Família Kindermann anuncia fim da gestão no futebol feminino após 13 anos de dedicação e conquistas 

Foto de capa: Andrielli Zambonin/SCC SBT

Por Matheus Carvalho

Fim de uma era. A Família Kindermann, de Caçador, município de Santa Catarina, anunciou, na quarta-feira (17/11), o encerramento dos investimentos na categoria feminina. Em virtude da decisão, chegam ao fim as atividades do Avaí Kindermann. 

O falecimento de Salézio Kindermann, presidente do clube e entusiasta do futebol, vítima de complicações da Covid-19, aos 77 anos, em maio, foi determinante para a retirada da família Kindermann do âmbito esportivo, uma vez que originalmente é um grupo de hotel. 

Salézio faleceu vítima de Covid-19 – Foto: Andrielli Zambonin/Avaí Kindermann 

Daniel e Valéria, genro e filha de Salézio, responsáveis pelo anúncio, falaram sobre a decisão em entrevista para o portal SCC10: 

“Tomamos essa decisão com a alma, coração e consciência limpa, sabendo que fizemos o que foi possível para que o time chegasse até aqui e concluísse o calendário de competições previstas para 2021. Sabemos do carinho que muitos brasileiros têm pelo Kindermann Futebol Feminino, o quanto essa história e esse legado merecem respeito. Mas esse era o sonho do Salézio Kindermann. O futebol ocupava 100% do tempo dele, ele tinha dedicação exclusiva a isso, entendia e amava esse mundo. Em respeito ao legado dele, nós como família e as atletas que permaneceram até aqui, fechamos este ciclo com a participação na Libertadores, onde encerramos como a 5ª melhor equipe. O legado nunca será apagado, mas a era Kindermann futebol, mantida pela nossa família, encerra aqui”, afirmaram Daniel e Valéria. 

Outro fator preponderante para a tomada de decisão foi o alto custo com as equipes Avaí Kindermann e Napoli-SC, do qual Salézio Kindermann era gestor e que também teve as atividades encerradas após a participação no Campeonato Brasileiro. 

“Do dia para a noite nós tivemos que assumir a responsabilidade de 65 pessoas, dois times e um custo mensal de R$ 270 mil. Sendo que esse era o hobbie do Salézio, era a paixão dele, e não nossa, da família. Nós somos hoteleiros. Nosso ramo é uma empresa de hotéis. Sabemos falar de hotel, e não de futebol feminino. E do dia para a noite, apesar de não ser nossa obrigação continuar com tudo isso, nos viramos do zero para organizar e entender como tudo funcionava. Demos o nosso melhor para que a equipe não se encerrasse no meio de uma competição e cumprisse o seu calendário de disputas. Fizemos isso não por ser nossa obrigação, porque esse era compromisso do Salézio, mas fizemos para honrar o nome e o legado dele. Demos o nosso melhor e chegou a hora de encerrar”, comentaram genro e filha. 

Fim do Avaí Kindermann 

O Avaí Kindermann nasceu da parceria feita em 2019 entre o Avaí Futebol Clube e a Associação Esportiva Kindermann. Com a saída do Kindermann, as 18 atletas e comissão técnica que defendiam o atual clube foram dispensadas. A última competição disputada foi a Libertadores Feminina 2021, na qual a equipe foi eliminada nas quartas de final. 

Foto: Andrielli Zambonin/SCC SBT 

A princípio, o Avaí aparece como principal candidato para assumir o time feminino e se mostrou interessado em um primeiro momento. No entanto, o clube passará por eleições presidenciais ao final do ano e só após a eleição tomará uma decisão. Como as vagas em todas as competições estão vinculadas ao CNPJ do Kindermann, o Avaí não tem direito a nenhuma delas se não assumir o time. 

Legado do Kindermann Futebol 

O clube foi fundado em 23 de agosto de 1975 pelo empresário Salézio Kindermann. Entre idas e vindas, e disputas no masculino e feminino, nas modalidades futsal e futebol, em 2008 a equipe focou no futebol feminino. Em 13 anos de história, foi 12x Campeão Estadual, 1x Campeão da Copa do Brasil (2015) e participou 2x da Libertadores Feminina (2020 e 2021). 

Contribuiu também revelando nomes importantes para o futebol feminino como Gabi Zanotti, Julia Bianchi, Andressinha, entre outras. 

Daniel e Valéria por fim agradeceram e afirmaram que o legado do Kindermann não será apagado: 

“Acho que cumprimos a missão. (…) Queremos agradecer os torcedores e dizer que o legado não será apagado. Novamente, gostaríamos de agradecer as Atletas e Comissão Técnica que ficaram conosco até o final. Temos o maior orgulho desse time. Nós, família, não temos condições financeiras e nem conhecimento para continuar no futebol feminino. Por isso estamos encerrando o ciclo. O responsável por toda essa trajetória vitoriosa sempre foi o Salézio”, finalizaram. 

Ficam a história e as lembranças de um dos maiores fomentadores do futebol feminino da última década. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s