saldo de pontos da equipe enquanto o jogador esteve em quadra), maior marca da equipe na partida. No lado ofensivo, Jordan Poole foi fundamental ao anotar 15 pontos. Otto Porter, apesar de apenas 6 pontos anotados, realizou arremessos em momentos do jogo que os Warriors precisavam colocar pontos no placar e Kevon Looney teve 6 importantes rebotes ofensivos, concluindo uma grande contribuição de toda a equipe na decisiva vitória no sexto jogo.  

Stephen Curry comemorando com seu troféu de MVP das Finais em mãos – NBA Twitter

Jayson Tatum teve uma das piores atuações de sua carreira ao anotar somente 13 pontos, 7 assistências e 5 turnovers para Boston. O camisa 0 dos Celtics registrou a pior marca de turnovers já vista por um único atleta em toda a história dos Playoffs, além da pior média de aproveitamento em arremessos de dois pontos nos últimos 60 anos da NBA entre atletas com, no mínimo, 50 tentativas de pontuação. Os desperdícios de posse de bola foram a história da partida para Boston, que anotou 22 turnovers no jogo 6 e seus astros (Jayson Tatum e Jaylen Brown) demonstraram sua imaturidade e falta de experiência em grandes jogos ao se desesperarem com as sequências de pontuação dos Warriors, especialmente os 21 pontos consecutivos anotados pelos visitantes no primeiro tempo, o que levou os jovens astros a cometerem erros característicos de uma equipe que busca derrotar um time com mais experiência em partidas de enorme peso. 

 A expectativa do torcedor dos Celtics é de que suas jovens estrelas aprendam com os erros cometidos e aproveitem a oportunidade caso apareça novamente em suas carreiras. Entretanto, esse é um processo normal para cada jovem que deseja tornar-se um bom jogador, o que já foi experienciado por algumas lendas do esporte, como Larry Bird, que em seus dois primeiros jogos de finais da NBA em sua carreira anotou somente 8 pontos em cada ocasião, Isiah Thomas ao combinar somente para 10 pontos em suas primeiras aparições em finais, e Kobe Bryant com três “air balls” (arremessos que não encostam nem o aro) cometidos contra o Utah Jazz em 1997, e o torcedor dos Celtics espera que o processo doloroso que Jayson Tatum e Jaylen Brown passarão durante as férias venha a se transformar em títulos para a franquia no futuro. 

A temporada de 2022-23 dos Warriors é extremamente promissora e a equipe espera aumentar o número de títulos em sua dinastia não só com a evolução de jovens talentos como James Wiseman, Jonathan Kuminga, Andrew Wiggins e Jordan Poole, mas também com Klay Thompson tendo mais tempo ao longo da temporada regular para recuperar sua forma física e o nível de atuação que os fãs se acostumaram a receber do camisa 11 antes de suas lesões nos últimos anos. Tais elementos são fundamentais para que Klay, Curry e Green continuem seu legado como um dos melhores trios que a NBA já viu, com Stephen Curry se posicionando cada vez mais entre os melhores jogadores da história do basquetebol e a dinastia seja consolidada com mais títulos para uma franquia que é uma das mais valiosas, populares e impactantes na geração atual entre todos os esportes.  

Melhores momentos do jogo 6 – Youtube ESPN Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s